Está dada a largada para o Carnaval de Belo Horizonte 2018

0
121
Com 550 desfiles de blocos de rua e expectativa de 3,6 milhões de foliões, a capital mineira se torna um dos destinos turísticos mais atrativos do Brasil durante o período momesco
Belo Horizonte se prepara para receber o melhor Carnaval dos últimos anos, com a estimativa da participação de 3,6 milhões de foliões, 550 cortejos de blocos de rua e muitas melhorias na estrutura. As novidades do Carnaval de 2018, que está sendo projetado para superar as expectativas, foram apresentadas, na manhã desta terça-feira, 23/01, em entrevista coletiva na sede da Prefeitura com a presença do prefeito Alexandre Kalil.
Kalil disse estar muito satisfeito e orgulhoso com a organização do evento e ressaltou a evolução do Carnaval nos últimos anos. “Carnaval é alegria! Quando assumi um ano atrás, eu disse a todos que essa cidade não seria mais triste, que não seria uma cidade que não acontece nada e é isso que estamos tentando fazer. Está de parabéns a cidade de Belo Horizonte, a nossa equipe, os hotéis, os bares e os ambulantes que vão fomentar essa economia que está tão combalida”, considerou.
De acordo com o presidente da Belotur, Aluizer Malab, a estrutura do Carnaval será melhor em todos os aspectos. A quantidade de banheiros químicos aumentou, haverá mais ambulantes nas ruas, nove palcos espalhados pela cidade, mais apoio e melhores condições para os desfiles de Escolas de Samba e Blocos Caricatos. O Carnaval 2018 está apresentando também uma evolução substancial da política de patrocínio e a expectativa é que o número de foliões seja 20% superior ao do 2017, sendo cerca de 180 mil turistas.
Para Aluizer Malab, a cidade vive um momento histórico. “Estamos vivendo uma enorme mudança no paradigma da cidade. Belo Horizonte, hoje, se vê cosmopolita, turística, de grandes fluxos, eventos e pessoas, tudo isso aliado à nossa cultura genuína, que proporciona experiências únicas. A capital mineira se acendeu para o Brasil e para o mundo e o Carnaval é o marco desse novo capítulo de nossa história”, definiu.
Pronta para a folia
A capital mineira está pronta para a folia. O período oficial do Carnaval de Belo Horizonte é de 27 de janeiro a 18 de fevereiro, com eventos no pré-Carnaval e também depois da Quarta-Feira de Cinzas, levando estrutura, logística e produção até o domingo seguinte.
Este ano são 480 blocos de rua cadastrados pela Belotur, que farão cerca de 550 cortejos, número superior ao de 2017, quando 416 desfiles alegraram a cidade. Nove palcos oficiais vão compor a programação do Carnaval de Belo Horizonte, na região Central, Savassi, Barreiro, Venda Nova, Norte e Leste da cidade.
Os desfiles de Blocos Caricatos vão acontecer na avenida Afonso Pena no dia 12/1, segunda-feira, a partir das 18h. Já as Escolas de Samba desfilam na terça, 13 de fevereiro, também a partir das 18h. Uma das novidades para 2018 é o aumento no valor da subvenção destinada aos grupos. As Escolas de Samba do Grupo A recebem R$ 75 mil; as do Grupo B, R$ 37,5 mil; e os Blocos Caricatos, também R$ 37,5 mil. Os valores representam um aumento de 50% em relação ao investimento realizado em 2017.
A estrutura na avenida Afonso Pena também receberá vários incrementos, como a pintura da rua na cor branca, que valoriza as fantasias e adereços, a instalação de um cronômetro visível na avenida, melhorias na estrutura de som e na iluminação do espaço, arquibancadas com mais conforto.
Cerca de 9,6 mil ambulantes foram credenciados para trabalhar durante o período oficial do Carnaval de Belo Horizonte e a movimentação financeira no período momesco deverá alcançar cerca de R$ 637 milhões, cifra 20% superior àquela registrada no ano passado. Em 2017 a receita proveniente dos gastos dos moradores da capital e turistas chegou a R$ 531 milhões. Essa movimentação financeira considera o impacto direto e indireto de foliões na cidade.
Saúde
Na área da saúde, haverá reforço na frota de ambulâncias do SAMU para o período de Carnaval. Serão mais três ambulâncias, sendo uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e duas Unidades de Suporte Básico (USB), em um total de 31 ambulâncias.
