Crítica Musical: Na vibe / Jack Johnson: Com mesma essência, cantor lança...

Crítica Musical: Na vibe / Jack Johnson: Com mesma essência, cantor lança ‘All The Light Above It Too’

92
0
Compartilhar

Linha musical já conhecida marca sétimo e novo disco do cantor; Voz contínua intacta e a mesma de sempre

 

*Coluna Crítica Musical
*Jornalista / Editor Geral BH/MG
*Felipe José de Jesus
*Avaliação do álbum: Quatro estrelas
*Avaliação máxima: Cinco estrelas
*Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista_

 

Com uma discografia repleta de sucessos, Jack Johnson presenteou os fãs recentemente com o seu mais novo disco. O sétimo trabalho do cantor leva o nome de “All The Light Above It Too” e segue a linha já conhecida pelos fãs que conheceram ele com Times Like These, canção estourada e massificada na novela Da Cor do Pecado – 2004. No entanto, passa um pouco distante dos bem cotados e bastante vendidos álbuns: Brushfire Fairytales (2001), On And On (2003), In Betwenn Days (2005) – meu disco favorito – e Sleep Through the Static (2008), que incrivelmente manteram Jack Johson no topo das paradas. Não temos canções parecidas com Never Know ou as  conhecidissimas Upside Down e Sitting, Waiting, Wishing que entupiram estádios pelo mundo.

Com 10 novas canções, All The Light Above It Too é o trabalho sucessor de “From Here to Now to You” de 2013 (não muito conhecido na carreira, mas também bem cotado). Com as canções Subplots, You Can’t Control It, Sunsets for Somebody Else, My Mind Is for Sale, Daybreaks, Big Sur, Love Song, Is One Moon Enough?, Gather e Fragments, Jack Johnson mostrou que não lhe falta empolgação e prazer em escrever novas letras. Prova disso foi que desde o início da pré-divulgação do novo trabalho (ainda não pronto) ele já vinha soltando alguns singles para os fãs como. “Sunsets for Somebody Else” e “You Can’t Control It“.

Escutei “All The Light Above It Too” no formato digital sem muita empolgação, mas, me surpreendi de ver que a voz de Jack Johnson e as melodias ainda perpassam por aquele mesmo cantor que surgiu para o público brasileiro em 2003. Entre as canções do novo trabalho indico: Sunset For Somebody e My Mind Is For Sale que se aproximam bastante do que já conhecemos em sua discografia. Não poderia deixar de falar de sua voz, que incrivelmente continua a mesma. Basta ouvir qualquer faixa do novo disco para perceber que a embalagem não decepciona o comprador. Ou seja, a ideia do novo disco vende bem e bem até demais.

Em uma entrevista recente ao Nação da Música, Jack Johnson revelou que o álbum foi divertido. Além disso, ele disse que fez o disco praticamente sozinho. “Para mim é o sétimo disco e têm suas diferenças entre os trabalhos mais antigos. Mas ao mesmo tempo, eu não sinto muita pressão para fazer algo super diferente. É uma coleção das músicas que estiveram na minha cabeça pelos últimos anos”, disse o cantor, reafirmando a impressão que eu também tive ao ouvir esse novo trabalho.

Avaliação do disco e capa ))

Avalio o novo álbum de Jack Johnson com quatro estrelas, porque com sete álbuns de estúdio e mais três sendo (Ao Vivo e mais B- Sides), acredito que o cantor poderia ter fugido um pouco da zona de conforto como muitos fizeram para a manter. Apesar de que como diz o ditado, em time que está ganhando não se mexe. Mas mesmo assim, não decepciona pelo belo violão e pelas melodias Havaianas que acompanham seu trabalho. Como ele mesmo afirmou, não houve uma.vontade de mudar o estilo.

Não traz novidades ou participações especiais, como, por exemplo, algumas bandas tem feito para se manter na linha do sucesso (diga-se o grupo Maroon 5 que lançou seu mais recente disco cheio de participações). Talvez também essa não seja a vontade de Jack Johnson que de disco em disco vai marcando seu território na música mundial. Quanto a capa do disco, nada de novo, mas uma montagem bem interessante “feita” nas areias da praia em torno de Jack Johnson deitado. Ou seja, o estilo bem praiano de ‘Jack de ser’ dando a impressão de que você já saberá o que vai encontrar no novo trabalho.

Turnê ))

E em novembro de 2017 o cantor passou por terras brasileiras para fazer um show no Rio de Janeiro e outro em São Paulo. Agora ele segue a agenda do novo trabalho, mas a possibilidade a retornar a terras brasileiras ainda poderá ser remota. O novo disco de Jack Johnson já está disponível no Spotify, Deezer e também no formato físico. Se você ainda não escutou, não perca mais tempo. Até a próxima coluna Crítica Musical.

Assista o clipe de
My Mind Is For Sale (Lyric Video)

Deixe sua opinião!

LEAVE A REPLY