22.5 C
Belo Horizonte
dom, 26 maio 24

PBH celebra 8 anos do Espaço Cênico Yoshifumi Yagi

Apresentações acontecem esta quinta-feira (11) e domingo (14), e incluem shows da banda Suvaco Xêroso, da cantora Giselle Couto e da Velha Guarda Baluartes do Samba, além do espetáculo “Três Fadas Moribundas”; atrações são gratuitas

A Prefeitura de Belo Horizonte comemora em 2024 os oito anos do Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado com programação especial que acontece entre quinta-feira (11) e domingo (14), integrando o Circuito Municipal de Cultura. Localizado no Alípio de Melo, na Região da Pampulha, o equipamento cultural recebe os shows da banda Suvaco Xêroso, da cantora Giselle Couto e do grupo Velha Guarda Baluartes do Samba, além do espetáculo cênico musical “Três Fadas Moribundas”, para públicos de todas as idades. Os ingressos são gratuitos e devem ser retirados pela Sympla.

Mais informações nas redes e no site do Circuito Municipal de Cultura, projeto realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, em parceria com o Instituto Odeon. Esta programação tem apoio cultural do Ministério Público do Estado de Minas Gerais.

O Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado, equipamento cultural que abriga o primeiro teatro público municipal construído fora do perímetro da avenida do Contorno, em Belo Horizonte, foi inaugurado em 2016. Fruto do esforço da comunidade do entorno nas deliberações do Orçamento Participativo, o equipamento faz homenagem a duas personalidades importantes para a cultura da cidade: o imigrante japonês Yoshifumi Yagi, antigo morador do Alípio de Melo, falecido em 2009, que protagonizou várias iniciativas pela melhoria da qualidade de vida do bairro e idealizou o pólo cultural; e o premiado figurinista, cenógrafo e professor Raul Belém Machado, figura fundamental das artes cênicas em Minas Gerais, falecido em 2012.

Com área total de 6.655,62 m², o equipamento é composto por dois ambientes: um espaço aberto, denominado Esplanada, com capacidade para mil espectadores; e a Sala de Teatro, com capacidade para 160 pessoas, que leva o nome de Teatro Raul Belém Machado. Entre 2017 e 2023, foram realizadas 793 atividades no Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado, totalizando um público de mais de 67 mil espectadores.

Nesses oito anos, o espaço vem promovendo eventos que visam resgatar as identidades da comunidade e das festas populares e tradicionais. A ocupação da Sala de Teatro se dá prioritariamente por meio de editais públicos anuais para a seleção de espetáculos culturais, com atrações artísticas e ações formativas, espetáculos teatrais, circenses, shows, oficinas, bailes de carnaval, festas juninas, entre outras. Em seu calendário, o equipamento abre espaço para atividades das comunidades cigana e circense e de festas como o “Arraialzinho” e o “Carnavalzinho”, além do projeto especial “Quinta no Raul”, que propõe shows musicais nas noites de quinta-feira.

Programação de aniversário

A comemoração dos oito anos do Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado começa nesta quinta-feira, dia 11 de abril, às 20h, com uma edição do Quinta no Raul que recebe a banda Suvaco Xêroso. Criado em 2018 com o intuito de promover o ritmo do forró tradicional, em diálogo com outros estilos musicais dançantes da música popular brasileira, o grupo apresenta um repertório que inclui canções de artistas como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Fagner, Zé Ramalho e Gal Costa, entre outros. Além do cuidado com a construção dos arranjos, a banda busca estabelecer uma conexão com o público presente em seus shows, promovendo um ambiente descontraído com o caráter performativo presente em diversas músicas. O grupo é formado por David Lima (baixo e vocais), Geovane Sassá (percussão e vocais), Júlio Vianna (vocalista), Rafael Tibeiça (triângulo e caixa) e Thiago Gazzinelli (sanfona e vocais).

Na sexta-feira (12), às 20h, é a vez da cantora Giselle Couto apresentar o show do projeto “Sem Samba Não Dah”, nome da roda de samba criada pela artista e caracterizada pelo repertório vibrante de sambas e brasilidades, cheio de músicas “para cantar junto”. Uma das cantoras de samba mais talentosas da cidade, Giselle Couto estará acompanhada no palco pelos músicos Gustavo Monteiro (violão sete cordas), Anderson Augusto (cavaquinho), Lipe Cordeiro e Cleyton de Souza (percussões). Revelada na cena do samba de BH em 2002, Giselle Couto tem dois discos autorais na bagagem, sendo o último “Natureza”, de 2019, que traz direção musical de Thiago Delegado, com participação especial e arranjos de Sérgio Pererê.

