21.4 C
Belo Horizonte
sex, 19 julho 24

RHI Magnesita inaugura viveiro de mudas em unidade de refratários

A iniciativa da companhia ocorre no Dia Mundial da Água, fortalecendo sua política de preservação ambiental. Ao todo, este é o terceiro viveiro da empresa na América do Sul

A RHI Magnesita, empresa líder global em soluções refratárias, inaugurou seu 1º Viveiro de Mudas em uma unidade de refratários – a RHIMVA. Localizada em Coronel Fabriciano, no Vale do Aço, o viveiro terá capacidade para 4 mil mudas por ano. A inauguração, realizada nesta sexta-feira (22/03), faz parte da programação do Dia Mundial da Água, celebrado pela empresa junto com seus colaboradores e familiares, comunidade e com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

De acordo com o gerente de Meio Ambiente da RHI Magnesita para América do Sul, Carlos Eduardo Rodrigues, essa unidade é importante por reunir três fatores estratégicos para o meio ambiente. “A RHIMVA está localizada dentro da Área de Preservação Ambiental (APA) da Biquinha, o que fortalece o nosso compromisso com a preservação ambiental. Essa APA faz parte do bioma Mata Atlântica – o mais ameaçado do Brasil. E essa unidade já traz em seu DNA a sustentabilidade, por ser responsável pela produção dos nossos refratários reciclados. Ter um viveiro aqui corrobora com nossas políticas de cuidado do meio ambiente nas localidades onde atuamos”, afirma Rodrigues.

Pau Brasil, Jatobá, Ipê Branco, Tamarindo e Sibipiruna são algumas espécies que serão produzidas no viveiro de Coronel Fabriciano. “Essas mudas serão usadas para a recuperação de áreas degradadas e para a preservação ambiental. Como já é prática nos outros viveiros mantidos pela empresa, destinaremos parte da produção para doação à comunidade, colaboradores e para instituições locais. Também teremos programas de educação ambiental com a visita de escolas para ensinarmos a produção de muda e como realizar um plantio adequado”, explica.

A inauguração do Viveiro de Mudas faz parte da celebração do Dia Mundial da Água na RHI Magnesita. Carlos Eduardo ressalta a intrínseca ligação entre água e vegetação. “A planta não apenas influencia o ciclo da água, mas também desempenha um papel vital na conservação do solo, na purificação da água e na manutenção da qualidade de vida e nas recargas dos aquíferos, função essencial da preservação do volume e qualidade de água presentes nos mananciais”, ressalta.

Este é o terceiro viveiro da RHI Magnesita na América do Sul e o segundo na região Sudeste brasileira. Os outros ficam em Brumado (BA) e em Onça do Pitangui (MG), duas áreas de mineração. O quarto viveiro da companhia será inaugurado no 2º semestre deste ano, em Uberaba (MG).

Iniciativa

O diretor de Meio Ambiente da Prefeitura de Coronel Fabriciano, Ivan César de Oliveira, participou da solenidade e disse que o viveiro contribuirá para o ecossistema municipal. “Cerca de 90% das cidades brasileiras carecem de uma arborização mais efetiva. Esse viveiro vai agregar na nossa arborização urbana, além de contribuir para a gestão do carbono local“.

Os colaboradores também receberam com muita alegria a iniciativa. Para o coordenador da unidade, Matheus Volpe, esse dia ficará registrado como mais uma ação da unidade para a preservação do meio ambiente. “A implantação desse viveiro vai incentivar nossos colaboradores a cuidar, cada vez mais, da nossa localidade”. O analista de produção Varonil de Queiroz Guerra disse estar orgulhoso com essa iniciativa da companhia. “A RHI Magnesita sempre se preocupou com a sustentabilidade para as próximas gerações. Para que nossos filhos venham ter uma vida mais tranquila e com menos aquecimento global é importante plantar árvores e preservar as que temos”, comenta Guerra.

E por falar em filhos, a criançada se divertiu plantando pela área. A Luna, de 7 anos, disse que “a muda vai virar uma árvore para trazer sombra e proteger a água do solo”. Já Esther, também de 7, ficou encantada em conhecer um viveiro de mudas pela primeira vez e plantar uma árvore. “Hoje eu já ajudei a salvar o planeta”, brinca.

Sustentabilidade

A reciclagem de refratários, realizada na unidade de Coronel Fabriciano, contribui diretamente para redução de CO2 emitida nas operações. Em 2023, a RHI Magnesita coletou aproximadamente 30 mil toneladas de resíduos de refratários no Brasil, destinando-os para reaproveitamento. O uso de minerais circulares representa quase 47 mil toneladas de gás carbônico (CO2) que deixaram de ser emitidos no meio ambiente.

Ao reforçar a política de reciclagem, a companhia diminui a necessidade de extração e queima de minérios, que têm uma pegada maior de carbono. Em 2021, um projeto implantado nessa unidade foi reconhecido como um dos melhores do país em melhorias contínuas. As ações educativas no âmbito ambiental também são frequentes, tanto envolvendo colaboradores quanto as comunidades do entorno.

Posts Relacionados

Novidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui