Orquestra Sinfônica de Minas Gerais recebe o maestro Alexis Soriano para duas apresentações no Palácio das Artes

0
58

Com o apoio da Embaixada da Espanha no Brasil e do Instituto Cervantes de BH, o renomado maestro espanhol Alexis Soriano, considerado um dos regentes mais proeminentes de sua geração, apresenta trechos das Sinfonias nº 3, de Sibelius e nº 3, de Brahms, nos dias 21 de maio, às 12h, com entrada gratuita, e no dia 22 de maio, às 20h30, com ingressos a R$ 20

A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais fará duas apresentações no Grande Teatro do Palácio das Artes, sob a regência dorenomado maestro espanhol Alexis Soriano. O concerto faz parte das séries Sinfônica ao Meio-dia e Sinfônica em Concerto, e acontecem nos dias 21 de maio, terça-feira, às 12h, com entrada gratuita e no dia 22 de maio, quarta-feira, às 20h30, com ingressos a R$ 20 (inteira), respectivamente. No repertório, o regente traz trechos das Sinfonias nº 3, de Sibelius e nº 3, de Brahms. O evento é uma realização da Fundação Clóvis Salgado, APPA – Arte e Cultura e tem o apoio da Embaixada da Espanha no Brasil e do Instituto Cervantes BH – órgão oficial do governo da Espanha e referência mundial na difusão da cultura e do ensino de espanhol.

 

Reconhecimento internacional

 

Alexis Soriano é um dos regentes espanhóis mais proeminentes de sua geração.  Ele é diretor artístico da empresa “Opera Incognita”, de São Petersburgo, com a qual representou “Cartas de Van Gogh” Grigory Frid, que foi apreciado por unanimidade pela crítica e pelo público como uma das sensações da ópera em São Petersburgo em 2009. Desde novembro de 2012, é o diretor artístico do “New York Opera Society”, com o qual fez sua estreia em Washington recentemente. Também foi nomeado como um dos “100 espanhóis” entre artistas, cientistas e empresários que se destacam por suas realizações e carreiras no estrangeiro e têm o apoio da marca “España”.

 

Criou o Festival “Noites de Espanha”, em 1998, evento musical que apresenta anualmente um programa variado de música espanhola nas mais importantes salas em St. Petersburg e levou a estreia mundial de numerosas obras para ensemble ou orquestra (autores como Sanchez Verdu, Jose Luis Turina, Jesus Rueda, Pilar Jurado, Jordi Cervelló, Eduardo Rincón, Sergio Blardony, Ramon Lazkano, Miguel Franco, entre outros).

Foi aluno de Ilya Musin no Conservatório de São Petersburgo e diretor associado da Orquestra do Hermitage em São Petersburgo 1998-2008 e, ainda, maestro titular da Orquestra Sinfônica do Estado de INSO Lviv (Ucrânia) em 2010-2012.Estreou na Sinfônica de São Petesburgo com a Sinfonia Nº 1 de Mahler em 2001. Na Espanha, ele tem conduzido a maioria das orquestras sinfônicas e, fora dessas fronteiras, destaca-se ainda na Sinfônica de Taipei;  Filarmonica Eslovaca; Sinfônica de Praga;  The Komische Oper Berlin; Tapiola Sinfonietta e Symphony of Oulu (Finlândia);  Buenos Aires Filarmônica, English Chamber Orchestra (Londres), Orquestra Claudio Santoro do  Teatro Nacional de Brasília; The Kaunas Symphony (Lituânia), Dnepropetrovsk Orquestra Sinfônica (Ucrânia),  Orquestra do Grande Teatro em Poznan (Polônia), National Macedónia, Regionale del Lazio, Sinfônica de Grosseto (Itália), San Kristoforo Vilnius (Lituânia), Moscow Virtuosi, National Andorra, entre outras.

Alexis Soriano já se apresentou em teatros e festivais de classe mundial, como o Teatro Real de Madrid, Liceu em Barcelona, ​​Palau de Valencia, Mariinsky em São Petersburgo, Colon em Buenos Aires, Auditorio de Tenerife, Santander Festival, Música Contemporânea de Alicante, Internacional Galicia, Torroella de Montgri, Passau Festwoche.Entre as óperas que ele dirigiu estão Faust (Gounod), Bodas de Fígaro (Mozart), Scala di Seta (Rossini), Boris Godunov (Mussorgsky), Falstaff  (Verdi), The Tree of Diana (Martin y Soler ), Eugene Onegin (Tchaikovsky), A Filha do Regimento (Donizetti), Glaura e Cariolano (Lidón) e a estreia mundial de O afilhado de Morte (Wilfred Junge) e Don Quijote de Dulcinea (Agustín Castilla-Avila) no Festival de Passau-Alemanha 2010.Em outubro de 2011, ele estreou com grande sucesso no Teatro de Ópera de Lviv (Ucrânia) com “Madame Butterfly”.

Serviço:

 

Sinfônica ao Meio-Dia e Sinfônica em Concerto

 

Local: Grande Teatro, do Palácio das Artes – Av. Afonso Pena, 1537, Centro, Belo Horizonte

Dias e horários: Sinfônica ao Meio-Dia – 21 de maio (terça-feira), às 12h, entrada gratuita.

                             Sinfônica em Concerto – 22 de maio (quarta-feira), às 20h30. Duração: 60 min. Ingresso: R$ 20 (inteira), na bilheteria ou pelo site http://fcs.mg.gov.br/eventos/4146/

Classificação: Livre

Informações: (31) 3236-7400

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here