Um lugar onde Minas parece querer tocar o céu: Santa Bárbara e...

Um lugar onde Minas parece querer tocar o céu: Santa Bárbara e Barão de Cocais

5348
0
Compartilhar
  • Jornalista Geraldo Félix

Barão de Cocais – MG

Barão de Cocais é uma bucólica cidade mineira de 24 mil habitantes, há 93 km de Belo Horizonte e repleta de atrações naturais, como cachoeiras, sítios arqueológicos e mata lindíssima. Faz parte do percurso da Estrada Real e apesar de sua grande beleza, recebe um número insignificante de turistas, devido principalmente ao escasso investimento em marketing turístico.

O município foi fundado em 1704 e em 1943 recebeu o nome de Barão de Cocais em homenagem a José Feliciano Pinto Coelho da Cunha, um dos comandantes da Revolução Liberal de Minas que chegou a ser aclamado presidente interino da Província de Minas Gerais.

Durante todo o século XVIII e parte do XIX, o local teve sua atividade baseada na mineração. Um fascinante testemunho desta época é o sítio arqueológico de Congo Soco. Comprada pelos ingleses no século XIX, a localidade da Mina do Congo Soco se transformou em uma vila britânica nos trópicos, possuindo hospital, capela e cemitério particular. O conjunto das ruínas de Congo Soco é tombado pelo Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico desde 1995 e tal como este, Barão de Cocais possui outros bons exemplares. Outro deles é a portada da Igreja Matriz de São João Batista, onde está uma bela escultura do santo de mesmo nome executada pelo mestre do barroco mineiro Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho.

Uma boa dica de passeio na cidade é o Distrito de Cocais, onde é possível encontrar um verdadeiro oásis escondido na mata, a Cachoeira Cocais, que pode ser alcançada por uma longa trilha (que parece até ser encantada, de tão bonita). Ela possui dez quedas d’água que descem de uma montanha de pedras com mais de 30 m de altura, proporcionando um espetáculo maravilhoso. Os saltos formam duchas naturais e uma grande piscina que proporciona banhos gostosos e momentos aprazíveis. A caminhada é pesada para quem não está acostumado, com subidas e descidas íngremes em 80% do percurso, totalizando aproximadamente 13 km.

Outra opção para o ecoturismo são os Campos do Garimpo, que têm uma vista de seis cidades próximas e onde ficam os picos de Água Limpa, do Cume e a nascente do rio que banha o município. Uma atração imperdível é a Pedra Pintada, onde podem ser apreciadas algumas pinturas rupestres de mais de 5 mil anos.

Para quem deseja uma viagem no tempo, uma sugestão é começar o passeio desde Belo Horizonte na estação ferroviária, pegando o trem BH-Vitória até a estação Dois Irmãos, em Barão de Cocais. A viagem é lindíssima e dura cerca de 2 horas. No trajeto pode-se observar a verdadeira cultura interiorana mineira, além de paisagens deslumbrantes: cachoeiras, montanhas, mata nativa, povoados perdidos em meio à imensidão e, infelizmente, até mineradoras gigantescas, como a Vale do Rio Doce e a MBR.

Todo o passeio pode ser feito em único dia, começando às 7 da manhã, horário que parte o trem, até as 20 horas, quando retorna-se à capital mineira após um dia exaustivo, mas gratificante!

Santa Bárbara – MG

0000

Tendo a Serra do Caraça como inspiração natural, Santa Bárbara irradia bucolismo, tranqüilidade e hospitalidade tipicamente mineira. Fundada em 1704, é mais paragem nascida sob o brilho do Ciclo do Ouro.

Principal referência do centro histórico é a Matriz de Santo Antônio, marco da instalação do Arraial de Santo Antônio do Ribeirão Santa Bárbara. Considerada uma das mais antigas de Minas, tem como destaques a fachada exuberante e o teto pintado pelo Mestre Manuel da Cosa Ataíde.

Aliás, uma boa opção para quem chega em Santa Bárbara é o passeio guiado aos principais bens culturais da cidade. A visitação inclui pontos turísticos como a Casa da Cultura, o prédio da prefeitura, a antiga cadeia, o Hotel Quadrado e a Estação Ferroviária, símbolo do crescimento da região no início do século XX.

Saindo da área central, um cantinho que merece visitação é o Distrito de Brumal, outra referência da evolução do município. A localidade preza pela preservação de vários monumentos históricos, entre eles a Igreja, o Largo com o Chafariz ao centro, a Casa do Cartório e o prédio da escola velha.

No coração da cidade está localizado o Parque Recanto Verde, com 45 hectares de mata nativa. Ambiente propício ao lazer, o local ainda conta com quadra poliesportiva, playground, pista de skate e de caminhada, lago com pedalinhos e restaurante.

Deixe sua opinião!

LEAVE A REPLY