Além disso, as nove Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) estarão funcionando todos os dias, 24 horas por dia, no período de 9 a 14 de fevereiro. Serão instalados dois Postos Médicos Avançados (PMA’s) para atendimento da população, com apoio e parceria dos Bombeiros, na Praça da Estação, no Centro de Referência da Juventude (CRJ), rua Guaicurus, 50 Centro, e na rua Paraíba em frente ao número 340, no bairro Funcionários, nas imediações da Praça Tiradentes.
O transporte coletivo também terá planejamento especial a partir de sábado, dia 09, para atender usuários e foliões de acordo com os eventos previstos e a limpeza urbana será garantida com o plantão de 800 garis todos os dias do período oficial do Carnaval, atuando antes da passagem dos blocos, durante os desfiles e após a dispersão dos foliões. Esse número também aumentou em relação a 2017, quando 600 garis ficaram de plantão.
Além do prefeito Alexandre Kalil e do presidente da Belotur, participaram também da coletiva o secretário municipal de segurança e prevenção, Genilson Ribeiro Zeferino, o secretário de planejamento, André Reis, o presidente da BHTrans, Célio Bouzada, a secretária municipal adjunta de saúde, Taciana Malheiros Lima Carvalho, e o comandante da Guarda Municipal, Rodrigo Prates.
A festa momesca em Belo Horizonte tem o patrocínio da Skol, parceira há cinco anos na folia da capital, e da Uber, nova incentivadora do Carnaval.  O Carnaval de Belo Horizonte também conta com a parceria da Rede de Hotéis Vert, Jornal O Tempo, BH Airport e da Locadora de Equipamentos Lafaete.
Carnaval Belo Horizonte 2018 terá estrutura reforçada, mais desfiles nas ruas e folia em toda a cidade
Em 2018, a programação do Carnaval de Belo Horizonte terá nove palcos oficiais em toda a cidade. São três palcos fixos, na Praça da Estação, na rua Guaicurus e na avenida Brasil, programação infantil com o Carnavalzinho na Savassi (13/2, de 10h às 16h) e no Parque Municipal (11/1, das 9h às 15h).
A programação de shows também chega ao Barreiro (avenida Deputado Álvaro Antônio, entre a avenida Dois e a avenida Olinto Meireles, bairro Milionários), no dia 10/02 de 16h às 23h; à Venda Nova (avenida Vilarinho com rua Edgar Torres, bairro Minas Caixa), dia 11/02, de 16h às 23h; na regional Norte (Via 240, próximo à rotatória da Saramenha), no dia 10/02, de 16h às 23h; e na Leste (avenida Belém entre avenida dos Andradas e rua Tulipa, bairro Esplanada), no dia 13/02, de 16h às 23h.
Os desfiles de Blocos Caricatos acontecem na avenida Afonso Pena no dia 12/1, segunda-feira, a partir das 18h. Já as Escolas de Samba desfilam na terça, 13 de fevereiro, também a partir das 18h. Uma das novidades para 2018 é o aumento no valor da subvenção destinada aos grupos. As Escolas de Samba do Grupo A recebem R$ 75 mil; as do Grupo B, R$ 37,5 mil; e os Blocos Caricatos, também R$ 37,5 mil. Os valores representam um aumento de 50% em relação ao investimento realizado em 2017.
A estrutura na avenida Afonso Pena também receberá vários incrementos, como a pintura da rua na cor branca, que valoriza as fantasias e adereços, a instalação de um cronômetro visível na avenida, melhorias na estrutura de som e na iluminação do espaço, arquibancadas com mais conforto.
O regulamento de 2018 inova ainda ao prever, desde já, a vigência a partir de 2019 de uma dinâmica de acesso e rebaixamento das Escolas entre Grupo A e Grupo B, estimulando uma competição saudável que resulte na qualificação dos desfiles a cada ano.
Outro aspecto importante, também previsto no regulamento, é a abertura de espaço para o surgimento de novas Escolas de Samba e Blocos Caricatos, um ingrediente com potencial para trazer inovação e renovação para o Carnaval.
Corte Momesca
Beleza, simpatia e, claro, muito samba no pé. É o que a Corte Momesca, eleita para o Carnaval de Belo Horizonte de 2018, irradia por onde passa. Representando em grande estilo a capital em seus 120 anos, o trio formado pela rainha Maria Luiza Siqueira Carvalho, o rei momo Antônio de Pádua Machado e a princesa Andréia de Oliveira Marques têm como missão agregar ainda mais brilho nesta folia surpreendente e grandiosa que se tornou a de Belo Horizonte.
Além de diversos eventos da festa momesca, o trio também tem uma agenda social a cumprir e realiza visitas a entidades, asilos e escolas.  A corte participa dos blocos de rua, dos desfiles das escolas de samba e blocos caricatos e nos palcos oficiais do Carnaval de Belo Horizonte e de bailes da terceira idade.
Reforços na área da Saúde
Haverá reforço na frota de ambulâncias do SAMU. Serão mais três ambulâncias, sendo uma Unidade de Suporte Avançado (USA) e duas Unidades de Suporte Básico (USB). Essas ambulâncias se somam às 28 ambulâncias do SAMU que atuam na capital, sendo 21 USB e 6 USAs, além do helicóptero do Batalhão de Operações Aéreas (BOA) do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, que conta com a presença de um médico do SAMU.
O SAMU de Belo Horizonte também é responsável pela regulação das ambulâncias (todas USB) de Ribeirão das Neves (2 ambulâncias), Caeté (uma ambulância) e Nova Lima (uma ambulância). As três ambulâncias estarão em locais próximos a blocos identificados pela Belotur com previsão de maior público. Além disso, as 9 Unidades de Pronto-Atendimento estarão funcionando todos os dias, 24 horas por dia.
Período 9 a 14 de fevereiro
A SMSA irá instalar dois Postos Médicos Avançados (PMA’s) para atendimento da população, com apoio e parceria dos Bombeiros, nos seguintes locais:
• Praça da Estação: Centro de Referência da Juventude (CRJ) – Rua Guaicurus, 50 Centro
• Praça Tiradentes – Rua Paraíba em frente ao número 340 – Funcionários
PMA Praça da Estação – estrutura com 4 leitos na sala vermelha (para pacientes mais graves) e 14 leitos sala amarela (pacientes menos graves). Profissionais por plantão:
5 médicos
3 enfermeiros
9 técnicos de enfermagem
1 auxiliar limpeza
1 segurança
1 administrativo
1 assistente social (apenas plantão diurno)
PMA Praça Tiradentes – estrutura com 2 leitos na sala vermelha (para pacientes mais graves) e 10 leitos na sala amarela (pacientes menos graves). Profissionais por plantão:
3 médicos
2 enfermeiros
6 técnicos de enfermagem
1 auxiliar limpeza
1 segurança
1 administrativo
Outras ações de saúde – Carnaval 2018
• Funcionamento dos centros de saúde na 2ª feira de carnaval, 12/01/2018
• Intensificação da testagem rápida para HIV/ Sífilis e hepatites Virais nos centros de saúde, SAE (CTR Orestes Diniz/Santa Efigênia) e CTAs (Carijós e Sagrada Família) durante as duas semanas após carnaval
• Ação de prevenção na Banda Mole
• Disponibilização de preservativos para as empresas e ONGs
•  Participação no desfile das escolas de samba e blocos caricatos para ações de prevenção com os redutores de danos do programa “Bh de mãos dadas contra aids”
•  Ação de prevenção junto aos shoppings populares da região central de BH
• Divulgação do aplicativo “BH sem mosquito”
• Divulgação vacinação contra a Febre Amarela
Ambulantes
Cerca de 9,6 mil ambulantes foram credenciados para trabalhar durante o período oficial do Carnaval de Belo Horizonte. Eles estão recebendo suas credenciais até a quarta-feira (24/1) no Largo da Saideira, das 9h às 18h. Os ambulantes poderão comercializar bebidas, alcoólicas ou não, e adereços carnavalescos nos ensaios de blocos de rua, durante o pré-carnaval, e nas concentrações e desfiles entre os dias 27 de janeiro a 18 de fevereiro. Deverão encerrar o trabalho no momento de dispersão. Está proibida a venda de bebidas em recipientes de vidro, assim como bebidas fracionadas (em doses). Em hipótese alguma poderão vender bebidas alcoólicas para menores de 18 anos.
Além de usar a credencial em lugar visível, os vendedores deverão ainda portar documentos de identificação com foto (carteiras de identidade, de motorista, de trabalho ou passaporte). Importante ainda destacar que as credenciais devem ser colocadas em locais visíveis. Quem não usar pode perder o direito à comercialização. A autorização para atividade comercial eventual é pessoal e intransferível.
Usando o bom senso, os ambulantes devem ainda ficar atentos para não obstruir ou dificultar a passagem de foliões ou dos próprios blocos de rua. Ou seja, devem contribuir com a evolução dos desfiles pelas ruas de Belo Horizonte.
Trânsito e transporte coletivo
A BHTrans preparou um esquema delimitando as áreas onde os blocos estarão concentrados, criando assim uma estrutura de interdições e desvios que vão facilitar e minimizar o impacto para aqueles que precisam transitar dentro da Área Central durante o Carnaval de Belo Horizonte.
A recomendação é que os motoristas deem preferência por transitar pela avenida do Contorno que estará liberada para o trânsito e transporte o que vai facilitar o acesso a qualquer destino dentro da Área Central. Quem precisa chegar à região hospitalar, o melhor caminho é usar a avenida do Contorno e acessar pela avenida Francisco Sales.
A partir de sábado (9/2), o transporte coletivo municipal terá um planejamento especial para atender os usuários e foliões. É importante salientar que a ampliação no quadro de horários e acréscimo de viagens não se dará de forma uniforme, mas acompanhando a previsão e realização dos eventos. Linhas alimentadoras das estações (São Gabriel, Vilarinho, Venda Nova, Pampulha, Diamante e Barreiro) estarão preparadas para atender a demanda, sobretudo, em virtude do horário estendido no atendimento do Metrô.
Área Central – O esquema de trânsito dos blocos da Área Central vai impactar o itinerário e os pontos de embarque e desembarque. Diversas linhas irão seguir rotas, sobretudo transitando na avenida do Contorno, evitando as áreas dos blocos e garantido a mobilidade dos usuários durante o Carnaval. A BHTrans vai disponibilizar no site da Prefeitura de Belo Horizonte um ‘Guia de Bolso’ em que o usuário/folião poderá consultar, baixar ou imprimir um mapa com o desvio e os pontos da linha que utiliza. Cada linha que tiver desvios na Área Central terá um arquivo em PDF e o usuário poderá consultar.
MOVE – O Sistema MOVE também terá operação especial durante o Carnaval para atender os usuários. As estações de transferência das avenidas Cristiano Machado, Antônio Carlos, Pedro I e Vilarinho irão ficar abertas 24 horas, das 4h de sexta-feira, 9/2, até de 1h de quinta-feira, dia 14/2. As estações de transferência das avenidas Santos Dumont e Paraná terão operação em horários distintos em virtude de blocos na região. Os usuários serão informados com antecedência por meio de cartazes e avisos sonoros nessas estações.
CBTU: Metrô vai funcionar até às 2 horas da manhã nos dias 3 (sábado); 10 (sábado), 11 (domingo),12 (segunda-feira) e 13 (terça-feira).
Posso ajudar? – Para ajudar os foliões e usuários do transporte coletivo, servidores da BHTrans prestarão informações sobre a cidade (trajetos, hotéis, transporte municipal e intermunicipal, por exemplo) em pontos estratégicos da Área Central.
No portal e na rede sociais – Todas as informações sobre trânsito e transporte do Carnaval de Belo Horizonte 2018 estarão disponíveis no portal da BHTRANS. Para acompanhar a situação do trânsito em tempo real durante o #CarnavalBH2018 , siga o perfil da BHTrans no twitter: @OficialBHTRANS . A página da BHTrans no Facebook também será atualizada com informações sobre o Carnaval. A Central de Relacionamento da Prefeitura de Belo Horizonte, 156, também irá prestar informações sobre trânsito e transporte.
Limpeza
De acordo com a Superintendência de Limpeza Urbana (SLU), cerca de 800 garis estarão de plantão todos os dias do período oficial do Carnaval, atuando antes da passagem dos blocos, durante os desfiles e após a dispersão dos foliões. Esse número também aumentou em relação a 2017, quando 600 garis ficaram de plantão.
Serão 800 contêineres instalados diariamente nos locais de maior concentração de pessoas, cada um com capacidade para 240 litros de resíduos, além de dezenas de caminhões coletores. Embora a recomendação seja que comerciantes e foliões evitem o uso de recipientes de vidro e espetos de churrasco, as equipes estarão a postos para recolher resíduos perfurocortantes que tenham sido jogados no chão, prevenindo, assim, riscos de acidentes.
