Últimas do Cenário Gastronômico

Segunda sem carne – Berinjela à Parmegiana

Algumas pessoas já estão familiarizadas com o movimento “segunda sem carne”. O movimento é exatamente como o nome sugere. É uma proposta para que você tire a carne do seu cardápio pelo menos uma vez na semana.Aqui no Brasil, a Segunda Sem Carne é uma campanha da Sociedade Vegetariana Brasileira em parceria com a Secretaria do Verde e do Meio-Ambiente da Prefeitura de São Paulo com a ideia é trazer um primeiro contato de um carnívoro com o vegetarianismo.
Rendimento: 4 porçõesTempo de Preparo: 50 minutosCalorias: 430 a porçãoIngredientes:2 berinjelas grandes500ml de água1 colher (chá) de sal3 colheres (sopa) de Vinagre de Vinho Branco2 ovos2 xícaras (chá) de farinha de rosca2 colheres (sopa) de Azeite de Oliva Castelo200g de muçarela picadaMolho de Tomate:1 cebola pequena picada1 dente de alho amassado1 colher (sopa) de Azeite de Oliva Castelo1 lata de tomate pelado2 colheres (sopa) de Vinagre Balsâmico Tradicional Castelo1 colher (chá) de salModo de Preparo:Corte as berinjelas em 16 rodelas médias e deixe de molho na água, no sal e no Vinagre de Vinho Branco Castelo.Prepare o molho. Refogue a cebola e o alho no Azeite de Oliva Castelo. Junte o tomate pelado picado, o Vinagre Balsâmico Tradicional Castelo e o sal. Deixe apurar. Reserve.Retire as rodelas de berinjela da água e escorra bem. Coloque os ovos em uma tigela e bata com um garfo. Passe as rodelas pelo ovo e empane na farinha de rosca. Vá colocando em uma assadeira grande untada com metade do Azeite de Oliva Castelo, uma do lado da outra e pincele com o restante do Azeite de Oliva Castelo. Leve ao forno médio (180℃), pré-aquecido, por cerca de 30 minutos ou até dourar. Retire e deixe amornar.Montagem: coloque em um refratário grande, metade do molho de tomate. Por cima, distribua 8 rodelas de berinjela, uma ao lado da outra, deixando um espaço entre elas. Distribua três quartos da muçarela sobre as rodelas e cubra com o restante das rodelas. Cubra com o restante do molho e da muçarela. Volte ao forno por mais 15 minutos para aquecer bem e sirva.

Cachaça de Jambu e Licor de Banana estrelam drinks

A coquetelaria autoral vem, cada dia mais, ganhando destaque e espaço na gastronomia brasileira. Bares e restaurantes desenvolvem receitas exóticas e únicas, utilizando insumos diferenciados e criando resultados surpreendentes, indo muito além dos drinks tradicionais. Misturando sabores e texturas, bartenders dão luz a criações cheias de personalidade, que se tornam experiências únicas que devem ser degustadas a cada gole.Pensando neste público sedento por novidades, o Miltes, bar e sanduicheria recentemente inaugurado na capital paranaense, se destaca por oferecer, além de um cardápio elaborado com insumos frescos provenientes de fornecedores paranaenses, uma carta de drinks surpreendente, com diversas opções saborosas que misturam ingredientes super característicos do Brasil, como cachaça de jambu, licor de banana e licor de tangerina.Entre os destaques da carta, fica o “Milte”, feito com Amaretto, gin, Campari, xarope de maracujá e limão siciliano, com característica agridoce, amendoado e cítrico (R$ 35). Outro preparo que surpreende é o “Mike e Pantera”, feito com cachaça de jambu, limão, xarope simples e tônica, uma combinação spicy, cítrica e refrescante (R$ 28). Mais combinações exóticas no “Nala” (R$ 32), preparado com vodka, licor de banana, Vermute Dry e Bitter, conferindo ao drink um toque adocicado em adição ao clássico Dry Martini.É claro que os apreciadores de preparos clássicos também podem se deliciar com drinks como o Amaretto Sour (R$ 30), Daiquiri (R$ 26), Fitzgerald (R$ 28) e Moscow Mule (R$ 29), além de caipirinhas de limão e maracujá (R$ 28 cada), ambas feitas com cachaça.CervejasPropondo um leque completo de opções, os fãs de cervejas artesanais poderão saborear a excepcional Morada Gasoline Sour (R$ 90), cerveja Scotch Ale envelhecida em barril de carvalho francês durante 2 anos, que anteriormente continham vinho do  Porto; e a Morada Double Vienna (R$ 90), uma American Amber Lager com sabor de malte tostado, caramelo e leve frutado. O Miltes também tem carta de vinhos variados, com valores a partir de R$ 55 a garrafa ou R$ 35 meia garrafa, e as espumantes Borbulho Rosê e Borbulho Branco (R$ 90 cada), também da Morada Etílica.O Miltes Bar funciona na Rua Visconde do Rio Branco (nº 174), com horário de abertura nas terças, quartas, quintas, das 17h às 23h; nas sextas, das 17h às 00h; aos sábados, das 12 às 0h, e aos domingos, das 12h às 23h. Para mais informações, acesse o perfil oficial do bar Instagram: @miltes.cwb. 

Senac promoveu aulas interativas na área da gastronomia

A Faculdade de Gastronomia do Senac, em Belo Horizonte, ofereceu nesse sábado (24),  o projeto “Momento Senac Gastronomia”. A iniciativa gratuita e teve como objetivo proporcionar uma experiência imersiva no universo da gastronomia.Durante o evento, os participantes viveram uma programação repleta de informações, a começar com a palestra da professora de cultura alimentar e educação do gosto do SENAC Minas, Carolina Figueira, que falou da experiência sensorial e sua importância da “Educação do gosto: a importância do treinamento sensorial”.A experiência sensorial na gastronomia é essencial para aguçar os paladares e ela começa a ser promovida através de uma junção entre sentimentos, sensações e sentidos. Quando degustamos um alimento, utilizamos os nossos sentidos que geram sensações físicas e, através da memória gustativa, despertam sentimentos bons ou ruins associados àquele prato.A programação ainda contou com três aulas práticas, onde os participantes puderam desfrutar de momentos de Cozinha Interativa, onde aprendemos a preparar receitas como Ceviche, Massas e Verrine Doce, sob a orientação de instrutores qualificados.O jornalista Geraldo Félix, da Cenário Minas, convidado pelo Senac, participou do curso de massas, coordenado pelo professor da Faculdade de Gastronomia do Senac-MG, Adriano Vilhena, pós graduando Lato Sensu em Gastronomia e Cozinha Brasileira pela Faculdade Metropolitana de São Paulo, que ensinou aos participantes diferentes tipos de massas bem como de saborosos pratos com diversos recheios e molhos. Alguns tipos de massas são indicados para determinados pratos, porém o que deve prevalecer é o bom senso entre a combinação da apresentação e o sabor.O professor enfatizou a importância da cozinha inclusiva que surge como uma necessidade que vai além da alimentação das pessoas. Ela é um conceito que se refere a uma série de práticas que têm como objetivo incluir pessoas com restrições alimentares na sociedade como um todo e nas atividades de interação social.O Coordenador do Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia Rafael Teixeira de Mattos, destacou “Atualmente o mercado de trabalho em gastronomia tem experimentado um crescimento significativo, impulsionado pelo aumento da demanda por experiências gastronômicas diferenciadas e pela valorização da culinária como uma forma de expressão cultural, bem como a expansão dos setores de turismo e hospitalidade e quem sabe até despertar neles o interesse em se dedicar profissionalmente à área”.Por fim as aulas encerraram com uma Cozinha Show, comandada pelos chefs do Senac, que demonstraram as técnicas e segredos da gastronomia e uma Mesa-redonda – Carreiras profissionais da gastronomia: mercado, desafios e oportunidades. 

Aulas de Cozinha Interativa do Senac neste sábado

A Faculdade de Gastronomia do Senac em Belo Horizonte, por meio do curso superior Tecnólogo em Gastronomia, oferece na manhã do sábado,  o projeto Momento Senac Gastronomia. A iniciativa gratuita pretende oferecer uma experiência temática, com imersão no universo gastronômico, informações relevantes do setor e aula show na cozinha didática do Senac, no bairro Barro Preto.

“Atualmente o mercado de trabalho em gastronomia tem experimentado um crescimento significativo, impulsionado pelo aumento da demanda por experiências gastronômicas diferenciadas e pela valorização da culinária como uma forma de expressão cultural, bem como a expansão dos setores de turismo e hospitalidade. O evento proporcionará aos participantes momentos práticos e atividades relacionadas à Gastronomia e quem sabe até despertar neles o interesse em se dedicar profissionalmente à área”, destaca o Coordenador do Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia Rafael Teixeira de Mattos.

No cardápio do evento, os interessados vão poder participar de momentos de Cozinha Interativa, com o preparo guiado de receitas como Ceviche, Massas e Verrine Doce, Cozinha Show, comandada pelos chefs do Senac, e atividades de treinamento sensorial.  Além disso, vão poder conhecer a Faculdade Senac e vislumbrar as possibilidades de carreiras na gastronomia, com contato direto com profissionais da área.

Curso Superior Tecnólogo em Gastronomia

Segundo dados do Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, os ingressos em cursos superiores na área de gastronomia mais que dobraram nos últimos 10 anos e hoje alcançam mais de 35 mil matrículas por ano em todo o país. O Senac é referência nacional na qualificação e formação de profissionais do setor, com cursos de qualificação e de nível superior.

“A Faculdade de Gastronomia do Senac Minas tem contribuído para aumentar a oferta de profissionais qualificados para atuação nos mais diversos segmentos, com curso atual, alinhado às demandas do setor e fazendo valer sua tradição educacional em hospitalidade e turismo”, comenta Rafael Teixeira de Mattos.

O Curso Superior Tecnólogo em Gastronomia da Faculdade Senac forma gastrólogos capazes de empreender, inovar, agir, assim como se posicionar de maneira crítica no mercado de Alimentos e Bebidas (A&B), seja em contratos de trabalho ou seus próprios negócios. A formação está com matrícula abertas nos turnos da manhã e da noite. Mais informações no site do Senac.

 

Serviço: Momento Senac Gastronomia – BH

Quando: sábado, 24/02, a partir das 9h

Local: Senac em Belo Horizonte – Barro Preto: Rua dos Goitacazes, 1159 – Barro Preto

Inscrições gratuitas: https://doity.com.br/momento-senac-gastronomia–bh

Mais Informações: Telefone 0800 724 44 40 ou WhatsApp 31 3057-8600

Envase do TNT Energy Drink na fábrica de Uberaba

O TNT Energy Drink, energético do Grupo Petrópolis, começa a ser envasado na fábrica de Uberaba. Com o objetivo de atender à demanda, cada vez mais crescente por esse tipo de bebida, a empresa iniciou o envase dos energéticos na unidade do Triângulo Mineiro, que possui capacidade para envasar 65 mil latas por hora para as de 269ml e 55 mil por hora para as latas de 473ml. Com o início do envase em Uberaba, a capacidade de produção do energético, praticamente, irá triplicar.

Lançado em 2009, o TNT Energy Drink é a linha de bebidas que entrega energia para aproveitar cada momento da vida com ânimo e disposição. Ao todo, a gama de produtos conta com sete opções de sabores: Original, Tangerina, Açaí com Guaraná e Maçã verde; a linha Focus com versão Original e Pink Lemonade – possuem o ingrediente Colina que auxilia no foco e concentração para estudar, trabalhar ou jogar; e Mango Summer, da linha Juice.

Inicialmente, apenas o sabor Original será envasado na unidade de Uberaba, maior fábrica do Grupo Petrópolis. Até então, o produto era produzido exclusivamente na unidade de Teresópolis/RJ, com capacidade de 20 mil latas por hora para as de 269ml e 11 mil por hora para as latas de 473 ml.

“Gradativamente teremos toda a linha de TNT Energy Drink sendo envasada em Uberaba. Queremos aumentar a eficiência de produção do TNT e, sobretudo, acompanhar o cenário nacional, uma vez que o consumo dos energéticos mais do que dobraram entre os brasileiros na última década”, destaca Everaldo Miranda, gerente geral da fábrica do Grupo Petrópolis em Uberaba.

Com 6 linhas de produção, a unidade do Grupo no Triângulo Mineiro foi inaugurada em agosto de 2020 e possui, atualmente, capacidade de produção de 12 milhões de hectolitros/ano, fomentando cada vez mais o desenvolvimento e a economia local, priorizando e oportunizando empregos para os Uberabenses.

A fábrica atende aos estados de Minas Gerais, Goiás, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo, além do Distrito Federal. Além do energético TNT, a planta produz, também, as cervejas Itaipava, Petra, Cacildis, Black Princess, Crystal e Lokal, e os refrigerantes IT!

Conheça a história do chef mineiro Paulo Rocha

Foi em Chapada do Norte, cidade quilombola com mais de 90% da população negra, localizada no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, que nasceu o chef confeiteiro Paulo Rocha. Com mais de 100 mil seguidores apenas no Instagram e destaque de programas como Iron Chef Brasil (Netflix), Que Seja Doce e Esse Doce Tem História (GNT), teve seu primeiro contato com a cozinha através da avó materna, Dona Zizi, quitandeira que fazia pães, bolos e doces para vender na barraca que tinha na feira.Sendo o mais velho de cinco irmãos, Paulo partiu da terra natal rumo à capital paulista aos 13 anos para morar com o pai – a mãe ficou em Minas porque precisava de cuidados por questões de saúde e os irmãos ficaram sob os cuidados das avós-, em busca de melhores condições de vida. E foi com o pai, inclusive, que aprendeu a cozinhar, a fazer arroz, feijão, carne para que ele pudesse cuidar da casa e preparar o próprio alimento. Inconscientemente, seu relacionamento com a gastronomia já tinha começado. Aos 16, veio a oportunidade do primeiro emprego em uma confeitaria na Zona Leste de São Paulo.“Quando  eu cheguei na confeitaria pela primeira vez, tive a certeza de que era aquilo alique queria fazer, tinha a certeza que queria ser confeiteiro e essa certeza veio muito junto com a minha avó. Nunca deixo de mencionar ela por onde eu vou, porque ela é a peça principal, a chave para eu ter me tornado um grande confeiteiro. Então, comecei minha carreira em 2004 nessa confeitaria de bairro popular, mas sempre tive um sonho de conhecer a alta gastronomia, a alta confeitaria. Trabalhei lá por cinco anos e depois passei por vários lugares até 2014, quando cheguei na alta confeitaria, na Jelly Bread, onde  fiquei por 2 anos e conheci a chef confeiteira Amanda Lopes. Foi ela quem me deu a oportunidade, me ensinou todas as bases da confeitaria francesa, que me fez o profissional que sou hoje”, conta o chef.Chef de confeitaria francesa sem nunca ter pisado na FrançaDepois do trabalho, a formação. Com alguns anos de experiência, em 2016 Paulo entrou na faculdade de gastronomia em São Paulo, no SENAC e começou a trabalhar no Jockey Club em 2017, clube frequentado pela elite paulistana onde ele assumiu o posto de chef confeiteiro no Villa Jockey e passou a trabalhar também em eventos da alta sociedade.Dois anos depois, Paulo viu no Instagram um vídeo do renomado chef francês Erick Jacquin anunciando que estava montando uma equipe para o seu novo restaurante, que em poucos anos se tornaria uma rede. Foi contratado. “Fui contratado porque Amanda Lopes, minha mentora, foi confeiteira dele. Ela me ensinou muito, muito mesmo e ele viu isso no meu currículo. Quando conheci o Jacquin pude colocar todos os meus aprendizados em prática e me especializar em alta gastronomia francesa sem nunca ter ido à França, através de muito empenho, estudo, convivência com profissionais que conhecem o país e foi esse trabalho que me levou à gerência do setor de pâtisserie de toda rede dele. Tenho consciência da responsabilidade que tenho em ocupar um lugar como esse e ser referência para pessoas negras, como eu”, comenta Paulo.

Da presença no Instagram aos reality shows

Volta para 2017. Paralelo ao trabalho no Jockey Club e à faculdade, Paulo começou a produzir conteúdo no Instagram com o objetivo de passar para as pessoas seu conhecimento, sobretudo para as pessoas negras que ele não via nos ambientes que passou a frequentar e queria incentivar, despertar o interesse dos seus pares pela gastronomia. No entanto, essa presença digital o levaria a alçar voos mais altos do que ele pensava.“Então, em 2019 a equipe da GNT entrou em contato comigo pelo Instagram, me chamando pra participar do programa Que Seja Doce. Aceitei o convite, participei e fiquei em segundo lugar na competição. Depois, em 2021, veio o convite da Netflix também pelas redes sociais para o Iron Chef Brasil, um programa com um formato diferente que estava vindo pro Brasil pela primeira vez. Aceitei o desafio um pouco receoso, mas sabia que estava pronto e estava preparado. Fui vencedor da minha batalha.  O terceiro contato foi novamente com a GNT para o programa Esse Doce Tem História, já como apresentador, trazendo as receitas, contando histórias. Tenho muito orgulho desse trabalho e foi um efeito cascata, que me rendeu também participações no MasterChef”, destaca o chef.Agora, com quase 20 anos de experiência, os principais objetivos para o futuro são fortalecer sua imagem como referência em alta gastronomia francesa no Brasil e ser referência para cada vez mais pessoas como ele. “Quero que todo mundo acredite que pode ser o que quiser, estar onde quiser. Não vai ser fácil, mas não é impossível e eu sou a prova viva disso  porque estou aqui e eles podem olhar para mim e falar: “se ele chegou, eu também posso chegar”. Esse é meu maior desejo”, finaliza Paulo.

Petra é a cerveja oficial do Carnaval dos Sonhos

A Petra, cerveja puro malte do Grupo Petrópolis, é a patrocinadora oficial da primeira edição do Carnaval dos Sonhos, resultado da união do Carnaval do Mirante com o We Love Carnaval, duas das melhores festas do calendário de “beagá”. A nova festa contará com uma série de ativações exclusivas da marca para os mais de 50 mil foliões presentes no evento, entre os dias 9 e 13 de fevereiro.

“Estamos muito felizes de Petra se unir à primeira edição do Carnaval do Sonhos. Estamos cada vez mais próximos do público mineiro, nos bares, no dia a dia, e, agora, neste evento tão esperado, que reúne o melhor dos dois maiores carnavais da cidade”, afirma Murilo Marchi, gerente de Marketing de Petra. “Desejamos também que o público aproveite a folia do seu jeito, com muita alegria e sabedoria”, completa Murilo.

Para celebrar esta festa, a cerveja Petra fará diversas ativações especiais, entre elas um bar exclusivo e espaços instagrameáveis. “Além de oferecer cerveja de qualidade a todos os presentes no evento, queremos garantir que o camarote open bar proporcione uma experiência extraordinária com uma vista privilegiada para o palco, banheiros e bares exclusivos, com direito a after party e momentos inesquecíveis com Petra”, comenta José Luiz Sinti, gerente de Patrocínios do Grupo Petrópolis.

Para amplificar as conversas nas redes sociais sobre o Carnaval dos Sonhos, a marca escalou um squad com mais de 20 influenciadores locais que farão a cobertura do evento nas redes sociais, dentre eles, a mineira Ana Luiza Andrade, que compartilha sua rotina para mais de 1 milhão de seguidores.

“Contaremos com um time de influenciadores mineiros para nos ajudar a mostrar a essência de Petra no Carnaval da cidade e para estabelecer uma conexão genuína da nossa cerveja puro malte com o público mineiro, além de fortalecer a nossa presença no local que recebe foliões de todos os cantos do país”, finaliza Diego Santelices, head de Comunicação e Marketing do Grupo Petrópolis.

Realizado no Mirante Beagá, em Belo Horizonte, o Carnaval dos Sonhos reunirá Ivete Sangalo, Jorge & Mateus, Wesley Safadão, Ludmilla, Sorriso Maroto, Baile do Dennis, Pedro Sampaio, Gustavo Mioto, entre outros.

Para mais informações acompanhe as redes sociais @cervejapetra.

