Casa Fiat de Cultura apresenta a exposição “O que escondo só a mim basta”, de Miro Bampa

0
70

O que escondo só a mim basta” é a exposição do artista Miro Bampa que a Casa Fiat de Cultura inaugura no dia 9 de outubro. Um dos projetos escolhidos no 2º Programa de Seleção da Piccola Galleria, a mostra é composta por uma série de 30 objetos, no formato de 30 x 20 cm, criados a partir da fragmentação de memórias afetivas do artista. O agrupamento dessas lembranças em um ato estético é um processo autobiográfico de resgatar uma história, abrigando os fantasmas acumulados em uma narrativa secreta. A exposição, que tem curadoria de Fabio Cerqueira, fica aberta à visitação até 25 de novembro, com entrada gratuita.

O trabalho de Miro Bampa está voltado em sempre descobrir novos materiais e novas possibilidades. Os objetos que integram a exposição “O que escondo só a mim basta”, por exemplo, são construídos com a técnica de encáustica: imagens, textos e cartas são misturados com cera de abelha em um bloco de parafina com aproximadamente 1 cm de espessura. A intenção do artista é dar a sensação de página de livros, panfletos ou cartazes, sugerindo a visão de um diário ou algo semelhante, uma forma de registro pessoal, que revela-se num processo linguístico e iconológico para a livre interpretação de suas histórias. Segundo ele, o trabalho apresentado é desenvolvido em função do imaginário. “Nada é falso, mas sim uma história a ser investigada”, conta.

O processo criativo do artista começa resgatando imagens, textos e fragmentos de cartas que, em seguida, são agrupadas de maneira intuitiva. A criação de cada obra é inicialmente estética, os textos são apresentados conforme a necessidade poética e imagética da obra. De acordo com Miro, a construção tem como ato principal uma imagem central de maior peso que permite variantes imaginárias ao espectador. “A interpretação de cada obra será pessoal, pois as palavras ou frases permitem aos outros construir minha história ou narrativa”, ressalta.

Miro Pampa, em suas obras, costuma fazer releituras de antigos trabalhos. Como o guarda-chuva que está presente em alguns objetos e faz parte da uma outra série de mesmo nome. E a cadeira, que fazia parte de uma série que se chamava “Silêncio”. “O objeto é refação, cada coisa é sempre refeita. É uma constante redefinição e ressignificação da arte. Tudo pode servir como inspiração e material para novas produções”, afirma.

A exposição O que escondo só a mim basta é uma realização do Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da Casa Fiat de Cultura, com o patrocínio da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), Banco Fidis, Fiat Chrysler Finanças, Fiat Chrysler Participações e Banco Safra. A exposição conta com apoio institucional do Circuito Liberdade, Instituto Estadual do Patrimônio Histórico (Iepha), Governo de Minas e Governo Federal.

Miro Bampa               

Pintor, desenhista e artista experimental, atuando desde 1982. Frequentou o ateliê de Alberto Teixeira, Nazareth Pacheco, Eder Chiodetto e Samatha Moreira. Participou de várias exposições, salões e mostra de artes nacionais e internacionais (EUA, México, Portugal e Alemanha). Premiado em vários salões de arte no país. Em 1991 abandona a pintura figurativa expressionista para desenvolver um trabalho abstrato com colagens (assemblagens). Faz uso de diversos materiais numa pesquisa constante de suportes. Atualmente desenvolve trabalho com encáustica e fotografia interferida.

Piccola Galleria

A Piccola Galleria da Casa Fiat de Cultura é um espaço de permanente incentivo às expressões artísticas que foi criado em 2016, destinado a novos artistas. A proposta é apresentar e destacar trabalhos inéditos – pinturas, desenhos, gravuras, esculturas, fotografias, instalações, performances e/ou videoarte – de artistas locais, brasileiros ou estrangeiros.

O espaço, situado ao lado do painel “Civilização Mineira”, de Candido Portinari, no Hall Principal da Casa Fiat de Cultura, abriga exposições de curta duração, mas com toda visibilidade que a instituição enseja. No espaço são realizados dois tipos de mostras: aquelas programadas pela própria Casa Fiat de Cultura e as destinadas a artistas que inscreveram seus trabalhos, por meio de um processo de seleção realizado anualmente. Local intimista e com grande circulação de público, a Piccola Galleria conta com a chancela da Casa Fiat de Cultura e do Circuito Liberdade, um dos mais importantes corredores culturais do país.

Dentre os 97 inscritos no 2º Programa de Seleção, seis foram escolhidos: Fernanda Fernandes (Belo Horizonte), Wendell Leal (Belo Horizonte), Mariângela Haddad (Ponte Nova-MG), Maíse Couto (Belo Horizonte), Ildeu Lazarinni (Belo Horizonte) e Miro Bampa (Vinhedo-SP). Os trabalhos, inéditos e com técnicas diferenciadas, reúnem fotografias, aquarelas, pinturas a óleo e acrílica, instalação e assemblages.

SERVIÇO

Exposição “O que escondo só a mim basta” – Miro Bampa na Piccola Galleria da Casa Fiat de Cultura                                                                                   

  • 9 de outubro a 25 de novembro de 2018
  • Terça a sexta, das 10h às 21h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
  • Entrada gratuita

Casa Fiat de Cultura

  • Circuito Liberdade
  • Praça da Liberdade, 10 – Funcionários – BH/MG
  • Horário de funcionamento: terça a sexta, das 10h às 21h – Sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h

 Informações

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here