O Pequeno Príncipe ganha versão inédita que mescla teatro e música de concerto

0
40

No aniversário de 18 anos, Orquestra Ouro Preto lança produção ao lado do compositor Tim Rescala e do bonequeiro Eduardo Félix. Apresentações acontecem em Belo Horizonte e São Paulo em 14, 17 e 18 de outubro de 2018

Você sabe como nasce uma estrela? Este é o ponto de partida da adaptação que o Maestro Rodrigo Toffolo construiu a partir do clássico “O Pequeno Príncipe”, obra literária do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, para o novo concerto da Orquestra Ouro Preto. “Orquestra Ouro Preto O Pequeno Príncipe é uma obra com significado especial, pois marca a celebração dos nossos 18 anos numa composição que tem o DNAde nossa Orquestra derealizar produções originais e inovadoras no universo clássico”, conta Rodrigo Toffolo, que tem em seu repertórioconcertos de sucesso de público como Valencianas, projeto premiado que deu a Alceu Valença, o cancioneiro pernambucano, um tratamento de música de concerto e acaba de circular o nordeste no último mês de setembro com uma turnê de apresentações com teatros lotados nas cidades de Natal (RN), João Pessoa (PA) e Recife (PE). Somente em 2018, a Orquestra Ouro Preto já circulou o Brasil com turnês que passaram por todos os Estados, reunindo, em 40 concertos, cerca de 90 mil pessoas.

A estreia nacional do concerto Orquestra Ouro Preto O Pequeno Príncipe acontece em Belo Horizonte e São Paulo. Na capital mineira, o concerto será apresentado no domingo, 14 de outubro, e em São Paulo, nos dias 17 e 18 de outubro. Na oportunidade, será lançado o CD do Concerto que irá compor a discografia da Orquestra Ouro Preto que contempla 10 produções, entre elasLatinidade (2007) indicada ao Grammy Latino e Valencianas que recebeu o Prêmio da Música Brasileira, como melhor álbum de MPB de 2014.

Rodrigo Toffolo, diretor artístico e regente titular da Orquestra Ouro Preto, assina a adaptação do texto para o espetáculo, conta que a soma dos instrumentos orquestrais à narração e ao cenário composto por bonecos trouxe um resultado capaz de agradar a adultos e crianças. “Não é um espetáculo só infantil já que quis fazer uma adaptação fiel da clássica obra de Exupéry e, portanto, frases importantes do autor que nos fazem refletir estão intactas no texto que tem música original nas sete cenas que o compõe. O que fiz foi uma desconstrução do texto original, começando a história do meio, do encontro entre o Príncipe e o Rei”, desvenda o Maestro que manteve a filosofia e poesia presentes no texto francês de 1943.

A produção, que integra vários elementos artísticos, recebe música original de um dos mais premiados compositores brasileiros, Tim Rescala; e a magia do teatro de bonecos do bonequeiro e artista contemporâneo Eduardo Felix. Rescala que também é narrador da história, ora interpreta o Pequeno Príncipe, ora o Piloto que vive um acidente com seu avião no meio do deserto do Saara e, ao adormecer no local se encontra com o Pequeno Príncipe e, assim, começam uma relação. “É um espetáculo que explora a linguagem do teatro de bonecos, contando a história do personagem imortalizado na literatura mundial, criando um universo lúdico por meio de diálogo entre a música e as artes cênicas. É um evento para toda a família. Uma ótima oportunidade para comemorar o Dia das Crianças”, conta Toffolo, que continua: “No palco, há uma relação interessante entre os músicos da orquestra, as marionetes e narrador”.

No roteiro do Concerto, o Pequeno Príncipe, que precisava de um amigo e tinha uma essência socrástica, ou seja, gostava de fazer muitas perguntas; leva o público a uma viagem por 7 cenas repletas de reflexões e encontros, com narrativa sempre marcada pelo perfil de diferentes instrumentos orquestrais. Saindo de seu planeta, o principezinho conhece um Rei com seu Cravo, um homem de negócios e seu Xilofone e um geógrafo com sua Flauta, até chegar a um planeta azul – o nosso planeta.No deserto do Saara, inicia sua caminhada ao lado de um aviador e seu Corne Inglês, encontrando um poço e sua água fresquinha. O som do Fagote leva o Pequeno Príncipea conhecer uma raposa e com ela a importância de cativar.Em sua volta para casa, uma voz faz – o Príncipe e o público – refletir sobre a importância de estar atento às ervas boas e más que permeiam o universo particular de cada um. Ao final, a Orquestra conduz o Pequeno Príncipe de volta a sua casa, mas, desta vez, levando consigo um carneiro dentro de uma caixa e um nome para a sua rosa. “O nome é algo muito significativo nessa trajetória. A história leva o público a compreender, junto com o Príncipezinho, que tudo que é especial para nós, damos um nome: pessoas, carros, bichos, e, claro, a rosa!”, reflete Rodrigo Toffolo fazendo mistério sobre o nome escolhido para a Rosa do Pequeno Príncipe. “Posso dizer que é um nome sem gênero, e ainda tem um significado de pertencimento e amor”.

