Casa Kubitschek – a casa de campo de JK na Pampulha

Casa Kubitschek – a casa de campo de JK na Pampulha

547
0
Compartilhar

Este espaço cultural, às margens da Lagoa da Pampulha, é dedicado a contar a história de uma casa modernista por meio de espacializações, objetos e estímulos sensoriais. A ideia é ampliar a experiência do visitante em relação aos modos de habitar dos anos 1940, 1950 e 1960, período singular para consolidação do pensamento modernista em Minas Gerais, e suas manifestações na arquitetura, no urbanismo, no paisagismo e nas artes. Os personagens importantes do período também ganham destaque no local.

A Casa apresenta as várias características que tornam a Pampulha singular para o Brasil. Os  jardins do paisagista Roberto Burle Marx (1909-1994) ficam na frente e nos fundos da casa projetada em 1943 por Oscar Niemeyer (1907-2012) para ser a residência de fim de semana para o então prefeito de Belo Horizonte, Juscelino Kubitschek (1902-1976). Com telhado em forma de asa de borboleta e planos inclinados, a Casa Kubitschek configura tipologia característica da arquitetura brasileira do modernismo. A edificação é tombada pelas instâncias do patrimônio municipal, estadual e federal, e passou por amplo processo de restauração e reconceituação, retornando ao público em setembro de 2013.

História

O imóvel onde JK passava os finais de semana foi vendido em 1956  à família de Joubert Guerra, ex-deputado e ex-prefeito de Diamantina, que faleceu em 1977 e era amigo íntimo de JK, seu padrinho de casamento, com quem freqüentou o seminário. Nos últimos 20 anos, a esposa de Joubert Guerra, Juracy Brasiliense Guerra, falecida em outubro de 2004, foi quem morou no local.

Atualmente, após o processo de desapropriação pela prefeitura e tombamento em nível municipal, estadual e federal, a casa retornou “ao público” e faz parte da campanha “Pampulha: Patrimônio da Humanidade”.

O projeto de autoria de Oscar Niemeyer  data de 1943 e segue todo conceito de arquitetura modernista utilizado na região da  Lagoa da Pampulha. A casa é tão surpreendente quanto foi o ex-presidente. O terreno tem 2.800 metros quadrados e a área construída é de 680m2, composta pela casa principal e uma menor aos fundos, que servia de escritório.

Com uma arquitetura bastante moderna para a época, possui dois painéis, sendo um de Alfredo Volpi e outro de Paulo Werneck, além do belíssimo mobiliário de época. A estrutura da edificação, característica aos anos 50 no Brasil, segue o mesmo estilo do Iate Tênis Clube, com cobertura em asa de borboleta.

Os jardins são assinados por Burle Max, logo na entrada da residência, um lago cheio de carpas tem reproduz o formato da Lagoa da Pampulha.

Por se tratar de uma residência de final de semana, a área social da casa é extremamente valorizada pois suas principais atividades eram de cunho social. A casa possui espaços específicos para o lazer, como a sala de jogos, piscina, pomar e pavilhão de lazer (aos fundos, ainda não totalmente recuperado).

A concepção do projeto traduz o objetivo principal do proprietário: receber. Por isso possui um amplo setor social e um bem resguardado setor íntimo. O diálogo desses dois setores não poderia se dar de maneira mais harmoniosa.

 Curta e Compartilhe a Fan Page da Casa Kubitschek

Funcionamento
Às terças, quartas, sextas-feiras, sábados e aos domingos: de 9h às 17h. Às quintas-feiras: de 9h às 21h.

Localização:
Avenida Otacílio Negrão de Lima, 4188, Pampulha
Tel.: (31) 3277-1586 / 3277-7993 / 3246-0309
Ônibus: 5106

Deixe sua opinião!

LEAVE A REPLY