Do campo para a folia: De onde vêm os insumos do carnaval

Você sabia que o trabalho no campo tem importante contribuição para a alegria dos foliões durante o carnaval? Desde os componentes básicos da cerveja, até o algodão que faz as fantasias que enfeitam as ruas da cidade, muitos itens presentes na festividade têm origem no campo fazendo com que a folia seja Movida pelo Agro!

Cerveja

Seja nas festas de rua ou nos bares, a cerveja é a queridinha dos brasileiros durante o carnaval. A bebida é quase tão onipresente quanto a música e a dança, contribuindo para manter em alta o espírito festivo e a energia durante os dias de comemoração. Mas você já pensou no quanto há de agricultura em uma simples garrafa de cerveja? O lúpulo, que é um dos quatro ingredientes básicos, juntamente com malte, água e levedura, já está sendo produzido no Brasil e, somente em Minas Gerais, o cultivo dessa planta, responsável pelo amargor da cerveja, quintuplicou em 2023.

Segundo levantamento anual da Associação Brasileira de Produtores de Lúpulo (Aprolúpulo), antecipado ao Valor, a área plantada no estado cresceu 415% em relação a 2022, passando para 20,6 hectares, enquanto a produção somou 19,8 toneladas. O plantio, que surge como oportunidade para pequenos e médios produtores rurais, é fruto do crescente mercado de cervejas especiais, com destaque para as bebidas artesanais que necessitam desse ingrediente fresco, encurtando a distância do campo ao copo.

Churrasco

Se o churrasco é tradição nos finais de semana e feriados, no carnaval ele é uma excelente opção para reunir amigos e familiares, seja antes ou depois de um bloquinho ou para quem quer fugir do auê que toma conta das ruas. A carne, indispensável nessas ocasiões, é garantida pelo agro: Minas Gerais é o 4º estado no país em rebanho de bovinos e de suínos e o 5º em galinhas e frangos, ou seja, tem participação relevante em todos os itens que chegam à mesa. Até mesmo o arroz e o vinagrete são provenientes da atividade agropecuária.

O carvão vegetal usado para acender a churrasqueira também vem do trabalho de milhares de produtores rurais. Minas tem a maior área de florestas plantadas do Brasil, superando os 2,1 milhões de hectares. A produção de carvão vegetal corresponde a 81% de todo valor gerado pela produção florestal no estado. E a produção mineira de carvão representa 86,4% da produção nacional do produto.

Fantasias e maquiagem

O agro é, também, fornecedor de insumos e matérias-primas para indústrias de diversos segmentos. O algodão, por exemplo, é considerado uma das fibras naturais mais importantes do mundo, devido às suas propriedades, sendo usado em cosméticos, na confecção de roupas e outros itens do dia a dia. Das fantasias às maquiagens, o algodão está presente em vários itens do carnaval.

Minas Gerais alcançou em 2023 a maior produtividade de algodão em pluma do país, de acordo com a Associação Brasileira de Produtores de Algodão (Abrapa). Na safra 2022/2023, a produção atingiu média de 2.045 kg por hectare. A principal região produtora de algodão em Minas é a Noroeste, responsável por 48% do volume estadual em 2021. Em seguida, está o Triângulo Mineiro, com participação de 34%.

Cachaça

Nem só de cerveja vive o folião. A cachacinha, que pode ser tomada pura ou na caipirinha, também é fruto de uma importante atividade produtiva em Minas Gerais. O estado é o maior produtor de cachaça de alambique do país. O processo tradicional de fabricação da bebida é declarado como patrimônio cultural pela lei estadual nº 16.688, de 11 de janeiro de 2007. Segundo o Anuário da Cachaça 2021, publicado pelo Ministério da Agricultura em outubro de 2022, já são mais de 350 cachaçarias e aproximadamente 1,8 mil marcas registradas em Minas Gerais, cerca de mil a mais do que São Paulo, segundo lugar no ranking.

Etanol

E quem vai aproveitar o feriado para pegar a estrada, saiba que o etanol que abastece o veículo é combustível proveniente do agro. Feito a partir da cana-de-açúcar, é uma fonte limpa e renovável de energia, que tem relevante contribuição para minimizar os efeitos dos gases prejudiciais ao meio ambiente e para alcançar as metas de descarbonização da economia.

