16.8 C
Belo Horizonte
ter, 18 junho 24

Cinebiografia de Angela Ro Ro levará passado e presente

Filmagens já começaram e incluem o show solo realizado no último sábado (6), no Teatro Rival, no Rio, e a participação no espetáculo Transa, de Caetano Veloso, em São Paulo

A voz marcante de Angela Ro Ro vai para a tela do cinema sob o faro da cineasta Liliane Mutti, que em 2022 lançou o longa “Miúcha, a voz da Bossa Nova” que foi exibido em 32 países. O filme vai reunir registros do passado e presente de Ro Ro, que já começaram a ser garimpados. No último sábado (6), as filmagens aconteceram no show da cantora no Teatro Rival, no Centro do Rio de Janeiro.

Uma das características mais marcantes de Ro Ro nos palcos é a sua interação direta com o público e os músicos que a acompanham. Quem já assistiu, sabe como Angela Ro Ro performa, conversa e brilha,dona da cena, com a sua espontaneidade arrebatadora.

“O Teatro Rival é um lugar muito importante para mim, eu sempre faço meu primeiro show do ano aqui, há mais de 30 anos. É um ambiente onde fico bem próxima ao público, mais intimista e tenho muita troca com as pessoas. Me sinto completa, a vontade aqui. Vou continuar cantando até quando conseguir”, contou Angela do seu camarim.

No filme, além da história dessa mulher com a voz inconfundível na música brasileira, a sinergia entre a vida pessoal e a pública poderá ser conferida sob o olhar de Liliane Mutti, que fala um pouco sobre a cinebiografia:

“A Angela é completamente única no cenário musical mundial, de uma personalidade que reconhecemos desde o primeiro verso, seja como cantora ou compositora. Ela vem atravessando décadas nos palcos, com uma capacidade contagiante de rir, mesmo nos momentos em que a vida lhe deu rasteiras”.

O filme vai mostrar imagens da sua história, seja nos estúdios, em casa ou nos palcos, através de um acervo pessoal inédito, misturando passado e presente. “Atravessamos os tumultuados anos 80 com ela e seguimos ela nos palcos, que é onde domina a cena como ninguém, às vezes só Ro Ro e um piano”, observa Mutti.

Entre as muitas histórias, a cinebiografia vai contar sobre o dia em que Ro Ro foi apresentada a Caetano pelo baiano Glauber Rocha. Além disso, na trilha sonora não poderia faltar “Escândalo”, letra composta por Caetano especialmente para Ro Ro, e a participação dela tocando gaita no álbum “Transa”, gravado em Londres. “Angela Ro Ro, é a maior blues women brasileira e é a única mulher do disco “Transa”, de 1972, e da sua reedição no show de 2023, onde acompanhamos todas as suas participações em São Paulo, em cima e fora dos palcos”, adiantou a cineasta.

Créditos:

Foto 1: Fone de ouvido (Divulgação)

Foto 2 (atual): Jonathan Oliveira

Posts Relacionados

“Paco Pigalle: La Fiesta” chega à sua terceira edição em BH

“Paco Pigalle: La Fiesta” ganha sua terceira edição em...

Projeto social impulsiona futebol feminino e transforma vidas

Um projeto em Minas Gerais vem se destacando por...

João Ventura em Belo Horizonte no Clube de Jazs

O pianista, cantor e compositor João Ventura se apresentará...

Começa o Festival do Queijo Artesanal de Minas

Teve início nesta quinta-feira (13/6), a 6ª edição do...

Fernando e Sorocaba levam o Churrasco On Fire para Betim

A dupla Fernando e Sorocaba desembarca na cidade de Betim,...

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui