Live “O Samba de Belo Horizonte: memória, história e patrimônio cultural”

0
463

Evento, que será realizado no dia 5 de abril, às 19h30, pelo Coletivo de Sambistas Mestre Conga, no YouTube do Canal Emergência Cultural, contará com participação do escritor e historiador Luiz Antônio Simas, autoridades e representantes do samba

O Coletivo de Sambistas Mestre Conga realizará sua primeira live “O Samba de Belo Horizonte: memória, história e patrimônio” que terá a participação do escritor e historiador Luiz Antônio Simas e diversos convidados. O evento online será transmitido no dia 5 de abril, às 19h30, no YouTube Emergência Cultural.

O objetivo da live é refletir com setores da sociedade sobre a viabilização do samba feito na capital mineira como patrimônio cultural reconhecido pelo poder público e pela sociedade. A ideia é aproveitar o momento de distanciamento social para utilização das redes sociais e discussão do tema.

“Entendemos que falta representatividade institucional. Não há reconhecimento e apoio à altura por parte da sociedade e dos governos, que, de fato, valorize o samba e modifique a vida dos sambistas e das sambistas que lutam com dificuldades. Então, é preciso leis, financiamentos e políticas públicas que garantam a sobrevivência desses artistas para que possam produzir sua arte”, diz o mediador da live, Marcos Maia, que também é um dos coordenadores do Coletivo de Sambistas Mestre Conga, produtor cultural e historiador.

Haverá participação de autoridades da Prefeitura de Belo Horizonte: Secretário Municipal Adjunto da Secretaria de Cultura de BHGabriel Portela, da Diretora de Patrimônio Cultural e Arquivo Público, Françoise Jean de Oliveira, além de acadêmicos como Bruno Viveiros de Castro – Professor Estácio-BH / Projeto República da UFMG e José Newton Meneses, historiador e professor da UFMG que foi responsável pelo Dossiê Interpretativo do Registro do Queijo Artesanal de Minas Gerais como Patrimônio da Cultura Imaterial do Brasil, pelo IEPHA.

Sambistas e pesquisadores que compõem o Coletivo de Sambistas também participarão: Donelisa, cantora e compositora da VG de Belo Horizonte, ganhadora do prêmio Mestres da Cultura Popular2020 pela Secretaria Municipal de Cultura de BH; Leo de Jesus, arquiteto, urbanista, carnavalesco, mestre sala e vice-presidente da Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova de Belo Horizonte; Marcos Maia, historiador, produtor cultural, curador de exposições e mostras de cinema sobre samba e carnaval; Mário Cesar, sambista, favelado, ex-diretor da Escola de Samba Unidos Guaranis e historiador; Nonato do Samba, cantor, compositor e ganhador do prêmio Mestres da Cultura Popular 2020 pela Secretaria Municipal de Cultura de BH; Zu Moreira,  jornalista e idealizador do projeto Almanaque do Samba. A mediação será de Marcos Maia e a apresentação de Rosane Pires Viana, professora, produtora e idealizadora do grupo de mulheres sambistas: Samba Roda de Saia.

Sobre o Coletivo de Sambistas Mestre Conga

 O Coletivo possui uma coordenação de dez pessoas que se reúne semanalmente, às quartas-feiras, via plataforma Google Meet e conta com 60 participantes em seu grupo de Whatsapp, sendo formado por nomes expressivos do samba da capital mineira, como Eliete Ná, Fabinho do Terreiro, Barrão, Bira Favela, Cacá do Bar do Cacá, Mandruvá, Nonato do Samba, Leo de Jesus, Dóris do Samba, Rosane Pires Viana, Geraldo Magnata, Zu Moreira, Barrão, Tarcizo da VG, Geraldo Magnata, Fernando Bento, Jussara Preta, Rudney do Cavaco.

Contato:

Marcos Maia (31) 9 96016213

Carlitos Brasil (31) 9 87636188

Rosane Pires Viana (31) 9 87187961

SERVIÇO

Live “O Samba de Belo Horizonte: memória, história e patrimônio cultural” propõe o reconhecimento do samba de Belo Horizonte como patrimônio cultural

Evento: gratuito

Quando? 05 de abril

Horário: 19h30

Onde? YouTube Emergência Cultural

Participantes: escritor e historiador Luiz Antônio Simas, Secretário Municipal Adjunto da Secretaria de Cultura de BHGabriel Portela, da Diretora de Patrimônio Cultural e Arquivo Público, Françoise Jean de Oliveira, além de acadêmicos como Bruno Viveiros de Castro – Professor Estácio-BH/ Projeto República da UFMG e José Newton Meneses, historiador e professor da UFMG que foi responsável pelo Dossiê Interpretativo do Registro do Queijo Artesanal de Minas Gerais como Patrimônio da Cultura Imaterial do Brasil, pelo IEPHA. Donelisa, cantora e compositora da VG de Belo Horizonte, ganhadora do prêmio Mestres da Cultura Popular2020 pela Secretaria Municipal de Cultura de BH; Leo de Jesus, arquiteto, urbanista, carnavalesco, mestre sala e vice-presidente da Escola de Samba Acadêmicos de Venda Nova de Belo Horizonte; Marcos Maia, historiador, produtor cultural, curador de exposições e mostras de cinema sobre samba e carnaval; Mário Cesar, sambista, favelado, ex-diretor da Escola de Samba Unidos Guaranis e historiador; Nonato do Samba, cantor, compositor e ganhador do prêmio Mestres da Cultura Popular 2020 pela Secretaria Municipal de Cultura de BH; Zu Moreira,  jornalista e idealizador do projeto Almanaque do Samba. A mediação será de Marcos Maia e a apresentação de Rosane Pires Viana, professora, produtora e idealizadora do grupo de mulheres sambistas: Samba Roda de Saia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here