Os sacos de lixo utilizados pela Prefeitura para o recolhimento dos resíduos coletados nas vias novamente ganharão cores vibrantes, para combinar com o clima festivo. Neles será possível ler a mensagem “Carnaval consciente, não jogue lixo na rua”, como forma de celebrar as boas atitudes urbanas e chamar a atenção para o cuidado com a cidade. Em 2018, estarão envolvidos na operação de limpeza mais de mil profissionais, entre coletores, motoristas, ajudantes, técnicos e coordenadores.
Em 2017 foram recolhidas 840 toneladas de resíduos na capital, o que representa 121% a mais que na folia de 2016, quando foi contabilizado um total de 379 toneladas.
Hotelaria
O setor hoteleiro está otimista para o Carnaval de 2018 em Belo Horizonte. De acordo com o diretor da ABIH-MG (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Minas), Diogo Alves da Paixão a expectativa de ocupação média na cidade é de 60%.
Nos empreendimentos da região Centro-Sul, que concentra a maior parte da folia, esse número sobe para 90%. “Recordes absolutos para o período. Imagina que há alguns anos a hotelaria dava até folgas neste período pela baixa procura”, ressalta Paixão.
Ele ressalta ainda a criatividade dos hotéis (que são independentes em suas ações). Segundo o empresário, há hotéis que vão dar descontos, outros um café da manhã ainda mais reforçado e ‘kits ressaca’, alguns estão fazendo pacotes e tarifas promocionais para a data, horários estendidos dentre outras promoções.
Taxa de ocupação média
2016: 47,57%
2017: 53,32%
2018: Expectativa 2018 é de aumento de 10 a 15%, de acordo com a ABIH
Bares e Restaurantes
Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-MG) a movimentação econômica esperada para o período do Carnaval de 2018 é de 35% a mais que em 2017. Com isso, estima-se aumento de receita em 30%, também em comparação a 2017.
Pesquisa
Pela primeira vez na história do Carnaval de Belo Horizonte, as pesquisas de satisfação começarão na pré-folia, mais precisamente a partir do dia 3 de fevereiro, e terminarão na terça-feira dia 13. Serão realizadas nas regionais e nos blocos de maior concentração.
O estudo, que será feito por uma empresa contratada, vai abordar o perfil, gastos, avaliação e satisfação do folião em relação à festa.
O Carnaval de Belo Horizonte cresce na fidelização do morador que, orgulhoso da explosão desse fenômeno, começou a permanecer na cidade e divulgar o evento para amigos e parentes de outras cidades. Tudo isso permite que os órgãos competentes possam trabalhar o potencial de fidelização dos turistas para retornar à cidade e para atrair novos turistas. Em 2017 mais de 93% dos moradores e mais de 90% dos visitantes manifestaram interesse em retornar ao evento em 2018.
A avaliação positiva do evento foi superior a 80%. O objetivo é manter a qualidade da festa para 2018.
RAIO-X do Carnaval de Belo Horizonte
Público total nos eventos de rua
2016: 2 milhões
2017: 3 milhões
2018: Expectativa de 3,6 milhões
Blocos de Rua
2016: 200 blocos com 254 desfiles
2017: 350 blocos com 416 desfiles
2018: 480 blocos com 550 desfiles
Divisão de cortejos blocos de rua por regionais
Centro-Sul: 47%
Leste: 15%
Nordeste: 6%
Oeste: 9%
Noroeste: 8%
Barreiro: 2%
Venda Nova: 2%
Pampulha: 8%
Norte: 3%
Divisão de cortejos Blocos de Rua por dia
Pré-Carnaval (27 a 09/02): 28%
Sábado (10/02): 19%
Domingo: (11/2): 22%
Segunda (12/02): 12%
Terça: (13/2): 13%
Quarta (14/02): 1%
Pós Carnaval (15 a 18/02): 4%
Ambulantes
2016: 3,4 mil
2017: 9 mil
2018: 9,6 mil
Turistas
2017: 464 mil (129 mil turistas x 3,6 dias de participação)
2018:  expectativa de 554,4 (154 mil x 3,6 dias de participação)
Banheiros químicos (diárias)
2016: 7 mil
2017: 10 mil
2018: 14 mil
Segurança
2018: 2.064 Guardas Municipais
Movimentação financeira
2018: Movimentação financeira no período oficial de programação – 27 de janeiro a 18 de fevereiro – deverá alcançar cerca de R$ 637 milhões, cifra 20% superior àquela registrada no ano passado, quando a receita direta e indireta de gastos de belo-horizontinos e foliões alcançou R$ 531 milhões.
