Carnaval de BH é aberto oficialmente com entrega da chave da cidade à Corte Real Momesca

0
867

O Carnaval de Belo Horizonte foi aberto oficialmente na quinta-feira dia 21, quando o prefeito Marcio Lacerda entregou a chave da cidade à Corte Real Momesca, formada pelo rei momo Paulo Henrique dos Santos, pela rainha Tamara Carvalho Teixeira e pela princesa Andréia de Oliveira Marques. O ato simbólico foi realizado no Salão Nobre da Prefeitura, no Centro, e contou com as presenças da diretora-presidente da Belotur, Cláudia Pedrozo, e do diretor de Operações e Eventos da Belotur, Luiz Felipe Barreto. A corte, eleita em dezembro, tem a missão de animar os belo-horizontinos e os visitantes da capital. Considerando apenas o período pré-Carnaval, o grupo participa de cerca de 50 eventos de promoção e responsabilidade social em todas as regiões da cidade.

O prefeito destacou a missão do grupo de espalhar a alegria do Carnaval e estimular a população para que os festejos sejam celebrados de forma consciente. “A Corte Momesca cumpre um papel fundamental, que é o de promover o Carnaval de BH, levando a animação da festa para diversos públicos, como nos bailes realizados nos Centros de Referência da Pessoa Idosa, por exemplo. O grupo também assume a importante missão de incentivar a população em ações de cidadania e segurança”, ressaltou.

É com o objetivo de promover um Carnaval consciente que a Corte Momesca personifica duas ações importantes neste ano. São elas a Campanha #BHCarnavalConsciente, que alerta o folião sobre as possíveis consequências da direção sob o efeito de álcool e de combate à violência contra crianças e adolescentes, além de incentivar ações de segurança para os motoristas que irão viajar durante o feriado; e a Campanha BH Carnaval na Lata, que ressalta a preferência pelas bebidas enlatadas nesse período. A iniciativa tem o objetivo de evitar acidentes, facilita a limpeza da cidade e colabora com a preservação do meio ambiente, ao destacar o uso de produtos recicláveis. A Corte Momesca de Belo Horizonte é eleita desde 1980. Confira nesta página o perfil dos seus integrantes.

CONHEÇA A CORTE MOMESCA

O rei Paulo Henrique

Quando era criança, Paulo Henrique dos Santos sonhava em ser bailarino e acompanhava o Carnaval levado pela irmã, passista da Escola de Samba Cidade Jardim. Nos desfiles das escolas na Avenida Afonso Pena e na TV sempre via com reverência o Rei Momo, a Rainha e a Princesa. “Eu achava que o rei, a rainha e a princesa eram como nos livros de história. Os títulos passavam dos pais para os filhos, eram hereditários”, disse. Desta vez, ele foi coroado rei momo pelo fato de sua performance como bailarino, assim como a simpatia e qualidade do samba, terem impressionado os jurados.

O sonho de criança virou profissão. Aos 35 anos, Paulo Henrique já tem uma longa carreira nos palcos. São 20 anos como bailarino profissional. Foi percussionista e assistente de coreografia de um grupo afro e há 11 anos é dançarino e coordenador de dança de um grupo voltado à pesquisa, preservação e divulgação fiel de danças, músicas, folclore, percussão e folguedos tradicionais brasileiras. Coordenador de ensaio, junto com outros dois profissionais, a função de Paulo Henrique é renovar formas do corpo de baile do grupo, que tem 60 integrantes, e repassar antigas coreografias.

O novo rei momo participou do concurso pela primeira vez. “Fiz minha inscrição sem nenhuma expectativa. O objetivo era apenas buscar uma forma de ampliar o leque de opções musicais e abrir uma porta para o Carnaval”, disse.

A rainha Tamara Carvalho Teixeira

Paulo Henrique vai dividir a agenda de compromissos com Tamara Carvalho Teixeira, de 22 anos, 1m70, 93cm de busto, 75cm de cintura e 105cm de quadril. Moradora do bairro São Cristóvão, Tamara foi campeã do Carnaval de 2015 como passista da Acadêmicos de Venda Nova. Técnica em Enfermagem, Tamara se prepara para o vestibular de Educação Física e participou do concurso da corte pela primeira vez. Do desfile na Avenida Afonso Pena no ano passado, ficou a vontade de se dedicar mais ao Carnaval de BH. Para isso, foi preciso entrar em férias para cumprir a agenda da Corte Momesca.

No hospital onde trabalha, no bairro Alameda da Serra, na divisa entre Belo Horizonte e Nova Lima, Tamara não leva vida de rainha. Trabalha no setor administrativo e cuida da montagem de prontuários médico para faturamento junto a clientes particulares e aos planos de saúde. “Gosto do trabalho neste setor e quero continuar, mas a área de Educação Física tem mais a ver com a dança e, claro, com o Carnaval”, disse.

A princesa Andréia de Oliveira Marques

A dona do posto vem do bairro Bandeirantes, na região da Pampulha. Andréia de Oliveira Marques tem 25 anos, 1m69, 84cm de busto, 73cm de cintura e 98cm. A princesa é dançarina e integrante de um grupo de dança que atua no mercado de animação de festas e de eventos corporativos.

Profissional de dança há sete anos, começou a dançar em um projeto da Escola Estadual Juquinha de Almeida, em General Carneiro (Sabará), onde cursou o ensino fundamental. “A agenda da Corte Momesca é pesada, mas consigo conciliá-la com outra atividade que me dá muito prazer, que é dar aula de dança para uma turma de crianças em General Carneiro”, disse.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here