20.2 C
Belo Horizonte
dom, 16 junho 24

Bar Redentor tem quiz para testar ‘carioquês’ dos clientes

Ações fazem parte da campanha ‘Nada mais carioca’, promovida pelo bar até o final de julho

Se Tom Jobim ou Vinicius de Moraes estivessem vivos, hoje, e viessem a Belo Horizonte para um passeio descompromissado no fim de semana, certamente ficariam bem à vontade tomando um chope na varanda do Redentor, a ponto de acharem que jamais haviam saído da Cidade Maravilhosa. É justamente essa a sensação que a casa provoca nos quase 15 mil clientes que por lá passam todos os meses: desde a tradicional bebida cremosa, servida com o mais saboroso colarinho – e que em nada perde para os bares cariocas – até a calçada com pedras portuguesas, típicas do calçadão da orla da zona Sul do Rio, tudo no icônico casarão – que corta as ruas Fernandes Tourinho e Sergipe – na Savassi, nos faz lembrar a terra natal dos maiores representantes da bossa nova brasileira.

E para celebrar essa identidade, da qual tanto se orgulha, o estabelecimento acaba de lançar sua campanha de 21 anos, ‘Nada mais carioca’, que até o final de julho irá presentear a clientela com uma agenda repleta de atrações.

Durante todo o período, os clientes que consumirem 21 chopes na visita ao bar, ganham uma caldereta, o copo personalizado da casa.  Um quiz para testar a galera sobre os conhecimentos, tanto do Redentor quanto do Rio de Janeiro, também vai animar o local nos próximos quatro sábados do mês, 8, 15, 22 e 29. “Uma promotora passará em cada mesa fazendo perguntas para os clientes. Quem acertar ganha botons temáticos da nossa campanha. Os que tiverem poucos acertos serão agraciados com o boton Carioquinha. Os jogadores medianos vão ser classificados como Malandro. Já aqueles que gabaritarem o quiz serão os autênticos Cariocas da Gema”, destaca o sócio do Redentor, o empresário Daniel Ribeiro. A brincadeira pode acontecer entre os amigos de uma mesma mesa, mas também, ser um duelo entre clientes distintos.

Ainda segundo Daniel, no decorrer de toda a campanha, a casa ficará decorada com displays de mesa e bandeirolas com o tema da ação. “Nosso intuito é reforçar o quanto o Redentor é a representação do Rio de Janeiro em Belo Horizonte”, destaca. O estabelecimento, aliás, já é conhecido na cena cultural e gastronômica da capital mineira por outras ações de sucesso que trazem a alma acalorada da capital fluminense para a cidade, entre elas a campanha ‘A vida fica melhor de chinelos’, que desde 2019, a cada verão, oferece um chope grátis para os clientes que visitarem o bar de chinelos.

Daniel ainda pontua que estar no Redentor é conhecer algumas peculiaridades da gastronomia carioca, como poder experimentar as empadinhas a Bracarense (R$ 15), homenagem ao famoso petisco servido no Bracarense Leblon – casa conhecida como um dos melhores botequins do Rio de Janeiro, fundada em 1961 pelo português Arnaldo Tomé. A fornada, anunciada apenas duas vezes por dia, é avisada através da batida de um sino. Os recheios variam entre frango com catupiri e camarão ao creme.

O próprio nome da casa, obviamente, homenageia um dos cartões postais mais simbólicos não só do Rio de Janeiro, como também do planeta, o Cristo, monumento imponente localizado no alto do morro do Corcovado e que integra o seleto grupo das sete maravilhas do mundo moderno. “Assim como o Cristo está de braços abertos sobre a Guanabara, como diz a letra de Samba do Avião de Tom Jobim, e abraça a todos, aqui no Redentor também queremos abraçar a diversidade. O nosso lema é fazer com que as pessoas se sintam em casa. Tem gente que vem de bermuda e chinelo, outros vem de terno depois do trabalho. O importante é estar bem e feliz. Portanto, não haveria melhor nome para batizar o nosso bar do que este, que desde 2003 representa o espírito e o imaginário carioca na terra das Alterosas”, destaca o sócio da casa.

Show beneficente

Entre a programação de eventos em celebração aos 21 anos do Redentor, no próximo dia 30, domingo, a casa recebe um show beneficente do Grupo Orapronóis, conhecido por trazer o melhor do samba e chorinho,  gênero que surgiu no Rio de Janeiro no final do século XIX, tendo Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga como seus principais expoentes. Nesta data, o valor arrecadado com a venda de todos os chopes será revertido para a ONG Amigos de Minas, que há mais de 20 anos atua no combate à fome nos municípios com os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs), do estado. “Estamos vendendo ainda os nossos botons pelo valor simbólico de R$ 5. A quantia arrecadada também será encaminhada à Amigos de Minas”, finaliza Daniel

Serviço

Redentor Bar – 21 anos

Rua Fernandes Tourinho, 500 – Savassi

Campanha: Nada mais carioca

Quando: até 31 de julho

 

Ações:

  • Durante todo o período da campanha, os clientes que consumirem 21 chopes na visita ao bar, ganham uma caldereta, o copo personalizado da casa. 
  • Um quiz para testar a galera sobre seus conhecimentos, tanto do Redentor quanto do Rio de Janeiro, também vai animar o local nos próximos quatro sábados do mês, 8, 15, 22 e 29

 

  • Show beneficente com o grupo Orapronóis

Quando: 30 de junho, domingo

*Nesta data, o valor arrecadado com a venda de todos os chopes será revertido para   a ONG Amigos de Minas

Posts Relacionados

João Ventura em Belo Horizonte no Clube de Jazs

O pianista, cantor e compositor João Ventura se apresentará...

Começa o Festival do Queijo Artesanal de Minas

Teve início nesta quinta-feira (13/6), a 6ª edição do...

Fernando e Sorocaba levam o Churrasco On Fire para Betim

A dupla Fernando e Sorocaba desembarca na cidade de Betim,...

Inverno Mágico de Tiradentes começa em julho

Para quem gosta de passeios voltados ao tema religioso,...

SENSACIONAL! traz grandes atrações para a Pampulha

Com datas confirmadas para os dias 21 e 22 de...

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui