16.4 C
Belo Horizonte
seg, 15 julho 24

Mostra de cinema exibe filmes realizados em Lagoa Santa

Na programação, filmes produzidos do município e que retratam o patrimônio cultural da cidade

De 13 a 15 de junho, a cidade de Lagoa Santa, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, poderá “se ver” no cinema. A cidade receberá a Mostra Cine Periférico, com sessões de cinema ao ar livre e programação para todas as idades. A Mostra busca visibilizar e enaltecer a potência dos cineastas periféricos e produções feitas na cidade.

As sessões serão realizadas na Praça Dr. Lund, centro (13/06); entorno da Igreja Nossa Senhora do Rosário da Lapinha, bairro Lapinha (14/06); e no Campo da Associação Nova Vila Futebol Clube, no Palmital (15/06), com início sempre às 19 horas. A programação é gratuita e, para completar o clima de cinema, haverá distribuição de pipoca e refrigerante ao público presente.

A edição do Cine Periférico em Lagoa Santa tem como tema o “Patrimônio Histórico”. A programação ocorre  junto com as comemorações do 223º Aniversário de Peter W. Lund, cientista dinamarquês considerado o pai da paleontologia brasileira e importante figura histórica para a cidade de Lagoa Santa.

Por isso, entre as obras exibidas, estão produções dirigidas ou produzidas por profissionais da cidade, que retratam a cultura e diversidade de Lagoa Santa: Luzia; Jack Go Ascensão; Kilombo Mocambeiro: Memória Ancestral; Lagoa Santa-MG; Lapso; Documentário Cidade de Lagoa Santa: Passado, Presente e Futuro e Os Defensores de Típota. As produções foram selecionadas via chamamento do Noite de Cinema.

Além das obras selecionadas, compõem a mostra os curtas brasileiros No Início do Mundo, 4 Bilhões de Infinitos, A Menina espantalho e A retirada para um coração bruto.

Projeto beneficiado pelo Edital da Lei Paulo Gustavo em âmbito municipal.

Sobre o Noite de Cinema

Criado em 2012 por um grupo de amigos, no bairro Maria Helena (Belo Horizonte), o Coletivo Noite de Cinema começou suas atividades com exibições de filmes nas ruas e muros da região – que é um encontro das periferias de Belo Horizonte e Ribeirão das Neves. Ao longo dos últimos 12 anos, o grupo conseguiu desenvolver sua estrutura e promover a circulação de cinema por periferias da capital e outras cidades brasileiras, alcançando um público de mais de 85 mil pessoas.

Serviço:

Mostra Cine Periférico em Lagoa Santa

13/06 (quinta-feira) – 19h

Local: Praça Dr. Lund, Centro

14/06 (sexta-feira) – 19h

Local: Igreja Nossa Senhora do Rosário da Lapinha

Endereço: Rua Nossa Senhora do Rosário, s/n, Bairro Lapinha

15/06 (sábado) – 19h

Local: Campo da Associação Nova Vila Futebol Clube

Endereço: Rua Ana Gonçalves, 810, Bairro Palmital

SINOPSES DAS OBRAS

Luzia

Direção: Marlon Penido

Sinopse: Luzia o hominídeo mais antigo das Américas, datado aproximadamente de 12 milhões de anos, mostra de forma de documentário experimental de aproximadamente 11 mim. A história do crânio que coloca a teoria do Povoamento das Américas em controvérsias.

Jack GO Ascensão

Direção: Filipe Bazilio

Sinopse: Quando criança, Jack presenciou o trágico ataque que tirou a vida de sua mãe, marcando sua vida para sempre. Anos mais tarde, lobos misteriosos invadem sua vila, espalhando terror e destruição. Em meio ao caos, Jack se fere com um fragmento de asteroide radioativo, adquirindo poderes sobre-humanos. Agora, ele precisa usar suas novas habilidades para enfrentar as criaturas que assombram seu passado e proteger a sua vila.

Kilombo Mocambeiro: memória ancestral

Direção: Pedro Costa

Sinopse: O filme é um projeto que trata da comunidade formada por remanescentes de quilombolas do Vínculo da Jaguara, Mocambeiro (MG). O documentário registra a memória dos moradores, apresenta as manifestações culturais e religiosas da comunidade e a luta pela manutenção de sua identidade, orgulho e pertencimento. Em mais de100 anos de existência das tradições do Candombe, Congado e Folia de Reis, as atividades foram paralisadas durante a pandemia de covid-19. Com perdas de membros chave da comunidade, o projeto registrou ao longo de 2022 a retomada dos tambores às ruas da comunidade, o impacto da perda de pessoas importantes nesses 2 anos, e a necessidade de manutenção dos costumes que constituem a identidade de Mocambeiro.

Lapso

Direção: Caroline Cavalcanti

Sinopse: Após praticarem atos de vandalismo, Bel e Juliano, adolescentes da periferia de Belo Horizonte, cumprem medidas socioeducativas onde passam a compartilhar afetos e incerteza diante da dureza dos dias, da repressão e do esquecimento do sistema.

Os defensores de Típota

Direção: Caio Guerra

Sinopse: Uma sombra paira sobre o mundo mágico de Típota; o continente está ameaçado por Akar, o Mago Maligno, e a única esperança que resta são três jovens heróis: Carina, Anna e Paulo. Na verdade, eles são estudantes comuns que foram jogados para o mundo mágico por seu professor de artes, mas eles vão dar o seu melhor e lutar contra as maiores intempéries para salvar o mundo… e se livrar da detenção.

No início do mundo

Direção: Gabriel Marcos

Vitor e Katlyn são jovens da periferia da região metropolitana de Belo Horizonte e sentem, todos os dias, a falta de perspectiva que os rodeia. Entre ônibus lotados, a descoberta da sexualidade e as responsabilidades em um lar fragilizado, crescer se torna uma tarefa ainda mais difícil. Um encontro ao acaso desperta uma amizade improvável e cheia de música, marcada pela vontade de transformar a realidade e fazer diferente. Refletindo se estão ou não em um fim de mundo, eles vão descobrir juntos que sonhar com mais um é melhor do que enfrentar esse mundo sozinho.

4 Bilhões de Infinitos

Direção: Marco Antônio Pereira

Após a morte do pai, uma família vive com a energia de casa cortada. Enquanto a mãe trabalha, seus filhos ficam em casa e conversam sobre ter esperança.

A Menina Espantalho

Direção: Cássio Pereira dos Santos

Luzia mora no campo com seus pais e o irmão, Pedro. Quando Pedro começa a ir à escola, Luzia quer acompanhá-lo, mas é impedida pelo pai. Enquanto vigia um arrozal, ela busca outros caminhos para aprender a ler.

A retirada para um coração bruto

Direção: Marco Antônio Pereira

Ozório é um senhor de 70 anos que vive sozinho onde o Judas perdeu as botas, na zona rural de Cordisburgo-MG. Passa seus dias ouvindo rock no rádio, enquanto vive o luto da sua companheira. Até que um movimento no céu quebra sua solidão.

Posts Relacionados

Planejamento patrimonial ou sucessório? Na verdade, os dois!

Preocupar-se com o presente, o agora, é algo inerente...

Viagens e pacientes em quimioterapia: combinação pode ser perigosa para a saúde

A temporada de férias está oficialmente aberta. Com a...

Hábitos saudáveis podem favorecer tratamento contra o câncer

 Cuidados com corpo, mente e alimentação durante período de...

Governo de Minas apresenta inovações tecnológicas para gestão de saúde

As inovações tecnológicas permitem ampliar a oferta de serviços,...

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui