Minas Gerais é um dos Estados com mais prêmios conquistados no 39º Festival de Dança de Joinville

0
19

O 39º Festival de Dança de Joinville chegou neste sábado, 30 de julho, ao seu 12º e último dia de realização, já com as apresentações competitivas encerradas e premiações, anunciadas. Dos 23 estados participantes no evento, 11 chegaram nos primeiros lugares nas premiações especiais e nas disputas do Festival 40+, do Meia Ponta e da Mostra Competitiva. O que mais se destacou foi São Paulo, com 29 prêmios; seguido por Goiás e Santa Catarina, ambos com 11 prêmios; e Minas Gerais, com dez.

As companhias mineiras brilharam nas premiações especiais: a Studio Arte Dança teve Alan Keller escolhido como Melhor Coreógrafo e conquistou um primeiro lugar na Mostra Competitiva; e o ATM Grupo de Formação foi evidenciado como Melhor Grupo Mostra Competitiva, além de ter assegurado três primeiros lugares na Mostra Competitiva. A Buena Danza, a Cia de Jazz Emaline Laia e o Studio Arte Dança também garantiram primeiros lugares na Mostra Competitiva. Já no Meia Ponta, a companhia que levou um prêmio de primeiro lugar foi o Grupo Expressar.

Ely Diniz, presidente do Instituto Festival de Dança de Joinville, avalia o legado da 39ª edição, que marcou a retomada do evento inteiramente presencial depois dos desafios enfrentados em virtude da pandemia de covid-19 em 2020, quando o Festival teve de ser cancelado, e em 2021, adiado de julho para outubro: “O balanço é o melhor possível. Neste ano, os grupos voltaram com uma energia contagiante. O que estamos sentindo é uma grande alegria de todos que estiveram aqui em Joinville”. “As apresentações foram muito bonitas e o público estava represado em termos de sentimentos. Em todas as noites, percebemos que a plateia está extravasando. Isso traz para os bailarinos o que é mais precioso, receber palmas para saber que o seu trabalho está sendo bem recebido e bem visto. Nisto, o público de Joinville é extremamente caloroso e generoso”, acrescenta.

A grande expectativa pelo retorno do evento pôde ser constatada também na procura por ingressos, um dos motivos que levou a organização do evento a ampliar a abrangência e proporcionar ao público em geral oportunidades de assistir aos espetáculos em outras cidades, com apresentações e transmissões em Araquari, Balneário Barra do Sul e São Francisco do Sul. “Abrimos espaços gratuitos com dança de qualidade para que toda a região veja e sinta o que é o Festival de Dança”, explica o presidente.

Ely antecipa que o Instituto já se planeja para a próxima edição, a 40ª. “Estamos preparando uma série de ideias pois queremos sempre surpreender, entregar ao público e participantes algo a mais do que foi feito no ano anterior”, afirma.

Ganhadores dos Prêmios Especiais

Melhor Bailarina
• Meia Ponta: Sara Manoela de Souza, Alex Martins Cia, SC.
• Mostra Competitiva: Luciana Sagioro, Companhia Petite Danse, RJ.

Melhor Bailarino
• Meia Ponta: Ruan Carlos Ribeiro, Ballet Clássico Mônica Luiza, CE.
• Mostra Competitiva: Vitor Augusto Vaz da Silva, do Balé do Teatro Escola Basileu França, GO.

Melhor Coreógrafo
• Alan Keller, da Studio Arte Dança, MG.

Prêmio Daniel Camargo
• João Pedro Santos Silva, do Balé do Teatro Escola Basileu França, GO.

Melhor Grupo
• Festival 40+: Cia de Dança Expressão Vital, SC.
• Meia Ponta: Balé Infantil do Estado de Goiás, GO.
• Mostra Competitiva: ATM Grupo de Formação, MG.

Prêmio Especial
• Matheus Brusa, MB2, RS, pela trilha sonora original.

Foto


• Legenda: o ATM Grupo de Formação, MG, conquistou o Melhor Grupo da Mostra Competitiva, além de várias premiações, como o primeiro lugar no Balé Neoclássico com o solo feminino sênior “Sileo”.

• Crédito: Maykon Lammerhirt.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here