23.5 C
Belo Horizonte
seg, 27 maio 24

Entidade pleiteia restituição de bilhões de reais do PERSE

Evento de lançamento do projeto de capacitação estadual para o turismo acontece durante a 3º edição do Congresso AMIHLA, no dia 07 de maio, no Tauá Resort Caeté

Para o turismo alcançar seu pleno potencial, é crucial superar uma série de desafios, dentre os quais se destaca a falta de investimentos e a falta de mão de obra qualificada. Para se ter uma ideia, cerca de 70% dos CNPJs do setor de turismo de Minas Gerais não foram beneficiados pelo Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse) e mais de 25 mil vagas não foram preenchidas no estado. Para reverter esse cenário, a Associação Mineira de Hotéis de Lazer (AMIHLA) entra com medida judicial pedindo a restituição dos valores devidos aos hotéis que não foram contemplados com a verba e lança durante a 3º edição do Congresso AMIHLA, que acontece no dia 07 de maio, no Tauá Resort em Caeté, o projeto “Hotelaria em Movimento” para capacitar 10 mil profissionais do turismo em todas as cidades mineiras.

O presidente da AMIHLA, Alexandre Santos, ressalta a importância do congresso para ampliar o debate sobre os principais entraves para a expansão do turismo em todo Estado. “A alta tributação do setor é um grande desafio que precisamos romper, por isso, vamos pleitear a restituição e a ampliação do benefício para aqueles que foram inicialmente excluídos do Perse. Estamos com valores a serem ressarcidos na casa dos bilhões de reais, todo esse potencial de reinvestimento na economia pode gerar mais empregos e renda para a região, fortalecendo assim o setor como um todo. Essa ação judicial reflete o nosso compromisso incansável em defender os interesses dos empreendimentos hoteleiros e turísticos de Minas Gerais, buscando sua sustentabilidade e crescimento contínuo”.

A escassez de profissionais de profissionais qualificados e disponíveis no mercado tem sido outro grande obstáculo para o crescimento da hotelaria no Brasil. Estima-se que existem mais de 25 mil vagas abertas no setor em Minas Gerais, e 1 milhão e meio no Brasil que não foram preenchidos devido à falta de trabalhadores qualificados. Diante dessa dificuldade que enfraquece o setor a AMIHLA, lança no dia 7 de maio o projeto “Hotelaria em Movimento”, para capacitar mais de 10 mil trabalhadores até o início de 2024 a 2026, em áreas essenciais da hotelaria em Minas Gerais. Segundo Alexandre, o programa abrangerá capacitação online e presencial em diversas cidades do estado, a iniciativa visa não apenas resolver o problema imediato da escassez de profissionais, mas também fortalecer a competitividade e a sustentabilidade do setor a longo prazo.

Infraestrutura precária impede o crescimento do turismo regional

Outro desafio significativo enfrentado pela hotelaria é falta de infraestrutura adequada para o turismo, lamenta Santos. Esses fatores encarecem os custos operacionais dos empreendimentos hoteleiros, tornando-os menos competitivos em comparação com destinos turísticos em outras regiões do país. A falta de infraestrutura, como acesso limitado a aeroportos e estradas de qualidade, também prejudica a atratividade de muitos destinos em Minas Gerais, limitando o potencial de crescimento do turismo na região.

“O Brasil possui recursos incríveis para se destacar no turismo global, mas é crucial enfrentar os desafios que impedem seu pleno desenvolvimento através de projetos e inciativas públicas assertivas, que possam impulsionar o desenvolvimento do setor hoteleiro em Minas Gerais, criando assim um ambiente mais favorável ao crescimento e à inovação”, destaca o presidente da AMIHLA. 

Inscrições: Os principais desafios do turismo serão debatidos na 3ª edição do Congresso AMIHLA, que reunirá os principais empreendedores hoteleiros de Minas Gerais para uma jornada de discussões, insights e networking, com palestra com cases de grandes nomes do mercado, como Lizete Ribeiro, CEO do Grupo Tauá de Hotéis; Pedro Cypriano, especialista hoteleiro; Diogo Gonçalves, presidente da Rádio Itatiaia; André Bekerman, diretor geral do Trul Hotéis e a consultora de Revenue Management (Gestão de Receitas), Waleria Fenato. O congresso é aberto a associados e convidados. Ingressos avulsos estão disponíveis no site da Sympla por R$ 250. Para se inscrever e obter mais informações, acesse o site: https://amihla.com.br/lp/

Sobre a AMIHLA

Em meio aos desafios e incertezas provocados pela pandemia, um grupo visionário de empresários da hotelaria de lazer de Minas Gerais uniu forças e fundou a Associação Mineira de Hotéis de Lazer, em abril de 2020. Movidos pela paixão pelo turismo e pela determinação em enfrentar os obstáculos impostos pelo momento, esses empreendedores decidiram criar uma entidade que não apenas fortalecesse o setor, mas também abrisse novas oportunidades de negócios para o mercado de turismo e eventos em Minas Gerais. Com o compromisso de representar e promover os melhores empreendimentos de lazer do estado, a AMIHLA conta com 30 associados e se tornou uma voz influente no cenário hoteleiro mineiro. Ao longo de sua trajetória, tem trabalhado incansavelmente para defender os interesses dos empresários hoteleiros, promover a excelência na prestação de serviços e contribuir para o crescimento sustentável do turismo em Minas Gerais.

 

SERVIÇO:

3º Congresso AMIHLA
Data: 
Terça-feira, dia 7 de maio de 2024
Horário: 
De 8h30 às 20h
Local: 
Tauá Resort Caeté, Minas Gerais
Inscrições: 
https://amihla.com.br/lp/

Posts Relacionados

Francisco, el Hombre saúda a latinidade no single em BH

Celebração é uma palavra constante na história da Francisco, el...

Confira o que fazer em BH neste final de semana

reuniu inúmeras opções do que está acontecendo em BH...

Mineiro conquista medalha Olimpíada Internacional de Filosofia

O estudante Bernardo Guimarães Ferreira, do Colégio Santo Agostinho...

CCBB BH mergulha na arte afro-brasileira

Ao longo de séculos é a visão do branco...

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui