Projeto “Meu negócio pra chamar de seu” discute a segurança nas cidades

0
112

Iniciativa integra série de ações da instituição para fomentar a economia criativa em BH

O atual momento, para muitos empreendedores, trouxe dificuldades, mas também possibilidade de reinvenção. Nesse contexto, a colaboração se tornou uma necessidade, mais que uma tendência, e a internet vem para possibilitar, inclusive, trocas entre pessoas distantes fisicamente. Buscando fomentar o empreendedorismo na economia criativa, o Sesc em Minas realiza a terceira edição do Meu negócio pra chamar de seu, no dia 20 de agosto, quinta-feira, às 20h, no Instagram do Sesc Palladium: @sesc.palladium.

É um encontro entre empreendedores de ramos diferentes, mas que tem potencial de se complementar. Os participantes têm como foco dialogar, levantar hipóteses e propostas a partir de um olhar diferente sobre o negócio do outro.

“Mulheres mais seguras mudam o mundo”

O mercado criativo é realmente diverso e ocupado por todos e todas? Como a tecnologia pode contribuir para a segurança das cidades e também para a representatividade social? De que forma isso pode ajudar a melhorar a vida das pessoas? São muitas perguntas e uma imensidão de possibilidades, que serão discutidas, na terceira edição do Meu negócio pra chamar de seu, por Priscila Gama e Victoria Invicta, empreendedoras da indústria criativa que têm ocupado espaços importantes no segmento. Conheça as convidadas:

Priscila Gama: apaixonada por arquitetura e urbanismo, ela é a criadora do aplicativo Malalai – em homenagem à paquistanesa Malala, vencedora do Nobel da Paz em 2014 –, que ajuda a prevenir a violência sexual. A ferramenta orienta as mulheres a escolherem rotas pelas ruas mais seguras e a pedir socorro se necessário. O Malalai sinaliza, por exemplo, ruas com pouca iluminação, locais com segurança ou policiamento, horário de funcionamento dos comércios. Priscila crê que big data tornará as cidades mais seguras e acredita que mulheres sem medo é que mudam o mundo.

Victória Invicita: é uma expressão artística desenvolvida por Victor Hugo Da Pieve. Através da arte, a designer de jogos abraçou o que possui de especial e criou uma drag queen que desenvolve games direcionados ao público LGBTQI+. Com o objetivo de levar diversidade a essa indústria, criou duas marcas que se unem em um mesmo objetivo: colocar grupos de baixa visibilidade social e política em posições de poder.

Este encontro entre empreendedoras com propostas aparentemente distintas tem em comum algo importante: a indicação de que a tecnologia pode (e deve) estar a serviço de todos e todas, de forma criativa, sendo veículo de participação social e cultural para que cada grupo tenha voz no espaço que desejar. A tecnologia pode, ainda, responder a uma demanda social por segurança ao permitir, por exemplo, que uma mulher não deixe de estudar à noite por conta do medo da violência. É, assim, uma forma de empoderamento, de quebra de barreiras para elas e de busca por mais qualidade de vida.

O encontro é aberto à participação ao vivo do público. Além de dar a sua contribuição, a audiência pode ajudar as empreendedoras a terem um novo olhar sobre seus negócios, inspirar outros profissionais a terem novas ideias ou mesmo motivar pessoas que desejam empreender. É esse universo de possibilidades que o Meu negócio pra chamar de seu tem como objetivo ajudar a construir, assim como aconteceu com Cairê Moreira e Diêgo Penido, participantes da edição de julho do projeto.

Colhendo frutos do encontro

A segunda edição do Meu negócio pra chamar de seu, realizada em julho, reuniu Cairê Moreira, fundador da Genyz – Consultoria de Pesquisa e Desenvolvimento de Soluções em 3D, e Diêgo Penido, artista plástico, designer e desenvolvedor de produtos com mais de 10 anos de experiência no mercado. Para Cairê, esse tipo de encontro é fundamental, principalmente para negócios que têm como base a inovação. “Quando a gente está na nossa bolha, é difícil ter outras perspectivas”. Ele conta que as sugestões de Diêgo já estão sendo avaliadas para serem colocadas em prática em seu negócio: “O Diêgo me sugeriu utilizar realidade aumentada para proporcionar uma experiência mais viva aos clientes”.

Diêgo Penido também gostou muito das sugestões do Cairê. Ele conta que um dos maiores aprendizados que ele tem tido com o contexto de pandemia é a importância da construção de redes colaborativas nos negócios. “É muito gratificante trabalhar com parceiros, principalmente para produtos artesanais. Eu tenho a chance de divulgar o trabalho do outro e ainda agregar valor ao meu produto.”

Ele conta que sua empresa de design de móveis minimalistas, a @ursoestudio, teve início no dia 16 de março, dia em que foi decretada a quarentena na maior parte das cidades brasileiras: “Minha empresa abriu quando tudo estava fechando, e venho crescendo aos poucos. Meu foco é o produto personalizado, artesanal, feito com madeira certificada e que dá preferência para os pequenos fornecedores”.

Sessão Dez4Meia

 

O Meu negócio pra chamar de seu faz parte do projeto Sessão Dez4Meia, que tem o objetivo de fortalecer conexões entre cultura, empreendedorismo, educação e criatividade, sem abrir mão do que faz essas mudanças acontecerem: as pessoas. O projeto visa fomentar o cenário da economia criativa em Belo Horizonte e contribuir para a formação de redes colaborativas, ao facilitar as interações entre os profissionais e promover atividades formativas, por meio de talks, workshops e a oferta de um coworking.

No mês de julho, foram promovidas também várias edições da Feira Dez4Meia, uma série de rodadas de negócios entre empreendedores da economia criativa, sob a mediação do Sesc Palladium. Neste momento, o projeto está em sua segunda fase, que envolve o aprofundamento e a personalização das interlocuções entre os empreendedores de áreas que tem potencial para se complementar, constituindo uma grande rede de negócios. São mais de 30 participantes, que serão acompanhados durante um semestre.

Para Priscilla D’Agostini, gerente do Sesc Palladium, trata-se de um trabalho mais direcionado às necessidades de cada negócio, para que possa render frutos mais efetivos e substanciais para esses empreendedores. “É gratificante podermos estimular as conexões entre esses empreendedores e acompanhar os resultados. Fazer parte disso como unidade de cultura em Minas Gerais certamente é uma contribuição nossa muito importante para a economia criativa, sobretudo nesse momento”. Em breve, os resultados desses trabalhos serão divulgados em nossas redes sociais. Acompanhe!

Quer saber mais sobre economia criativa? Conheça o Sala Dez4Meia, uma série de podcasts com a participação de profissionais de referência em áreas como música, artes visuais e literatura, disponível nos aplicativos de streaming Deezer e Spotify.

SERVIÇO

Meu negócio pra chamar de seu – terceira edição

Convidadas: Priscila Gama e Victoria Invicta

Data: 20 de agosto, quinta-feira

Horário: 20h

Local: Instagram do Sesc Palladium: @sesc.palladium

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here