Mostra com dez intervenções culturais sobre a paz é inaugurada em BH

0
40

Cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial é o tema da Semana da Cultura do Colégio Loyola, com exposição provocativa sobre o assunto

Belo Horizonte, 3 de julho de 2018 – Guerras e artes plásticas sempre se encontraram em algum momento da história. Provocar a reflexão sobre conflitos passados já foi algo criado por importantes artistas, como Pablo Picasso, por exemplo. Neste ano, no mês de novembro, serão celebrados os cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Mostrar a importância de se conversar sobre essa guerra e outros conflitos pela arte foi o desafio de centenas de alunos do Colégio Loyola. A escola reuniu as dez intervenções artísticas mais impactantes na exposição “1918 / 2018 – 100 anos buscando a paz”, aberta ao público, até o dia 11 de julho, no Passo das Artes.

O coletivo de obras é repleto de técnicas e formas variadas de artes plásticas, que transmitem dor, sofrimento, afeto, solidariedade e paz. Em uma das principais intervenções, intitulada “Guernica – Entre Cores e Poesia”, alunos de diversas séries criaram um tapete com 80 pinturas que transmitem mensagens de paz. Segundo a curadora e professora de artes do Colégio, Amanda Lopes, a ideia foi inspirada na obra “Guernica”, de Pablo Picasso. Trata-se de um quadro com mais de três metros de altura por quase oito de largura, onde o artista espanhol retratou o massacre ocorrido na cidade basca Guernica, na década de 30.

Em outro ponto do corredor de arte foram colocadas as “Flores de Paz”, aproximadamente 1000 papoulas feitas a partir de notícias tristes de jornais impressos e que comoveram alunos do Ensino Fundamental. A intervenção é uma releitura da obra “O sangue varre terras e mares vermelhos”, do ceramista Paul Cummins, criada em 2015. O artista usou 888.246 papoulas em cerâmica para homenagear as vítimas britânicas da Primeira Guerra Mundial e que decoraram os jardins ao redor da Torre de Londres. A razão de serem papoulas é porque as flores nasceram naturalmente nos campos de batalha após o final do conflito.

Em frente ao jardim, nas vitrines do Passo das Artes, estão expostos 42 quadros grandes que retratam guerras atuais, de várias partes do mundo. As obras são o resultado de um trabalho envolvendo três disciplinas e criadas por alunos do Ensino Fundamental. Nos quadros, os adolescentes provocam reflexões críticas desses conflitos utilizando a tinta acrílica sobre Eucatex.

Já em outra parede do espaço, estão doze imagens históricas de guerras, registradas por fotógrafos que estavam em conflitos mundiais, fazendo registros famosos. As imagens foram impressas em preto em branco e estão cobertas por véus, onde espectadores podem levantar para visualizar cada momento de guerra.

O Passo das Artes ainda conta com mais seis intervenções ao longo dos seus 400 m² de espaço, praticamente todas interativas e que fazem parte da Semana da Cultura, Arte e Literatura do Loyola.

 

Data: de 30 de junho a 11 de julho.

Local: Passo das Artes (Colégio Loyola, Avenida do Contorno, 7919, bairro Cidade Jardim).

Horários de visitação: de terça a sexta, das 8h às 10h, 11h às 12h, 14h às 16h e das 17h às 18h.

Entrada franca.

Colégio Loyola – Com 75 anos, o Colégio Loyola integra a Rede Jesuíta de Educação. A Instituição possui como pilares de seu projeto pedagógico a excelência acadêmica e a vivência dos valores humanos e cristãos. Atualmente, tem cerca de 2.600 alunos, entre crianças e adolescentes, do 1º Ano do Ensino Fundamental à
3ª Série do Ensino Médio (nos períodos matutino e vespertino).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here