21.4 C
Belo Horizonte
sex, 19 julho 24

Arrigo Barnabé canta Roberto e Erasmo

Depois de “Caixa de Ódio”, um mergulho no universo das canções de Lupicínio Rodrigues, agora Arrigo Barnabé interpreta Roberto Carlos e Erasmo Carlos no surpreendente “Quero que Vá Tudo pro Inferno!”

Depois de “Caixa de Ódio”, um mergulho no universo das canções de Lupicínio Rodrigues, agora Arrigo Barnabé interpreta Roberto Carlos e Erasmo Carlos no surpreendente “Quero que Vá Tudo pro Inferno!”

Sobre o elogiado show, escreveu Eliete Negreiros, cantora, compositora e estudiosa da canção popular brasileira: “Acompanhado pelos músicos Paulo Braga, no piano e Sérgio Espíndola, no violão, Arrigo reinterpreta as canções de Roberto e Erasmo de um modo novo, original e cuidadoso: inova mantendo e realçando o sentido original delas. Partindo do sentido das canções, Arrigo traz a jovem guarda à tona, recriando as canções de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, que habitam nosso imaginário, com outros tons, em “Quero que vá tudo para o inferno”.

O inusitado repertório transita por temáticas distintas. Há canções acentuadamente românticas, líricas: Como é grande o meu amor por você (Roberto Carlos), Gatinha manhosa (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), Os seus botões (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), Eu te darei o céu (Roberto Carlos e Erasmo Carlos) Detalhes (Roberto Carlos e Erasmo Carlos). Canções irreverentes, inconformadas, mais agressivas: Quero que vá tudo para o inferno (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), Sua estupidez (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), Se você pensa (Roberto Carlos e Erasmo Carlos), Vem quente que eu estou fervendo (Carlos Imperial e Eduardo Araújo).

Presentes também, canções com um toque existencialista – Sentado à beira do caminho (Roberto Carlos e Erasmo Carlos) e As curvas da estrada de Santos (Roberto Carlos e Erasmo Carlos).  Todas elas são dirigidas a um “você”, que é o ser amado, são declarações de amor, coloquiais, confessionais. Há canções de amor ternas, quase sussurradas, Gatinha ManhosaOs seus Botões, e a melancólica Detalhes, que fala da lembrança, dos detalhes que permanecem mesmo depois que o romance acaba, que permanecem até que sejam tragados pelo tempo que transforma todo amor em quase nada.

Arrigo Barnabé é considerado vanguardista e ousado desde que surpreendeu o público e a mídia, em 1979, ao participar do festival de música na extinta TV Tupi, do qual saiu vencedor na categoria de melhor arranjo com a atemporal “Sabor de veneno”. Sua marca registrada foi a de misturar música popular brasileira e rock performático com elementos eruditos, tais como dodecafônismo e atonalismo. Essa química própria acabou gerando uma identidade única, presente em toda a sua trajetória artística.

UMA VOZ, UM INSTRUMENTO APRESENTA ARRIGO BARNABÉ SHOW “QUERO QUE VÁ TUDO PRO INFERNO!”

Data: 30 de julho (domingo)

Horário: 21 horas

Local: Centro Cultural Unimed – BH Minas (Rua da Bahia, 2244 – Lourdes)

Ingressos: R$ 40,00 (inteira) / R$ 20,00 (meia) –

Bilheterias do teatro e no site eventim.com.br

Classificação: Livre

Outras informações: (31) 3516-1360 / minastenisclube.com.br/cultura

Criação, Produção e Comunicação: Alves Madeira Comunicação e Produção

Realização: CENTRO CULTURAL UNIMED-BH MINAS 10 Anos

Posts Relacionados

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui