Liberdade, igualdade e fraternidade

0
1001

Minha história em Coronel Fabriciano começou assim, em 1998: estava havia dois meses e meio na cidade, num trabalho voluntário, quando conheci, num barzinho, junto com o José Maria da Costa, uma senhora chamada Selma Caldeira. Conversamos muito e senti, imediatamente, que um corrente de sentimento passava entre nós.

Durante o tempo que aqui passei, eu me relacionei com muitas pessoas boas e sofridas, que muitas vezes não tinham trabalho, mas não perdiam a esperança.

Voltei comovida pelas condições difíceis de uma grande parte da população. Com o José Maria, andava muito no Morro do Carmo, no Santa Terezinha, na Prainha e em outros bairros.

O povo brasileiro já tinha conquistado o meu coração. Um povo digno, alegre, que não estava a chorar e a reclamar.

De volta à França, eu pensava: o que podemos fazer na minha pequena cidade de Fouesnnant para ajudar?

Reuni os meus amigos, os colegas, a família e decidimos criar uma associação chamada Solidarité Togo-Brésil.

Em 1999 fui recebida na casa da Selma Caldeira e foi o início de uma bela aventura. Começamos informal, em pequenos projetos. Em 2001 fundamos a Associação Solidariedade Brasil-Togo.

Mas Selma Caldeira é uma mulher forte, que pensa claramente, e viu que era preciso dar uma nova orientação ao projeto: capacitação profissional para ajudar os jovens a encontrar um emprego, um salário.

Precisávamos de uma sede, locais, materiais. Eu pensava: como a Selma Caldeira vai fazer? Mas, no mesmo tempo, eu sabia que ela tinha uma força de deslocar as montanhas.

Fomos à Prefeitura, à Universidade, aos amigos, às empresas, para chegar onde queríamos: construir uma sede para concentrar nesse lugar todas as forças para realizar um trabalho organizado e eficaz.

A ASBT e sua equipe vão bem no trabalho, tomamos juntos todas as decisões e sou muito feliz e realizada.

Todos esses anos, posso dizer na minha terra, aos membros da Solidarité Togo-Brésil, que eu encontrei aqui pessoas responsáveis, que usam o dinheiro com honestidade e eficácia para realizar uma obra bem estruturada que vai continuar de certo. Essas pessoas são todos que apoiaram a ASBT.

Quanto a mim, conheci um novo continente, uma outra maneira de viver, um povo corajoso e alegre. Tive que aprender uma nova língua, informática, contactar com outras entidades, organizar manifestações. Assim minha vida de aposentada não é banal, não é inútil.

Tenho meus filhos, meus netos, amigo, mas é bom ajudar os outros, porque somos ajudados, porque é como um bumerangue: damos e recebemos o melhor de nós. É bom ver no rosto das pessoas um sorriso que mostra que a vida é mais fácil com um pouco de conforto e um trabalho.

E com 17 anos de solidariedade ao Brasil é com muita alegria que estou aqui na Câmara Municipal de Coronel Fabriciano recebendo uma homenagem dessa Casa Legislativa, organismo tão sério, o que muito me honra.

Agradeço ao vereador Marcos da Luz esta homenagem, a qual divido com toda a equipe da ASBT e da Solidarité Togo-Brésil.

Obrigado a todos pelo reconhecimento! Vamos continuar juntos!

 

Michelle Jam, 72 anos, aposentada, natural de Bretanha (França), fundadora da Solidarité Togo-Brésil, condecorada com o Diploma Embaixadora da Paz pela Câmara Municipal de Coronel Fabriciano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here