O concerto Orquestra Ouro Preto O Pequeno Príncipe é uma aventura cheia de simbolismos, onde a coragem para as novas descobertas e o valor de contemplar as pequenas coisas se encontram em uma narrativa repleta de musicalidade, linguagens repletas de contemporaneidade. “Isso reflete bem quem é a Orquestra Ouro Preto. Sempre imprimimos em nossos trabalhos uma forma de popularizar a música erudita, trazer proximidade para as pessoas de forma a criar apreciação pelo formato, nossa grande missão baseada na excelência e versatilidade de nossas produções”, diz o Maestro, lembrando que na jornada, o Pequeno Príncipe não desiste de perguntar e, então descobrir-se, refletir, e prosseguir.”E este é o convite da Orquestra Ouro Preto a cada pessoa que se encontrar com este Príncipe do mundo eclético da harmonia musical e da literatura orquestral”, finaliza.

A Orquestra Ouro Preto é mantida pelo programa Amigos da Orquestra e patrocinada pela Aliança, Anglogold, CBMM, Gasmig, SulAmérica, Sesc em Minas e Vale.Até o final de 2018 ainda tem, em sua agenda, 16 concertos entre os Domingos Clássicos realizado em parceria com o Sesc Palladium em Minas Gerais, e as apresentações já programadas.

Agenda de apresentações

Belo Horizonte:

O concerto Orquestra Ouro Preto O Pequeno Príncipe será apresentado em Belo Horizonte no domingo, 14 de outubro, às 11h, no Grande Teatro do Sesc Palladium(Av. Augusto de Lima, 420 – Centro, Belo Horizonte), Os ingressos estão à venda por R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). Os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo têm 60% de desconto e pagam R$ 8,00. Os convites podem ser adquiridos na bilheteria do Sesc Palladium e em ingressorapido.com.br

São Paulo:

O concerto será apresentado nos dias 17 e 18 de outubro, sempre às 20 horas, no Teatro das Artes (Avenida Rebouças, 3970, Pinheiros – São Paulo/SP). Os ingressos à venda por R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia) o Balcão, e R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia), plateia. Podem ser adquiridos na bilheteria do teatro e no tudus.com.br

Na capital paulista haverá, ainda, apresentações gratuitas às 15h horas para crianças de escolas públicas e privadas, através de agendamento direto com a Orquestra.

A Orquestra

Uma das mais prestigiadas formações orquestrais do país, a Orquestra Ouro Preto tem como diretor artístico e regente titular o maestro Rodrigo Toffolo. Premiado nacionalmente, o grupo jovem vem se apresentando nas principais salas de concerto do Brasil e do mundo. A orquestra foi criada em 2000 e seu trabalho é marcado pelo experimentalismo e ineditismo.

Com a intenção de compartilhar valor por meio da cultura e do conhecimento, a Vale patrocina a Orquestra Ouro Preto (OPP) desde 2017, oferecendo a jovens músicos a oportunidade de trilharem seus caminhos e vislumbrarem novos horizontes. Dentre as ações patrocinadas pela Vale e executadas pela OPP, está a formação e fomento a corporações musicais tradicionais (bandas marciais) e concertos em cidades de Minas Gerais.

Maestro Rodrigo Toffolo

Rodrigo Toffolo é diretor artístico da Orquestra Ouro Preto desde sua fundação, em 2000, e assumiu a regência titular do grupo em 2007, após formação junto ao Maestro Ernani Aguiar, um dos maiores compositores e pesquisadores brasileiros em atividade. Doutorando em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa (Portugal) e Mestre em Musicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rodrigo Toffolo imprimi na Orquestra uma visão ampliada de gestão e musicalidade, que ele gosta de conceituar como “excelência e versatilidade”.

