Zona de conforto pode prejudicar diversos aspectos da vida

0
287

Procurar o caminho mais fácil e conhecido é a opção que muitos escolhem quando precisam fazer alguma coisa. O medo de se arriscar e encarar coisas fora da rotina pode assustar, além de impedir que muita gente ouse ser diferente. A chamada “zona de conforto” é sinônimo de segurança para alguns. Porém, essa sensação pode se tornar um sentimento de insatisfação e prejudicar diversos aspectos da vida. 

Sandra Santos, grafóloga e consteladora familiar, explica que permanecer na zona de conforto provoca estagnação psicológica e física, acarretando em diversos problemas de relacionamentos e na carreira. Segundo ela, isso tem muito a ver com o medo em ser quem realmente é. “As pessoas começam a acreditar que não tem capacidade para alcançar coisas maiores, que vão cometer erros rapidamente e tornar a situação pior do que antes”.

 

Enquanto isso, tais pessoas tendem a se estressar, ficarem ansiosas, mau-humoradas e com a sensação de tédio mais frequentemente. “Elas começam a entrar em um ciclo sem fim e não entendem bem como foram parar ali. Dessa forma, fica ainda mais difícil perceber que é possível mudar e ser melhor”, acrescenta Sandra Santos.

A grafóloga esclarece que para sair da zona de conforto e alcançar novas conquistas, deve-se começar com pequenas mudanças no dia-a-dia. “Avaliar a si mesmo e perceber o que está errado é o primeiro passo. Porém, fazer isso sozinho pode ser difícil, principalmente se o indivíduo possui alguma tendência a se auto sabotar. Por isso, o recomendado é buscar autoconhecimento de forma terapêutica, que poderá te guiar ao caminho adequado”, garante.

Dicas 

Enquanto isso, ao seguir algumas dicas diárias é possível começar esse processo de forma saudável. Confira as indicações da especialista:

Confie em si mesmo – praticar o autoconhecimento e entender o que está errado é um dos principais passos para conseguir driblar a zona de conforto.

Não tenha medo de opiniões – às vezes o que o outro vai pensar, principalmente pessoas próximas, pode ser incômodo. Mas neste momento é necessário entender o que é bom para si mesmo apenas.

Fique atento aos pequenos detalhes – até mesmo coisas consideradas pequenas e bobas podem influenciar quem está na zona de conforto. Mudanças em coisas consideradas mínimas também são bem vindas.

Aprenda algo novo – pode ser um idioma, uma receita ou, até mesmo, um novo modelo de negócio. Estar disponível e se interessar por coisas novas é essencial.

Fonte: Sandra Santos (@sandrasantosgrafologia), Professora da Fundação Getúlio Vargas, jornalista, pós-graduada em administração para RH, com doutorado em semiótica da linguagem. Grafóloga, Filosofia Clínica, pós graduada em Constelação Familiar e Práticas Sistêmicas e Perita grafotécnica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here