ExpoCachaça começa hoje em BH reunindo 150 expositores e 700 rótulos

0
35
Começou ao meio-dia desta quinta-feira, 25 de novembro, a 30ª edição da ExpoCachaça e 14ª edição da Brasil Bier. O evento que acontece na Serraria Souza Pinto, no Centro de Belo Horizonte, pretende receber milhares de pessoas até a noite deste domingo, 28. Cerca de 150 expositores de todo o Brasil encontram-se no local para apresentar as novidades em bebidas e debater interesses os interesses da cadeia produtiva. A programação abre a retomada de eventos de negócios na capital mineira reaquecendo a economia nacional.

Na abertura oficial do evento contou com a presença do Presidente do Sistema FAEMG/SENAR e INAES, Roberto Simões; Presidente da Fundação Clóvis Salgado, Eliane Parreiras; Secretária de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Ana Maria Valentini; Superintendente Federal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais, Marcílio de Souza Magalhães; Secretário Executivo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Marcos Montes, assim também o Presidente da ExpoCachaça e BrasilBier, José Lúcio.

Durante o evento, José Lúcio destacou a importância do evento: “A ExpoCachaça foi a principal responsável pela visibilidade atingida e pelo status de destilado nobre da cachaça, retirando a cachaça do gueto a que esteve relegada por muitos anos, dando promoção e divulgação à bebida nos mercados interno e externo. O que nos orgulha é constatar que hoje ela é um evento que nasceu em Minas Gerais em 1998, há 23 anos, e ganhou liderança no Brasil e visibilidade mundial”, comenta.

“A Serraria Souza Pinto é um espaço com bastante ventilação natural, o que é um fator importante para o protocolo Sanitário, é no centro da cidade de BH e com uma boa estrutura de hotéis para atender ao público da feira. Faremos um belíssimo evento e com grandes negócios, como foi nas 29 edições anteriores, que contaram com um público de 2.292.000 de visitantes e mais de 400 milhões em negócios realizados nas Feiras e no pós-feiras”, afirma José Lúcio Mendes, presidente e promotor da ExpoCachaça e da BrasilBier.

Para os amantes de cachaça, cervejas artesanais e quem mais desejar marcar presença na edição deste ano, a venda antecipada dos ingressos está sendo feita pelo site oficial da ExpoCachaça e pela Sympla. A partir do dia 25 de novembro, as entradas também poderão ser adquiridas na portaria da Serraria Souza Pinto. A bilheteria fechará uma hora antes do fim do evento.

Crianças até 12 anos não pagam e menores de idade devem estar acompanhadas dos pais ou responsável. Além disso, idosos entre 60 e 64 anos pagam meia-entrada, mediante apresentação de documento. Já idosos com mais de 65 anos, não pagam. Aos turistas e amantes do evento, a ExpoCachaça 2021 fez uma parceira com os hotéis Novotel BH Savassi e Ibis Budget Savassi. Os hóspedes têm condições especiais na rede, além de mais conforto, comodidade e praticidade com a proximidade dos hotéis e a Serraria Souza Pinto, local do evento.

Os três primeiros dias de evento serão realizados de 12h às 00h. Já o encerramento será às 22h do domingo (28/11). Todos os dias terão atrações culturais, espaço gourmet, apresentação de novidades do setor, stands de marcas de todos os cantos do país, além de completa infraestrutura, conforto e segurança aos visitantes.

A ExpoCachaça será realizada no âmbito da Lei estadual de incentivo à cultura, realização Governo de Minas Gerais, governo diferente, estado eficiente.

A ECONOMIA E CACHAÇA!

E, para além de saborosa e plural, a cachaça tem importância considerável na economia do Brasil, movimentando cerca de R﹩ 7 bilhões e 500 milhões em sua cadeia produtiva anualmente no País. Não à toa, em território nacional, são produzidos cerca de 1,4 bilhão de litros de Cachaça por ano, segundo dados recentes do Centro Brasileiro de Referência da Cachaça e Euromonitor (CBRC) em 2019.

Em consumo, esse índice representa, aproximadamente 6,29 litros per capita. Levando em consideração apenas brasileiros entre 18 e 55 anos, os valores aumentam: 10,5 litros por indivíduo. Para dar conta da demanda, são milhares de produtores de cachaça e mais de 4 mil marcas em solo nacional. Deste total, 98% são pequenas e microempresas. Mas, somente cerca 1% de nossa produção é exportada, o que demonstra, que apesar da cachaça ser o terceiro destilado consumido no mundo, 99% desse consumo é interno.

Alemanha, Itália, França, Espanha, Uruguai, Argentina, Chile… são alguns dos países que mais importam a cachaça tipicamente brasileira.

Para título de comparação, de acordo com o Centro Brasileiro de Referência da Cachaça e Euromonitor, o Brasil tem uma contribuição anual de R﹩ 51 bilhões no mercado de bebidas alcoólicas, sendo o terceiro maior mercado em volume total, atrás apenas, claro, de China e Estados Unidos.

E Minas é o maior produtor de cachaça alambique no país, enquanto os paulistas lideram a produção da cachaça de coluna. Em Minas, a Cachaça de alambique, por Lei Estadual, é, inclusive, considerada patrimônio cultural do estado. Além disso, segundo o Centro de Indústrias de São Paulo, em pesquisa realizada em 2010, a Cachaça é, também, o produto que mais tem a “cara” brasileira.
Crédito: Nereu Jr / Expocachaça

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here