Subvenção aos Blocos de Rua
2017: R$ 300 mil (até R$ 10 mil por bloco)
2018: R$ 500 mil (até R$ 10 mil por bloco)
Patrocínio
2017: R$ 1,5 milhões. Patrocinador: Skol
2018: R$ 9 milhões, sendo R$ 3,599 milhões + R$ 5,4 milhões em estruturas e serviços. Patrocinadores: Skol e Uber
 Linha cronológica do Carnaval de Belo Horizonte
• 1897: Foliões fazem o Carnaval em BH, antes mesmo de sua inauguração
• Década de 1910: Começa o desfile das grandes sociedades, que saíam com os carros alegóricos (na verdade caminhões) pela cidade
• Década de 1930: A Escola de Samba Pedreira Unida, formada por moradores da Pedreira Prado Lopes, é a primeira agremiação a desfilar em BH
• 1947: Fundação do primeiro Bloco de Rua do Carnaval de Belo Horizonte: Leão da Lagoinha
• 1975: Banda Mole faz sua estreia no Carnaval, fruto de uma dissidência do Leão da Lagoinha
• 1980: Escolas de Samba e Blocos Caricatos saem pela primeira vez na avenida Afonso Pena. Desfile oficial do Carnaval foi instituído pelo Decreto Municipal 3.676
• 1990: Blocos Caricatos e Escolas de Samba deixam de desfilar na avenida Afonso Pena
• 2004: Desfile das Escolas de Samba é transferido para a Via 240, na Região Norte
• 2010: Movimentos de Blocos de Rua começam a surgir pela cidade
• 2011: Desfile das Escolas de Samba é transferido para o Boulevard Arrudas, na Região Centro-Sul
• 2013: Blocos de Ruas atraem grande número de foliões, em especial na Região Central e no Bairro Santa Tereza
• 2014: O desfile das Escolas de Samba e Blocos Caricatos volta para a avenida Afonso Pena depois de 24 anos sendo realizado em outros locais. Blocos de Rua levam uma multidão de foliões para todas as regiões da cidade
• 2015: Com mais de 1 milhão de pessoas nas ruas, o Carnaval de 2015 entrou para a história da capital mineira quanto ao número de público. Foram mais de 200 blocos animando a festa em vários pontos da cidade; nove blocos caricatos e seis escolas de samba desfilaram na avenida Afonso Pena
• 2016: Público de 2 milhões de foliões. Hotéis tiveram 40% de ocupação
• 2017: 3 milhões de foliões nas ruas de Belo Horizonte, 416 desfiles de blocos de rua, além dos tradicionais desfiles de escolas de samba, blocos caricatos e shows de artistas locais nos palcos oficiais. Após 36 anos, o primeiro Bloco de Rua do Carnaval de Belo Horizonte, Leão da Lagoinha, volta a desfilar na cidade e comemora 70 anos de existência. Três palcos oficiais com programação de artistas locais e regionais: Praça da Estação, avenida Brasil e rua Guaicurus. Patrocínio da Skol: 1,5 milhão. Investimento da PBH: 1,5 milhão. A receita turística direta estimada em 2017 cresceu cerca de 65% em relação à receita de 2016
• 2018: Previsão de crescimento de 20% de foliões em relação a 2017: 3,6 milhões. Cerca de 480 blocos de rua cadastrados e 550 desfiles de blocos. Nove palcos oficiais com programação de artistas locais e regionais nas nove regionais. Incremento na estrutura dos desfiles de escolas de samba e blocos caricatos. Patrocínio: Skol e Uber (R$ 3,599 milhões + planilha de estrutura, serviços e logística).
A festa momesca em Belo Horizonte tem o patrocínio da Skol, parceira há cinco anos na folia da capital, e da Uber, nova incentivadora do Carnaval.
O Carnaval de Belo Horizonte também conta com a parceria da Rede de Hotéis Vert, Jornal O Tempo, BH Airport e da Locadora de Equipamentos Lafaete.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here