Em relação à música orquestral experimental, Rodrigo Toffolo costuma dizer que atuar com foco na quebra de paradigmas não é algo novo neste ambiente, Isso porque no passado, eram as Orquestras verdadeiros centros de inovação onde se testavam instrumentos que acabavam de ser inventados. Toda essa efervescência da origem das Orquestras serve de inspiração para a Orquestra Ouro Preto e seus integrantes quererem ir além do papel atual que envolve o mundo orquestral de se posicionarem apenas como guardiões de um patrimônio do passado sem fomentar o novo e o contemporâneo. Para Toffolo é preciso despertar na população a sensação de pertencimento ao se deparar com a produção cultural erudita, formando novos públicos para que as orquestras perpetuem suas atividades.

Além de sua atuação musical, Rodrigo Toffolo é escritor. É dele o roteiro do concerto-teatral O Pequeno Príncipe lançado pela Orquestra em outubro de 2018. Rodrigo também é autor do livro Amiga Música que tem ilustrações assinadas em conjunto por Ziraldo e Mig, lançado em 2017 pela editora Moderna, onde o maestro-escritor se debruça sobre a audição e as diferentes nuances sonoras para levar os pequenos leitores a conhecer a teoria musical de forma lúdica em que as estruturas e complexidades da música dão lugar a novas formas de ouvir e até mesmo ler sons, permitindo que as mais diversas melodias que adentram o cotidiano tragam novos caminhos para imaginação e sensibilidade.

Como regente titular e diretor artístico da Orquestra Ouro Preto, colecionou prêmios e condecorações como o Prêmio da Musica Brasileira 2015, na categoria melhor álbum de MPB por Valencianas – Alceu Valença e Orquestra Ouro Preto e o Prêmio Profissionais da Música 2017, na categoria Orquestras. Vale destacar ainda as indicações dos álbuns Latinidade (2007) ao Grammy Latino e Latinidade: Música para as Américas (2017) ao Prêmio da Música Brasileira na categoria Erudito.

Seus projetos têm encontrado eco por todo Brasil e exterior, levando a parcerias com grupos e instituições na Bolívia, Argentina, Portugal, Espanha, Inglaterra, Itália e Estados Unidos. 

Ficha Técnica – Orquestra Ouro Preto Pequeno Príncipe

  • Adaptação: Rodrigo Toffolo
  • Trilha musical: Tim Rescala
  • Direção de cena: Conceição Rosiére e Eduardo Felix,
  • Bonecos e cenários: Eduardo Felix
  • Vocal: Ester Elias
  • Atores/manipuladores: Igor Godinho, Liz Schrickte, Mariana Teixeira e Mauro Carvalho;
  • Construção dos bonecos e cenários: Aurora Majnoni, Igor Godinho, Liz Schirickte, Mariana Teixeira e Mauro Carvalho;
  • Figurinos: Maria do Céu Viana e Mariana Teixeira;
  • Costureira: Anastácia
  • Produção executiva do atelier: Abel Betony
  • Agradecimentos: André Luis Vicente e Andreia Micozzi

Serviço

Concerto OrquestraOuroPreto O Pequeno Príncipeestreiaem Belo Horizonte e São Paulo

Novo concerto da Orquestra Ouro Preto é uma adaptação do clássico “O Pequeno Príncipe”, obra literária do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry, com texto e direção artística doMaestro Rodrigo Toffolo, música original do compositor Tim Rescala e bonecos assinados por Eduardo Felix.

Belo Horizonte:

  • Data:domingo, 14 de outubro
  • Horário: 11h
  • Local:Grande Teatro do Sesc Palladium(Av. Augusto de Lima, 420 – Centro, Belo Horizonte),
  • Ingressos:R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia). Os trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo têm 60% de desconto e pagam R$ 8,00.

Vendas: Bilheteria do Sesc Palladium e em ingressorapido.com.br

Informações:www.orquestraouropreto.com.br , www.facebook.com/orquestraouropretoe , https://www.instagram.com/orqouropreto

 São Paulo:

  • Data:17 e 18 de outubro, quarta e quinta
  • Horário: 20 horas
  • Local:Teatro das Artes (Avenida Rebouças, 3970, Pinheiros – São Paulo/SP)
  • Ingressos:R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia) o Balcão, e R$ 30,00 (inteira) e R$ 15,00 (meia), plateia.

Vendas: Os convites podem ser adquiridos na bilheteria do teatro e no tudus.com.br

Informações: www.orquestraouropreto.com.br , www.facebook.com/orquestraouropretoe , https://www.instagram.com/orqouropreto

* Na capital paulista haverá, ainda, apresentações gratuitas às 15h horas para crianças de escolas públicas e privadas. Os ingressos à venda por podem ser adquiridos na bilheteria

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here