Jogos de tabuleiro e cartas integram os cardápios de bares, restaurantes e cafés de BH

0
39

Além de oferecer um bom atendimento, ambiente aconchegante e ótimas comidas e bebidas, sabe o que tem influenciado no aumento da sensação de bem-estar dentre frequentadores de bares e restaurantes? Os jogos! Sejam eles, games eletrônicos, cartas ou tabuleiro, uma coisa é certa: a adoção deste tipo de atividade recreativa sempre proporciona uma atmosfera mais divertida e lúdica a estes locais, e vem se tornando cada vez mais presente nos estabelecimentos da capital mineira.

Ganhando espaço em casas temáticas como a Funtasy, BHescape, LudoCafé, e Joker Bar e Luderia, a prática inovadora está se consolidando em várias partes de BH e já é sucesso na Europa e Estados Unidos.  Atualmente, os jogos de maior destaque nestes lugares são os de tabuleiro, como por exemplo, o Monopoly, Banco Imobiliário, Jogo da vida, Ludo, Uno, War e dentre outros mais modernos, os intitulados boardgames.

Segundo o game designer e CEO da editora especializada em jogos de tabuleiro e cartas, Geeks N’ Orcs, Renato Simões, os jogos deste estilo possuem origens muito antigas, tendo surgido há cerca de 5.000 anos a.C., em regiões da Mesopotâmia e Egito. “O jogo de tabuleiro mais famoso do mundo, o Monopoly, foi criado em 1904, e abriu espaço para o aparecimento de diversos outros da classe. Atingindo o seu auge ao longo das décadas de 30, 70 e 80, essa modalidade ficou por muito tempo esquecida e sem novidades em nosso país, mas vem se reinventando e ganhando um maior número de adeptos nos últimos 10 anos”, ressalta.

Renato explica que no momento em que começou a jogar, não existia quase nenhum produto lançado no Brasil ou em língua portuguesa. “Foi a partir dessa constatação, que resolvi desenhar novos jogos e estudar o mercado interno, que até então era desprovido de produtos nacionais. E em 2015 surgiu a Geeks N’ Orcs. Hoje, a GNO tem oito jogos em catálogo, sendo eles, o Piratas!; Valente; Por favor, não corte minha cabeça!; Loot; Unreal Estate; Melvin vs Kronk; Futboard e Crop Rotation”, afirma.

De acordo com o game designer, os jogos de tabuleiro podem não só promover a interação social e uma maior aproximação entre amigos e familiares, como também ajuda no desenvolvimento da cognição e raciocínio. “Os board games demandam uma troca de experiências e conhecimentos entre as pessoas, que há muito tinha se perdido com o surgimento dos smartphones. Esta variação de jogo ainda contribui para a conservação da saúde cerebral e o rejuvenescimento de suas funções”, comenta.

Outras vantagens oferecidas pelos jogos de tabuleiro são o alívio do estresse cotidiano, estímulo da criatividade e imaginação, e o incentivo da colaboração entre os participantes da brincadeira. “Ao simular cenários, se submeter a novas regras, procurar compreender a estratégia do adversário, tentar manipulá-lo e descobrir qual será o seu comportamento em rodadas futuras, o jogador ativa diversas áreas do cérebro e acaba propiciando o nascimento de novas habilidades”, destaca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here