25.8 C
Belo Horizonte
ter, 18 junho 24

“ARREPSIA” CUMPRE TEMPORADA NO ZAP 18

Trabalho da IncompetênCia traz à tona reflexão sobre ancestralidade, identidade de gênero e raça

Provocativo, o espetáculo “Arrepsia”, da jovem IncompetênCia – Incompetente Cia. de Teatro, formada por Gabi Vieira, Malu Dimas, Rafa Calú e Sarah Vá, debate diante do espectador, a partir de um âmbito trabalhista, a tentativa de invisibilização de sua ancestralidades, relações de gênero e de raça.

“Arrepsia” é autoetnográfico (relação do indivíduo com o meio sociocultural em que está inserido). Ou seja, o espetáculo parte da história de Calú, Gabi, Malu e Sarah, que, embora já atuassem na área teatral, precisaram trabalhar em outras funções, uma delas enquanto garçonetes, para buscar o sustento. Essa necessidade se deu por conta do sucateamento das políticas públicas culturais e da monopolização das verbas de fomento artístico por entidades já estabelecidas.

O elenco ainda se viu diante da falta de dramaturgias que contemplassem sua existência enquanto “corpas” plurais. “Buscamos refletir a realidade de grande parte de atrizes e de atores brasileiros, que não conseguem viver de sua arte e acabam tendo que buscar outras alternativas para se sustentar, mas, mesmo estando em um ambiente de bar, a gente não consegue deixar de criar e refletir nossos sonhos”, declara Malu Dimas, afirmando que o espetáculo reflete “os corres diários” do povo brasileiro.

A partir desse cenário, as atrizes se viram diante da urgência de criar a companhia IncompetênCia – Incompetente Cia. de Teatro, na qual pudessem desenvolver metodologias teatrais autorais, possibilitando a criação de dramaturgias que englobassem suas inquietações em cena. Logo, a desvalorização dos profissionais de teatro, assim como a invisibilidade do trabalhador brasileiro, são os azeites do espetáculo “Arrepsia”, que é um prato cheio para quem tem fome de arte reflexiva. “Arrepsia é leve, poético, boêmio, engraçado, político e dramático, tudo na mesma intensidade. E se isso tudo não te convenceu a assistir, durante o espetáculo, tem breja de graça”, brinca Gabi Vieira.

A criação e a dramaturgia de “Arrepsia” são autorais, criadas coletivamente pela IncompetênCia – Incompetente Cia. de Teatro. O espetáculo conta com a direção de Tiago Agar, direção musical de Talita Sanha e  provocação artística de Ernani Maletta, artistas convidados pelo grupo. Aprovada no edital Descentra, a circulação de “Arrepsia” é realizada com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. “Apresentar esse espetáculo em regiões periféricas é retornar à origem, é reconhecer a nossa casa e a nossa comunidade como precursoras da arte e cultura”, celebra Rafa Calú, salientando que a temporada vai contribuir com o acesso à cultura na capital mineira.

ENREDO

Em cena, o público estará diante de quatro garçonetes. Todas elas são atrizes, e todas elas estão ralando pelo sustento, já que viver da arte ainda é um horizonte distante. Entre um atendimento e outro, o quarteto debate sobre negritude, gênero, classe social e, claro, sobre o contexto trabalhista de um país latino-americano. Apesar da intensidade dos temas abordados, a IncompetênCia – Incompetente Cia. de Teatro é debochada, usa e abusa da ironia-crítica  para passar o recado. O público um, nesse universo, é o cliente do bar. Ou seja, o espetáculo é sensorial, intimista e imersivo.

COMPANHIA
A IncompetênCia – Incompetente Cia. de Teatro é formada por quatro artistas que se conheceram no Teatro da Escola de Belas Artes, da UFMG. A consciência acerca das problemáticas vividas por elas e o desejo de mudar essa realidade foi o ponto de união entre o grupo, assim como a pesquisa sobre as suas identidades.O próprio nome do grupo, IncompetênCia, é um flerte com a denominação pejorativa na qual as artistas eram classificadas pela imposição cisnormativa branca e burguesa. Além de “Arrepsia”, o grupo assina o projeto audiovisual “Histórias de Quintal” e o ciclo formativo “Recontando a Nossa Contagem”, ambos executados no ano de 2021. Após a atual temporada de “Arrepsia”, o quarteto voltará para a sala de ensaio, tanto para o desenvolvimento de um espetáculo inédito e de produções de audiovisual, quanto para traçar os planos de levar “Arrepsia” para outros territórios nacionais e internacionais.

“Arrepsia”, da IncompetênCia – Incompetente Cia. de Teatro

4 de novembro, às 19h

ZAP 18 (rua João Donada, 18, Santa Terezinha)

R$ 15 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada)

10 e 11 de novembro, às 19h

Centro Cultural Venda Nova (rua José Ferreira dos Santos, 1843, Jardim dos Comerciários)
Entrada franca (ingressos distribuídos no local uma hora antes da apresentação)

Posts Relacionados

Betim abrirá nova unidade da Mundo Animal Lanchonete Temática

Uma nova unidade da franquia Mundo Animal Lanchonete Temática...

“Paco Pigalle: La Fiesta” chega à sua terceira edição em BH

“Paco Pigalle: La Fiesta” ganha sua terceira edição em...

Projeto social impulsiona futebol feminino e transforma vidas

Um projeto em Minas Gerais vem se destacando por...

João Ventura em Belo Horizonte no Clube de Jazs

O pianista, cantor e compositor João Ventura se apresentará...

Começa o Festival do Queijo Artesanal de Minas

Teve início nesta quinta-feira (13/6), a 6ª edição do...

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui