Projeto Sou da Favela participa de etapa do projeto “Música na Árvore Instrumental- Solar Festival” na Barragem Santa Lúcia

0
28

Evento gratuito será  nos dias 24 de julho e 7 de agosto e visa à adoção de hábitos como a coleta seletiva de resíduos e a reciclagem. Toda matriz energética é  solar

 

Com o objetivo de promover e estimular a regionalização da produção cultural e artística brasileira, por meio da valorização de recursos humanos  e conteúdos locais, o coletivo cultural “Música na Árvore” realiza a terceira etapa do projeto “Música na Árvore Instrumental- Solar Festival”, gratuito, em Belo Horizonte (MG), nos dias 24 de julho e 7 de agosto, respectivamente.

A ideia, destaca o diretor artístico, João Vianna, é oferecer ao público um   amplo painel da música instrumental nacional.

A edição de Belo Horizonte, no dia 24 de julho, contará com shows de Charanga Pop, Will Motta, Latinamérica e Wilson Lopes, no Parque Jornalista  Eduardo Couri, bairro Santa Lúcia.

Capacitar os moradores da favela e ainda resgatar as antigas receitas do morro, esses são os objetivos da Praça de Gastronomia montada no evento com o Projeto “Sou da Favela”. Serão vendidos pratos feitos pelos próprios moradores, como pé e rabo de porco, espetinhos, pescoço de peru, moela, fígado com jiló, dobradinha, e doces.

“A gastronomia tem um poder transformador que vai além do entretenimento. Por isso decidimos ampliar as atividades para três dias, incluindo ações que promovem o conhecimento, discussões relevantes acerca do tema e também articulando uma programação destinada ao social, com intervenções em escolas, mostrando que a gastronomia pode ser um caminho para o futuro das crianças”, explica o idealizador do Projeto Sou da Favela – Matheus Pereira.

Já no dia 7 de agosto, o “Música na Árvore Instrumental – Solar Festival” terá apresentações de Charanga Pop, Chico Amaral, Will Motta e Latinamérica, na Feira de Santa Tereza.

SUSTENTABILIDADE – O evento é destinado a todos os públicos, com cuidados especiais em relação às pessoas com deficiência e idosos. O que se busca também é promover atividades culturais de estilos de vida saudáveis, voltadas às práticas sustentáveis, por meio, por exemplo, do incentivo à adoção de hábitos como a coleta seletiva de resíduos e a reciclagem.

 

Um dos diferenciais é que toda a matriz energética do “Música na Árvore Instrumental”

será solar. “Mobilizando o nosso habitual público: jovens e adultos freqüentadores de praças e parques públicos pretendemos ser referência na gestão e manejo de resíduos em eventos culturais”, completa o diretor artístico, João Vianna.

 

O projeto é executado por meio de recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, com patrocínio da CEMIG, realização da Muzak Promoções e Eventos e apoio da GSL Metalúrgica.

 

 

SERVIÇO:

 

Música na Árvore Instrumental – Solar Festival

 

BELO HORIZONTE – 24/07

Local:  Parque Jornalista    Eduardo Couri – Santa Lúcia

 

  • Show Charanga Pop – 11h30 às 13h
  • Show Will Motta – 13h às 14h30
  • Show com Wilson Lopes – 15h às 16h30
  • Show Latinamérica – 17h às 18h

 

BELO HORIZONTE – 07/08

Local: Feira de Santa Tereza

 

  • Show com Charanga Pop – 10h30
  • Show com Chico Amaral e trio – 12h
  • Show com Charanga Pop – 14h
  • Show Will Motta – 15h
  • Show com Latinamérica – 17h
 

 

 

Atrações musicais:

 

  • Charanga Pop

 

João Vianna, músico que dividiu palco com Skank, Lulu Santos, Pepeu Gomes, dentre outros, e seu trompet, lideram este grupo que mistura música pop de todos os tempos com ritmos brasileiros. O som dos metais, a força da percussão e o swing da guitarra fazem a galera vibrar. Como as bandas de jazz de New Orleans , como as charangas dos estádios de futebol o grupo circula, interage de perto com o público e sente a energia e pulsação das pessoas para ditar o ritmo.

 

 

  • Will Motta

 

Contando com experiências junto ao grupo Lombinho com Cachaça, Fernando Ângelo, Hocus Pocus, o músico vem se apresentando com artistas renomados como Beto Guedes, Tadeu Franco, Paulinho Pedra Azul, Nepal, Código B, Bauxita, Play, dentre outros. Em seu trabalho atual, Will se apresenta com Neo Andrade (baixo) e Robinho Batera (bateria), executando repertório instrumental variado de músicas nacionais e internacionais, caminhando do pop ao baião, passando pelo samba e bossa nova.

 

  • Chico Amaral

 

Chico pertence a uma geração de músicos que está entre o Clube da Esquina e a nova música feita em Minas. Ele circula com facilidade em meio à música instrumental mais densa, à música pop e à MPB. Esta característica encontra- se na sua maneira mais aberta de tocar e de se relacionar com públicos diferentes.

A proposta de seu último cd Província almeja a divulgação para o público dessa nova música, feita com o senso de qualidade da música brasileira de sempre. Mais conhecido como letrista do Skank, Chico Amaral apresentará repertório instrumental dos autores Caetano Veloso, Dorival Caymmi, Tom Jobim, Sam Rivers, John Coltrane, dentre outros.

 

  • Latinamérica

 

O renomado violonista espanhol Júlio Ramirez que teve passagens por Festivais Internacionais e tocou ao lado de Paco de Luccia , deu sua contribuição para fundar ao lado do músico Joao Vianna(trompete), que como produtor e idealizador convidou Luciano Soares (violão) , Arildo Nani (percussão) e Clayton Homem Baixo para um projeto musical que visa elaborar arranjos e releituras para temas da música brasileira e latino-americana explorando a sonoridade dos instrumentos de forma única e demonstrando o virtuosismo dos músicos. Neste show os músicos prestam homenagem a Júlio Ramirez.

 

 

  • Wilson Lopes

 

Guitarrista, violonista, compositor, arranjador e produtor musical. Professor de música na Universidade Federal de Minas Gerais onde concluiu a graduação e mestrado. Natural de Pitangui (MG), veio para Belo Horizonte no início dos anos 70. Entre as influências mais importantes em sua formação musical estão: Milton Nascimento, Toninho Horta, Hermeto Pascoal, Miles Davis, Wayne Shorter. Parceiro musical, guitarrista, diretor musical e responsável pelos arranjos de banda e orquestra do compositor/cantor Milton Nascimento desde 1993. Gravou nos álbuns Ângelus (1993), Nascimento (1997), Gil e Milton (2000), Pietá (CD e DVD 2002), Milton Nascimento e Belmondo, gravado em Paris (2008), Uma Travessia Milton Nascimento – 50 anos de carreira (CD e DVD 2013) e no EP A Festa (2018) gravado no formato voz e violão.

Serviço: http://www.musicanaarvore.com.br

Insta:@instrumentalsolar

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here