Um dos pilares do agronegócio brasileiro, a produção de cana transformou o Brasil em campeão mundial no mercado sucroenergético. Nas últimas décadas, a cultura passou por uma revolução tecnológica, com ampliação de práticas sustentáveis. A cana é a principal fonte de energia renovável no país, correspondendo a 18% da matriz nacional. Minas Gerais é o terceiro maior produtor de cana-de-açúcar do Brasil, responsável por 12,17% da produção nacional.

Läut investe nos Carnavais de BH e no Rio

A Cervejaria mineira Läut marca presença fortemente nos carnavais de Minas e do Rio de Janeiro, hoje os maiores do país. Isso mostra a força de uma marca mineira nos mais importantes eventos que marcam o Carnaval. Em BH a Läut terá um QG exclusivo que será montado com todos os produtos da cervejaria e mais o Venm, novo lançamento da CIA, este QG estará em plena Avenida dos Andradas, bem central, onde os foliões poderão adquirir os produtos da cervejaria. Este será um dos pontos onde a nova sonorização está instalada, melhorando a infraestrutura da folia mineira. “Investimos no Carnaval de BH mais uma vez porque acreditamos e queremos a Laut presente nessa grande festa popular”, fala Henrique Miranda.

Nesse bar serão vendidos também growlers descartáveis de chope e Venm, isso e uma novidade. Além disso, a Laut será patrocinadora oficial dos blocos Me Deixa que sai da Savassi no dia 12 de fevereiro e o Insanidade que sai da Praça da Bandeira no dia 11, além da festa do Mercado do Cruzeiro.

Também terá ambulantes fixos Läut durante todo o Carnaval.

Já no Rio de Janeiro a Läut marca uma presença marcante este ano, em um Carnaval  que é super disputado que é a Sapucaí. “Estivemos presente em todos os ensaios técnicos na Sapucaí, das escolas de acesso através da parceria da Liga RJ e estaremos presentes também dentro do desfile oficial das escolas de acesso da Sapucaí. Faremos um lançamento oficial do Venm também no Rio”, fala Henrique. Ainda vale ressaltar que a Läut esteve presente durante todo o mês de janeiro nos ensaios das escolas e pavilhões, em algumas delas esse trabalho será durante todo o ano.

“Ficamos muito felizes com essa parceria, de como o Rio e a Sapucaí nos abraçou. Tenho certeza que é uma parceria de muito respeito e sucesso”, diz Henrique Miranda CEO da Cervejaria LÄUT.

Läut e Equilibrista se unem para criar novo drink

Com intuito de criar uma bebida refrescante, e muito saborosa, a Läut e a Equilibrista se uniram em uma parceria inédita para criar o Venm, uma bebida mista que fará sua grande estreia no carnaval deste ano e está prometendo ser um grande sucesso. A recepção no mercado já é um sucesso. Trata-se de uma bebida mista gaseificada, a base de gin,  tangerina, manjericão e capim limão, com 7,9% de álcool, e vendida em latas de 355  ml. É uma tendência do mercado drinks em lata, e o mercado deste nicho está em franca expansão.

“Essa será uma bebida extremamente refrescante e saborosa, estamos apostando nessa qualidade e vamos lançar no Carnaval aqui em BH e no Rio”, fala Henrique Miranda, CEO da Laut.

O Venm será vendido em lata nos bares, restaurantes e ambulantes, e no QG da Läut que será montado este ano com exclusividade na Avenida dos Andradas em forma de lata e growlers.

https://www.cervejarialaut.com.br/

https://www.instagram.com/lautbeer/

https://www.instagram.com/venmoficial/

Chef mineira leva o sabor de Minas Gerais para a RivieraFrancesa

No coração do litoral francês, em Nice, uma chef brasileira está conquistando os paladares dos amantes de gastronomia ao introduzir pratos tipicamente mineiros ao cardápio do resturante onde trabalha. Anna Alves, nascida e criada em Ibirité, Minas Gerais, deu início a este ano surpreendendo os cliente ao incluir o feijão tropeiro ao buffet do estabelecimento.O prato, incontestavelmente mineiro, passou a fazer parte do menu do Único Rodízio Nice, segundo Anna, não apenas para enriquecer o buffet, mas também para oferecer aos clientes uma experiência gastronômica autêntica e inovadora, já que é difícil encontrar o item nos cardápios europeus.“Minas Gerais tem uma tradição gastronômica rica e única, e eu queria trazer um pouco desse sabor para a Riviera Francesa. O feijão tropeiro é mais do que uma refeição para mim. Considero comouma expressão de identidade, e estou empolgada em poder compartilhar isso com os apreciadores da boa comida aqui em Nice.”, disse a chef de cozinha.O feijão tropeiro éuma iguaria feita a partir da mistura de feijão cozido, farinha de mandioca, bacon, linguiça, ovos e temperos. Originário das tradições dos tropeiros que percorriam as estradas de Minas Gerais, esse prato representa não apenas uma refeição, mas também uma parte importante da história e cultura da região.

Aprenda a fazer o delicioso feijão tropeiro:

Ingredientes200gm de fradinha picadinha150 g de bacon de peru picadinho200g Chorizo defumado250 g de linguiça de peru defumada picadinha1 xícara (café) de azeite2 cebolas picadinhas6 dentes de alho amassados500 g de feijão cozido e escorrido1 cubo de caldo de carne4 ovos fritos inteiros e picadinhoscheiro-verde a gosto100g de Couve10g mostarda10g de manteiga1 laranja300g farinha de mandioca grelhadaSal e pimenta à gostoModo de preparoCozinhe e feijão até ele ficar levemente ao dente, escorra-o e reserve. Depois, em uma vasilha, coloque a fraudinha já cortada em pequenos cubose tempere com sal, 1 dente de alho, suco de laranja e mostarda. Reserve o conteúdo após esse processo.Depois, coloque o azeite em uma panela e frite o chorizo, o bacon e a linguiça separadamente, depois reserve. Aproveitando essa mesma panela, refogue a fraudinha marinada.Depois que ela estiver bem dourada, reserve-a.Na mesma panela, acrescente a manteiga e refogue a cebola e o alho. Depois acrecente o feijão escorrido e o caldo de carne.Junte novamente o bacon e a linguiça, acrescente a farinha de mandioca e os ovos fritos separadamente.Por fim, acrescente bastante cheiro-verde e couve picada. Depois disso, é só acertar o sal e a pimenta para servir!

Chef Anna Alves

Natural de Belo Horizonte e criada em Ibirité, Anna Paula Alves, uma mineira cheia de sonhos, alimentava aos 17 anos o desejo de se tornar uma renomada chef de cozinha. Na época, ela não fazia ideia de que, aos 32 anos, estaria fazendo história na França, o berço da gastronomia mundialmente reconhecida.Sua trajetória profissional teve início aos 17 anos, quando assistiu ao primeiro episódio do programa “top chef”. Foi nesse momento que decidiu transformar ingredientes simples em algo extraordinário, inspirada pela habilidade do chef em cortar e transformar a salsinha em pó. “Fiquei tão impressionada que decidi me dedicar a fazer o mesmo”, compartilhou.Ao completar 18 anos e concluir o ensino médio, Anna Alves ingressou em um curso profissionalizante de culinária no SENAC, com o objetivo de levantar fundos para a faculdade. Contudo, os planos divinos para sua vida eram grandiosos. Seu talento e paixão pela culinária foram reconhecidos por um “anjo da guarda” que financiou seus estudos na Faculdade Estácio de Sá, a única instituição em Belo Horizonte com um curso de gastronomia academicamente reconhecido na época.Desde então, Anna trabalhou em prestigiadas casas italianas na cidade, tornando-se chef pela primeira vez aos 19 anos na Domenico Pizzeria, onde permaneceu por dois anos antes de decidir se aventurar na França. “Vim para a França para passar 40 dias, visitar meus primos, conhecer a neve e aproveitar o réveillon europeu. No fim, acabei ficando por aqui para trabalhar”, revelou.Atualmente, Anna é a chef do “Rodízio Nice” em Nice, onde apresenta suas especialidades nas culinárias italiana e francesa. Recentemente, ela também explorou o universo da culinária brasileira, conquistando o paladar europeu com o sabor caseiro de suas receitas, mostrando o verdadeiro sabor de Minas Gerais.