Já no sábado (13), também às 20h, quem se apresenta é a Velha Guarda Baluartes do Samba. Formado em 2000, o grupo é composto por sete renomados bambas da velha guarda que decidiram se unir para difundir o samba mineiro no cenário nacional: Nonato do Samba, Fabinho do Terreiro, Lulu do Império, Bira Favela, Raimundo do Pandeiro, Paizinho do Cavaco e Evair Rabelo. Estes sambistas têm entre 30 e 45 anos de atuação no samba de Minas e, alguns, como Nonato do Samba e Raimundo do Pandeiro, possuem experiência internacional. Além de intérpretes, muitos são compositores, como no caso de Fabinho do Terreiro – que tem obras gravadas por Zeca Pagodinho, Agepê e Neguinho da Beija-Flor.

Fechando a programação especial, no domingo (14), às 17h, o Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado recebe a peça “Três Fadas Moribundas”. O espetáculo cênico musical tem direção de Joyce Malta, dramaturgia do premiado artista mineiro Byron O’Neill, e atuação de Carol Oliveira, Paloma Mackeldy e Gustavo Djalva. Na narrativa, as fadas procuram pela asa perdida de uma delas e, no meio dessa busca, falam sobre amizade, perdão e afeto. “Três Fadas Moribundas” é um espetáculo que não se anuncia como uma ficção, mas como uma peça que – por meio do jogo teatral, da música e da bufonaria – questiona padrões rígidos do que é considerado sublime ou grotesco, racional ou insano.

Sobre o Circuito Municipal de Cultura

O Circuito Municipal de Cultura foi criado com o compromisso de oferecer uma programação contínua, em diversos formatos, a partir de ações descentralizadas nas nove regionais da PBH. Desde então, o projeto tem realizado shows, espetáculos cênicos, intervenções urbanas, exibição de filmes e mostras temáticas, além de atividades de reflexão e formação em diferentes linguagens artísticas, reforçando seu importante papel de fomento.

Entre dezembro de 2019, quando foi lançado, e agosto de 2023, data que marcou três anos de projeto, o Circuito Municipal de Cultura realizou 928 atividades artísticas e culturais, que alcançaram um público estimado de aproximadamente 535 mil pessoas. Incluindo ações presenciais, virtuais e híbridas, a programação ocorrida durante esse período histórico do projeto movimentou a contratação de 5.248 artistas e profissionais técnicos da cadeia produtiva da cultura.

Serviço | Circuito Municipal de Cultura

Aniversário do Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado

Quando. De 11 a 14 de abril

Onde. Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado

(Rua Leonil Prata, s/n – Alípio de Melo)

Quanto. Ingressos são gratuitos e devem ser retirados pela Sympla

Mais. Outras informações no site do Circuito Municipal de Cultura

Programação

Aniversário do Espaço Cênico Yoshifumi Yagi/Teatro Raul Belém Machado

Quinta-feira (11), às 20h

Show Suvaco Xêroso

Link para ingressos: https://tinyurl.com/cjve2cc4

Sexta-feira (12), às 20h

Show Giselle Couto – “Sem Samba Não Dah”

Link para ingressos: https://tinyurl.com/56nef56u

Sábado (13), às 20h

Show Velha Guarda Baluartes do Samba

Link para ingressos: https://tinyurl.com/5b8bu4su

Domingo, às 17h

Espetáculo “Três Fadas Moribundas”

Link para ingressos: https://tinyurl.com/ye29ms48

Circuito Municipal de Cultura nas Redes

Posts Relacionados

Francisco, el Hombre saúda a latinidade no single em BH

Celebração é uma palavra constante na história da Francisco, el...

Confira o que fazer em BH neste final de semana

reuniu inúmeras opções do que está acontecendo em BH...

Mineiro conquista medalha Olimpíada Internacional de Filosofia

O estudante Bernardo Guimarães Ferreira, do Colégio Santo Agostinho...

CCBB BH mergulha na arte afro-brasileira

Ao longo de séculos é a visão do branco...

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui