20.8 C
Belo Horizonte
qui, 22 fevereiro 24

Dia Mundial do Queijo, produção que agrega valor ao leite

Selo Queijo Artesanal garante fabricação legal e de qualidade, que segue em expansão no Brasil, garantindo comercialização do produto

Do café da manhã a lasanha, lanche da tarde e queijadinha, todos tem em comum o queijo, uma das iguarias mais conhecidas e consumidas pela população mundial. E por ser tão apreciado e degustado, ele tem um dia para chamar de seu, no dia 20 de janeiro, é celebrado o Dia Mundial do Queijo.

Devido a sua vasta diversidade, existem diversos concursos ao redor do mundo para eleger o melhor queijo. Um destes concursos é o World Cheese Awards, conhecido como o Oscar do Queijo. A 35ª edição ocorreu em outubro de 2023 em Trondheim, na Noruega e contou com a participação de mais de 4.502 queijos de 43 países.

Vinte e três queijos brasileiros estiveram no pódio de melhores queijos do mundo. Dentre eles, uma medalha Super Ouro, três para Ouro, oito para prata e 11 para bronze.

Outro grande concurso com visibilidade internacional e que ocorre no Brasil é o Mundial do Queijo do Brasil. Neste ano, a 3ª edição ocorrerá entre os dias 11 e 14 de abril em São Paulo. O mundial irá receber produtores de vários países, e mais de 100 produtores irão expor seus produtos artesanais. Além disso, irá ocorrer o 3º Concurso de Queijos e Produtos Lácteos, que estima receber mais de dois mil queijos e derivados do leite.

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) trabalha para garantir que os alimentos estejam seguros para o consumo, tanto para o mercado interno, quanto o mercado externo. Para estes concursos, o Mapa atua na fiscalização dos alimentos participantes. Para os produtos que virão de outros países, a Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) atua nestas fiscalizações nos aeroportos e fronteiras.

O chefe substituto de Produtos Importados do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), Caio Augusto, afirma que como forma de facilitar a participação dos queijos oriundos de outros países no evento, “foi elaborado um procedimento simplificado, onde foi dispensada a necessidade de autorização prévia de importação, cabendo somente a fiscalização dos produtos pelo Vigiagro, verificando o cumprimento dos requisitos de saúde pública previstos no Certificado Sanitário”, disse.

O Mapa também atua no incentivo e reconhecimento da produção artesanal de queijos e outros produtos alimentícios por meio do Selo Arte e Selo Queijo Artesanal, regulamentados pela Lei nº 13.680/2018, promulgação da Lei nº 13.860/2019 e portaria nº 531/2022.

Os Selos Arte e Queijo Artesanal asseguram que produtos alimentícios foram produzidos de forma artesanal com receita e processo que apresentem características diferenciais. Por intermédio dessas certificações, assegura-se que o produto possui propriedades únicas, diferenciadas, com modo de fabricação artesanal próprio de determinada região, tradição ou cultura e que adota as Boas Práticas Agropecuárias e as Boas Práticas de Fabricação.

De acordo com o coordenador de Cooperativismo, Associativismo Rural e Agregação de Valor, Nelson de Andrade, desde 2018, 240 tipos de queijos foram contemplados com Selo Arte e desde 2019 foram concedidos 235 Selos Queijo Artesanal.

Atualmente, 125 estabelecimentos possuem o Selo Queijo Artesanal. Em 2023, foram concedidos 45 Selos Arte para queijos e 23 Selos Queijo Artesanal.

O coordenador destaca que estes selos possibilitam a permissão de comercialização em todo o território brasileiro e simplifica o registro para comercialização. Além de ter a valorização territorial, de produção artesanal diferenciada e caracterização singular de fácil identificação e reconhecimento por meio do selo único.

Alguns queijos bem tradicionais:

  1. Queijo Minas Fresco (brasileiro)

É um clássico muito presente na mesa do brasileiro, possível de se encontrar em quase todos os mercados e de uma grande variedade de marcas. Esse é um queijo magro, pouco gorduroso e pouco salgado, então, devemos evitar vinhos amadeirados, pesados e muito estruturados. Com o Merlot ou Carmenère chileno sem barrica, como a linha Ventisquero Clásico, por exemplo, combina muito bem. Uma variação que funciona também é o português Bons Ventos tinto ou branco, por ser um vinho frutado, fresco e leve.

 

  1. Mussarela (italiano)

Um dos queijos mais consumidos no Brasil, a mussarela é uma boa pedida para acompanhar um vinho. E já que é um queijo de origem italiana, não poderia faltar uma sugestão de vinho da Itália que para ele: O Chianti, o mais famoso dos vinhos Toscanos. Do produtor Le Casine, um Chianti com excelente relação preço e qualidade e que surpreende quando servido com esse queijo, inclusive, faz um bom casamento para um filé à Parmeggiana ou uma Pizza de Mussarela também.

