22.4 C
Belo Horizonte
dom, 16 junho 24

Congresso da ABRH-MG destaca as tendências e inovações

Inteligência artificial (IA), inclusão de mulheres no mercado de trabalho e boas práticas de gestão em saúde foram abordados no evento, nesta quarta, em BH

15Um dia de imersão, conhecimentos e networking. Essa foi a proposta da 7ª edição do Congresso Conexões Humanas, realizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seção Minas Gerais (ABRH-MG) no dia 15 de maio no auditório da Unimed BH, na capital mineira. O evento, que reuniu estudantes, CEOs, executivos e profissionais do setor, teve início às 8h30.

Na abertura, o presidente da ABRH-MG, Leandro Pinho, deu as boas-vindas e fez a introdução do tema do primeiro painel “Inteligência artificial (IA) em Recursos Humanos”. “A gente ouve falar sobre a inteligência artificial e o quanto é importante se adaptar a ela. É preciso vê-la como recurso e não como concorrência a nós, seres humanos”, disse.

A diretora de Relacionamento com o Cooperado e Sustentabilidade da Unimed BH, Mercês Fróes, também frisou que as empresas precisam, cada vez mais, se adaptar às mudanças, e que os avanços tecnológicos, como Inteligência Artificial, têm potenciais de transformar, radicalmente, o mercado de trabalho. “Devemos utilizar a tecnologia como aliada para melhorar as condições de trabalho, promovendo saúde mental e emocional.”

Na sequência, o professor e palestrante, Edney Souza, autor do livro “Transformação Digital: Mentalidade, Cultura, Negócios e Liderança na Era Digital”, apresentou o painel: “Inteligência artificial na prática de RH”.

Um dos pontos abordados pelo palestrante foi a utilização do ChatGPT (sigla de Generative Pre-Trained Transformer) – ferramenta de inteligência artificial (IA) -, na área de RH. De acordo com o especialista, essa tecnologia tem sido utilizada pelos profissionais do setor no processo de recrutamento, por meio de criação de descritivos de vagas e análise dos currículos. No entanto, segundo ele, é preciso ter criatividade e fazer uso correto dos comandos. “Pode pedir para o chatbox escrever como um analista de recrutamento experiente”.

Em seguida, foi a vez do painel: “Transformação Cultural com inclusão de mais mulheres”, mediado por Kátia Raphael (Fundação Dom Cabral) e ministrado pela gerente de RH da Samarco, Adriana Gomes, e Cláudia Silva (ArcelorMittal).

Com foco na valorização da diversidade e inclusão, a ArcelorMittal desenvolve programas, por meio de parcerias, para ampliar a representatividade das mulheres nos quadros da empresa. Para tanto, oferece cursos de qualificação profissional que são realizados em escolas técnicas nas regiões onde atua. Dessa forma, é feito um trabalho de incentivo às jovens de comunidades para que possam se candidatar às vagas, segundo Cláudia. “Temos trabalhado muito forte as vagas afirmativas”.

Outro diferencial na empresa é que a gravidez não é um impeditivo na hora da contratação. É o case, por exemplo, de Thaís, hoje operadora de empilhadeira.  “Durante um processo seletivo, ela anunciou que estava grávida. Nós dissemos que a empresa estava de portas abertas. Hoje ela fala que a empresa abriu seus caminhos e mudou a perspectiva de vida dela. A ArcellorMittal deu todo apoio e assistência médica”.

Na Samarco, as mulheres também têm rompido barreiras e assumido funções que, historicamente, eram exercidas por homens. De acordo com Adriana, por meio do Programa de Diversidade, Equidade e Inclusão, houve a contratação de 30 operadoras de equipamentos para a Mina do Germano, em Mariana (MG). “Foi impressionante como essas mulheres responderam prontamente aos treinamentos técnicos. Todas tiveram excelente rendimento”, ressaltou.

O período da tarde no “Conexões Humanas” transportou o público por novos painéis e deu continuidade ao evento com debates sobre saúde corporativa e os dilemas da tecnologia no mercado de recursos humanos.

No painel “Boas Práticas de Gestão de Saúde no Trabalho”, mediado por Rúbia Spindola (Grupo Fleury), os palestrantes Júnia Marçal (Unimed BH) e Claudio José Albuquerque (MDS Group) abordaram uma visão mais integrada da saúde e defenderam a importância de pautas como segurança psicológica e diversidade. De acordo com o diretor e médico Claudio José, engajar “desde o líder até o estagiário” com boas práticas de saúde é o diferencial para uma empresa.

A segunda mesa da tarde reacendeu o debate sobre a temática ‘O uso AI e Analytics em RH’. Em uma conversa com o mediador Roberto Marinho (Sebrae), os palestrantes Robson Campos (TOTVS) e Sérgio Pataca (FIEMG) reforçaram o valor do letramento digital e do papel empático humano quando o assunto é cultura da inovação. “O papel da IA nunca é substituir nosso trabalho, apenas aprimorar”, afirmou Sérgio Pataca.

O dia foi encerrado com a palestra “Seja seu próprio padrão”, na qual a atriz Mariana Xavier, conhecida pelo sucesso nas telonas em ‘Minha mãe é uma peça’ (2013), contou sobre sua trajetória de falhas e acertos para traduzir sua essência. Convidou o público para uma reflexão e dividiu a luta contra a ansiedade no auge de sua fama. “Não dá para comparar nossos bastidores com os palcos alheios”, declarou a artista. Na sequência, o presidente da ABRH-MG, Leandro Pinho, convidou os presentes para o ‘Conect Café’, regado a pão de queijo e boas conexões humanas.

Posts Relacionados

Projeto social impulsiona futebol feminino e transforma vidas

Um projeto em Minas Gerais vem se destacando por...

João Ventura em Belo Horizonte no Clube de Jazs

O pianista, cantor e compositor João Ventura se apresentará...

Começa o Festival do Queijo Artesanal de Minas

Teve início nesta quinta-feira (13/6), a 6ª edição do...

Fernando e Sorocaba levam o Churrasco On Fire para Betim

A dupla Fernando e Sorocaba desembarca na cidade de Betim,...

Inverno Mágico de Tiradentes começa em julho

Para quem gosta de passeios voltados ao tema religioso,...

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui