Caminho de Fé na Serra da Piedade e Caeté – MG

0
3363
* jornalista Geraldo Félix
Serra da Piedade- MG
A Serra da Piedade, que localiza-se há 40 Km de Belo Hozionte, é cercada por enormes penhascos, rochedos gigantescos e uma vegetação típica de montanha. Bromélias, orquídeas e hortências estão por toda parte e garantem ainda mais a beleza do lugar.
Do alto de seu cume de 1746 metros, é possível ver uma exuberante paisagem e avistar as cidades mais próximas: Belo Horizonte, Caeté, Lagoa Santa, Raposos e Sabará. Além disso, é da Serra da Piedade onde se é possível observar os mais belos pôr-do-sóis do estado, que se descortinam diante dos nossos olhos num horizonte multicolorido sem fim. A luz do crepúsculo “varre” as montanhas e salienta suas formas e texturas, decifrando assim, o famoso “mar” de Minas.

Um dos indicadores da importância da Serra da Piedade na história mineira é o interesse que a região despertou, no início do século XVIII, em vários naturalistas europeus em incursão pelo Brasil. Para eles, o panorama desvendado após difícil subida pelos caminhos da Serra, feito normalmente em quatro horas, era simplesmente maravilhoso.

Hoje, passados quase dois séculos, visitantes continuam se revelando completamente fascinados com a beleza da serra ao contemplarem sua extensa paisagem. Localizada em Caeté, a Serra é considerada uma das mais belas do País.

Além da beleza natural, a Serra da Piedade sedia duas importantes e distintas construções: o Santuário, datado do século XVIII e o Observatório Astronômico da UFMG, considerado um dos maiores da América Latina.

O santuário é composto por uma igreja em estilo barroco, que apresenta em seu interior a padroeira de Minas Gerais (Nossa Senhora da Piedade) e por este motivo, é palco de grandes procissões religiosas, que se penitenciam na íngreme subida da Serra. A igreja destaca-se pelo seu audaz projeto arquitetônico, que contrasta com a paisagem natural e nos transporta ao passado.
Já o observatório, ao contrário, nos transporta ao futuro com seu traçado moderno e equipamentos de última geração, que permitem a observação de astros e planetas em dias claros. Ambas construções se posicionam harmoniosamente na Serra, cada uma em uma extremidade diferente, o que possibilita que sejam vistas uma de cada vez, sem que uma se misture ao cenário da outra.

Os turistas sobem até o topo impulsionados por motivações variadas, seja pela fé e busca de conforto espiritual ou ainda para admirar as belezas naturais. Em noites de lua cheia e eclipses, a Serra também é bastante procurada, pois permite observar a atuação dos astros em um céu límpido e nítido, sem poluição e sem o tradicional excesso de iluminação dos grandes centros urbanos.

A Serra da Piedade é sem dúvida, um passeio imperdível para quem vier à Minas! Contempla de maneira instigante história, geografia e astronomia. E tudo isso, regado à um bom chocolate quente, servido nas gélidas noites do local. Assim, venha agasalhado, bem acompanhado e desfrute do que a Serra da Piedade tem de melhor!

Caeté – MG

guia-caete-igreja-bom-sucesso

A cidade de Caeté, tem sua origem no início do ciclo do ouro. A partir de meados do séc. XVII, surgiram em Minas Gerais os primeiros grupos de aventureiros que vinham do litoral em busca de ouro, prata e pedras preciosas. Em Caeté, a primeira das “entradas” é atribuída a Lourenço Castanho Taques, por volta de 1662.

Em 1701, o Sargento-mor Leonardo Nardez Sisão de Souza descobriu minas de ouro nos seus espessos e bravos matos – razão porque os indígenas chamaram de Caeté – (mata virgem, mata grande, mato denso).

Os paulistas foram seus primeiros habitantes e, em 1704, o arraial contava com numerosa população. Em 26 de janeiro de 1714 foi, então criada a Vila Nova da Rainha, pelo Governador D. Braz Balthazar da Silveira. A sua instalação ocorreu em 14 de fevereiro do mesmo ano.

Caeté, tem uma história particularmente rica. Nela se deu em 1708 a guerra civil dos Emboabas, na qual começou a formação histórica de Minas Gerais. A luta apesar de seu fundo econômico, não deixou de demonstrar o sentido de organização dos grupos em conflito: portugueses e bandeirantes. Principalmente dos primeiros, que elevaram seu chefe, Manuel Nunes Viana, depois das primeiras vitórias, governador das Minas. Esta escolha ficou como registro das primeiras eleições livres da América, tendo Nunes exercido o cargo durante um ano.

A cidade, com seus 35 mil habitantes, ainda guarda, conservada, parte de seu patrimônio histórico, artístico e aquitetônico. Em seu museu, casas e igrejas, além das festas e da imponente Serra da Piedade, Padroeira do Estado; onde mantém vivo um pedaço da história de Minas.

Construída na época da fundação da cidade, por Frei Simão de Santa Teresa, sua construção é de linhas simples, em alvenaria de adobe com esteiros de madeira.

Possui bela portada e altares que exemplificam a primeira fase do barroco mineiro com seus pelicanos eucarísticos e cachos de uvas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here