PROJETOS SOCIAIS DA REGIÃO OESTE DE BH RECEBEM CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

0
314

Visando ampliar a atuação e gerar parcerias para consolidar suas ações, projetos sociais dos bairros Buritis, Prado e Palmeiras estão tendo aulas voltadas para gestão. Ministradas por profissionais da Fundação Dom Cabral e outros grandes nomes do mercado, a capacitação leva acesso a informações que ampliam as ferramentas de atuação dessas entidades. “Tem sido muito proveitoso, tanto a parte teórica quanto a parte prática. Com as aulas podemos aprofundar o conhecimento sobre a utilização de ferramentas que antes conhecíamos de forma superficial”, assegura Elmo Sebastião, produtor da Crepúsculo – Centro de Desenvolvimento Humano.

Localizada no bairro Prado e fundada há 22 anos, a entidade contribui para que pessoas com limitações, aparentes ou não, se reconheçam como sujeitos com a maior autonomia possível. A instituição funciona de segunda a sexta, das 8h30 às 16h30, e atende 30 jovens com oficinas de tecelagem, jardinagem, música, dança, teatro e arte terapia, além de ter grupos teatrais e de dança que rodam estados brasileiros com seus espetáculos. “O saldo dessa capacitação é positivo e vai para além da sala de aula. O convívio com gestores de outras organizações é muito rico pela troca de experiências e a ajuda mútua. Já começamos a utilizar os saberes adquiridos na área administrativa e na comunicação da Crepúsculo”, comenta.

Essa capacitação é fruto do Hub Lab, um projeto do Hub Social – entidade de Belo Horizonte sem fins lucrativos, que visa estimular e co-criar a inovação reunindo organizações para capacitar, investir e apoiar instituições de impacto social – que oferece formação para cerca de 40 instituições da capital, e região metropolitana, selecionadas por meio de edital. As aulas acontecem às terças-feiras na sede do HUB, na Pampulha, e seguem até dezembro.

Além da Crepúsculo, outras cinco instituições da região Oeste da capital mineira participam deste ação. No bairro Buritis, o projeto Bom Na Bola Bom Na Vida atende jovens carentes de quatro a 17 anos. Eles participam de atividades nas áreas de esporte, cultura, meio ambiente, saúde e cidadania. Também são desenvolvidas ações de integração com a comunidade, visitas a equipamentos públicos e reuniões familiares.

Fundada também no bairro Buritis, a CAONG – Compre e Ajude, é um negócio de empreendedorismo social, que conecta o consumidor às principais lojas da internet. Parte do valor da compra é revertido para organizações sociais parceiras do projeto. A Ong Cidade Refúgio, que acolhe moradores de rua e pessoas com problemas decorrentes do uso abusivo de álcool e drogas, é um dos parceiros, e já teve mais de 1.250 pessoas beneficiadas pela iniciativa da Caong. Caso a pessoa tenha alguma entidade específica que queira ajudar, ela pode enviar a sugestão no momento da compra.

Focado em conectar terapeutas e pais de crianças autistas, o Observatório do Autista, no Prado, busca novas metodologias e tecnologias para intensificar a intervenção e melhorar a qualidade de vida das famílias que convivem com indivíduos dentro do espectro. Eles desenvolveram o aplicativo Odapp que permite encontrar terapeutas, elaborar e compartilhar manuais terapêuticos e folhas de registro personalizadas. Auxilia também a aumentar a frequência das intervenções realizadas pelos pais em domicílio com supervisão do profissional.

Já no bairro Palmeiras, a Orquestra Parque Sagrada Geração, fundada em 2004, é uma iniciativa voltada para o desenvolvimento da cidadania. Criada pelo professor de geografia e ativista socioambiental, Rodrigo Bolivar, e pelo músico Hércules Azevedo, essa é a primeira orquestra de parques em Belo Horizonte. O objetivo é promover a educação ambiental, musical e a harmonia nos parques e escolas da região. O projeto oferece oficinas de inicialização musical, aulas teóricas e de técnica de instrumento às crianças e jovens de comunidades de baixa renda e às escolas da região que queiram participar da iniciativa.  As aulas são ministradas, gratuitamente, por músicos profissionais e monitores capacitados.

Na capacitação, os gestores dos projetos passam por aulas de gestão estratégica de pessoas, processos administrativo e financeiro, além de mobilização de recursos, marketing, comunicação e voluntariado. Com os conhecimentos adquiridos, as entidades estão passando por reestruturação interna, o que possibilita atuar de forma mais sustentável e assertiva, principalmente na captação de recursos para ampliar suas ações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here