  1. Parmesão (italiano)

Outro clássico italiano é o queijo parmesão. Existem diversas maneiras de usá-lo, mas o brasileiro adora beliscar em uma tábua de queijos ou em lascas sobre as massas. É um queijo duro, gorduroso e salgado, portanto aqui pode apostar em tintos mais encorpados e estruturados, como o Malbec da linha Crios, da vinícola Susana Balbo Wines e que passa por barricas de carvalho ou o Ventisquero Cabernet Sauvignon, da linha Reserva.

 

  1. Queijo coalho (brasileiro)

Pouca gente resiste àquele queijinho coalho assado na brasa. Costuma ser um abre alas no churrasco no Brasil e, sim, tem vinho para harmonizar com ele. Um fato importante é que muitos queijos vão bem mesmo com vinhos brancos. Uma boa opção para o queijo coalho é o Ciconia branco, da região do Alentejo, em Portugal. Os aromas de frutas amarelas e notas cítricas com acidez refrescante fazem este rótulo ser uma ótima opção para o início do churrasco, e vai acompanhar inclusive a linguiça assada.

 

  1. Gorgonzola (italiano)

É um queijo diferente e fácil de identificar pelos famosos “fungos” que o deixam com uma aparência bem peculiar. Para os amantes de queijos e vinhos, o Gorgonzola tem seu espaço na tábua e na harmonização. Entre suas principais características, estão o sabor forte, salgado e com certo amargor no final de boca e é justamente esse amargor que faz um contraponto com os vinhos de sobremesa como o Vinho do Porto. A opção da vinícola Poças do tipo Tawny é bem assertiva. Outra opção que funciona é um branco feito da uva Moscato ou Moscatel, ótimo exemplo do produtor Mezzacorona, que possui muito frescor e acidez em um certo açúcar residual.

 

 

FONDUE DE QUEIJO


Ingredientes:
2 copos de requeijão (200 ml)
2 caixinhas de creme de leite (200 ml cada)
250 gramas de queijo muçarela picado
100 gramas de queijo prato picado
100 gramas de queijo provolone picado
50 gramas de queijo gorgonzola picado
1 colher de café de sal

Modo de preparo:
Em uma panela em fogo médio, coloque dois copos de requeijão, deixe amolecer até começar a levantar fervura. Mexa sempre, tomando cuidado para não queimar. Quando o requeijão estiver amolecido, acrescente as duas caixas de creme de leite e misture bem, juntamente com uma colher de café de sal. Quando começar a ferver, acrescente aos poucos as fatias de queijo muçarela, provolone e prato rasgadas grosseiramente com as mãos, incorpore até que derretam um pouco, mas não muito. Acrescente o queijo gorgonzola picado e mexa até derreter. Sirva em seguida com os acompanhamentos que preferir, como pães, carne, frango ou linguiça.

Lasanha com Requeijão, que leva parmesão ralado na finalização

Para aprender como fazer, confira a receita abaixo:

Ingredientes: 

Para o Molho de Carne
2 colheres (sopa) de azeite
1 cebola grande picada
200g de carne moída
800g de tomates maduros, com pele e com sementes, cortados em cubos
2 xícaras (chá) de água
Sal e pimenta do reino a gosto

Para o Molho de Requeijão
1 e meia embalagem de Requeijão
1 e meia xícara (chá) de leite

Para a Montagem
1 embalagem de Lasanha
130g de presunto de parma fatiado e rasgado
2 a 3 colheres (sopa) de queijo tipo parmesão ralado

Modo de preparo:

Molho de Carne
– Refogue a cebola no azeite até dourar. Junte a carne moída e refogue até ficar soltinha e ligeiramente dourada;
– Acrescente os tomates e refogue até ficarem envolvidos pela carne;
– Junte a água e tempere com sal e pimenta a gosto;
– Tampe a panela e cozinhe em fogo baixo, por cerca de 30 minutos, mexendo de vez em quando, ou até os tomates desmancharem. Acerte o sal e reserve.

Molho de Requeijão
– Junte o requeijão e o leite. Leve ao fogo brando, mexendo sempre até obter um creme homogêneo. Reserve.

Montagem
– Separe um refratário grande (com cerca de 22x36cm). Inicie a montagem com uma camada de molho de carne. Monte a lasanha em camadas sucessivas de massa, molho de requeijão, presunto, molho de carne, massa e assim sucessivamente. Finalize com molho de requeijão;
– Salpique queijo parmesão e cozinhe conforme recomendação do fabricante;
– Sirva em seguida.

Rendimento: até 8 porções
Tempo de preparo: 1h

Posts Relacionados

Atriz e cordelista Bianca Freire estreia “3 Contos de Amor”

“Um espetáculo que vem sendo construído desde que eu...

Programação cultural enriquece Carnaval da PBH

Após 23 dias de celebração intensa em todos os...

Projeto Jardim Musical recebe a cantora Lívia Itaborahy

“Soy Sosa – um Tributo à Mercedes Sosa” com...

Escola Livre de Artes Arena da Cultura abre inscrições

Dando continuidade no propósito de ensino da arte como...

Literíssima lança antologia feminina, Elas, a saudade, o amanhã

A Editora Literíssima realiza noite de autógrafos e lançamento da nova...

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui