BADBADNOTGOOD anuncia novo álbum

0
215

O grupo canadense BADBADNOTGOOD retorna para anunciar um novo álbum. Talk Memory, o primeiro álbum da banda com XL Recordings, traz 9 novas músicas e será lançado em 8 de outubro. O álbum apresenta contribuições musicais de Arthur Verocai, Karriem Riggins, Terrace Martin, Laraaji e a aclamada harpista Brandee Younger, que trabalhou com Moses Sumney e Thundercat. Com visuais interessantes de Virgil Abloh, cuja empresa de design Alaska-Alaska™ desenhou a capa de Talk Memory, o álbum é uma evolução focada na colaboração e na magia da performance improvisada ao vivo.
Demonstrando progresso emocional e poético, o novo disco é uma odisséia aural e uma expressão sincera de alegria pela música e pela comunidade que a banda se considera sortuda por habitar.

Sobre o álbum, BBNG diz: “Precisou de um ou dois anos apenas vivendo a vida para chegar ao lugar onde o processo criativo ficou animador novamente e, uma vez que realmente entramos no estúdio, foi o processo mais conciso de gravação e escrita que já tivemos. Esperamos que as performances improvisadas de estúdio aproximem o ouvinte de nossa experiência ao vivo.”

Para coincidir com o anúncio de Talk Memory, BADBADNOTGOOD também está compartilhando o primeiro single do álbum. “Signal From The Noise” é uma faixa de jazz psicodélico que explora o equilíbrio e harmonia através da improvisação. A nova canção é acompanhada por um vídeo dirigido por Duncan Loudon. Estrelado por Steve Stamp, escritor e estrela do sitcom da BBC People Just Do Nothing, o clipe é um acompanhamento perfeito para a música.

O anúncio do álbum vem após a banda se tornar viral no TikTok em junho. Com mais de 500 mil edits no TikTok de “Time Moves Slow”, a banda agora está atingindo em média 4,4 milhões de streams por mês, e mais de 3 milhões de ouvintes mensais no Spotify. A banda também lançou recentemente a primeira edição do The Memory Catalogue, uma série de gravuras ilustradas por Moya Garrison-Msingwana (Gangbox) de boletins informativos de geoficção, que se desdobram em um pôster de 32″x 24″, lançados a cada nova música para contextualizar Talk Memory. Disponível em locais selecionados, como Stussy, Noah, Psychic Wines e muito mais, o pôster transformado em newsletter traz conteúdo exclusivo (partituras, ilustrações, fotos não vistas, etc.), que permite aos fãs espiar os bastidores do universo BBNG. Veja a lista de locais aqui. Este item colecionável também está disponível através da loja online XL  e lojas de discos indie, e partituras para download de “Signal From The Noise” estão disponíveis aqui.

Ouça e assista “Signal From The Noise” e encomende o Talk Memory acima. Veja o álbum abaixo e fique ligado para mais do BADBADNOTGOOD em breve.

Capa do álbum Talk Memory por Alaska-Alaska de Virgil Abloh

BADBADNOTGOOD
Talk Memory
XL Recordings
8 de outubro de 2021

1. Signal From The Noise
2. Unfolding (Momentum 73) feat. Laraajii
3. City of Mirrors feat. Arthur Verocai
4. Beside April feat. Karriem Riggins, Arthur Verocai
5. Love Proceeding feat. Arthur Verocai
6. Open Channels [SOMENTE NA CÓPIA FÍSICA]
7. Timid, Intimidating
8. Beside April Reprise feat. Arthur Verocai
9. Talk Meaning feat. Arthur Verocai, Terrace Martin and Brandee Younger

Sobre BADBADNOTGOOD:
O conjunto canadense BADBADNOTGOOD fez seu nome cruzando gêneros. Esse movimento contínuo entre estilos atingiu fortemente quando eles levaram o hip hop para o jazz e vice-versa. Seu último álbum – e primeiro com a XL recordings – os demonstra voltando aos seus primórdios instrumentais. Em vez de olhar para o agora, eles refletiram a história e a inovação daqueles que os influenciaram. Parafraseando Lamont Dozier, este é um álbum sobre voltar às suas raízes.

BADBADNOTGOOD foi formada em 2010, passando de três a quatro membros antes de estabelecer sua formação atual em 2015. A banda, também conhecida como Alexander Sowinski (bateria), Chester Hansen (baixo) e Leland Whitty (guitarra e instrumentos de sopro), se conheceram no programa de jazz de Humber College em Toronto. Na época, em vez de trabalhar com os padrões tradicionais do jazz, o grupo se inspirou no hip hop e outros gêneros contemporâneos para criar um som único enraizado na música negra americana, mas Talk Memory de 2021 homenageia os primeiros músicos, compositores e influências que informaram seu trabalho.

Uma das principais forças motrizes por trás de seu último álbum foi capturar um pouco do foco, energia e improvisação que está no coração de seus shows ao vivo. Como eles observaram, uma música é algo vivo que muda e evolui naturalmente, à medida que é tocada em diferentes configurações. Este é um álbum que brinca com esse pensamento. Após anos de turnê, a banda fez uma pausa, renovou e olhou para sua história e experiências antes de iniciar seu projeto instrumental atual. Um senso de reflexão e comunicação renovada está no cerne de sua abordagem atual para fazer música, e a centelha que levou ao pensativo título Talk Memory. Embora as primeiras gravações de seus álbuns tenham ocorrido muito rapidamente, o projeto atual repensou completamente esse processo. Foi mais intencional, teve um período de gestação mais longo e foi criado em dois anos. A velocidade de suas composições, desempenho e som mudou de maneiras novas. Em vez de improvisar e aumentar suas faixas durante a turnê, esse processo aconteceu no estúdio.

A banda demonstra um senso de progresso emocional e poético, não apenas técnica e virtuosismo. Eles se consideram alunos constantes, sempre ouvindo e buscando novos rumos. Esses novos caminhos variam de momentos de ritmo cinematográfico a improvisação distorcida. O álbum é uma espécie de odisséia aural, com todo o sentido de narrativa psicodélica que isso acarreta. Trata-se de aproveitar a energia da colaboração no momento em que ela acontece. A banda gravou seus últimos trabalhos em estúdios analógicos, como uma forma intencional de estar presente e vivenciar sem recorrer à internet para pesquisas ou referências.

Há também uma mudança para o coletivo em vez do ego. Em vez de focar no crédito, este é um álbum sobre equilíbrio e harmonia coletiva. Mesmo quando inclui convidados como o icônico produtor e músico brasileiro Arthur Verocai. Aqui, a energia é sobre comunidade e conjunto em seu verdadeiro sentido. Quando o jazz de New Orleans surgiu no início do século 20, o conceito de ritmos sincopados unidos tocando como um grupo era fundamental para seu som. O nascimento da música do século 20 foi entrelaçado com o conceito de colaboração. Aqui há algo utópico sobre colaboração, comunidade e música como uma forma especial, talvez até espiritual de comunicação não verbal.

Talk Memory não existe em um vácuo. É o primeiro elemento em um projeto de várias partes, que existem como projetos por si só, bem como se cruzam. O projeto é profundamente intergeracional, pois BADBADNOTGOOD chamou a atenção para a linhagem de artistas que veio antes deles e explorou o privilégio de poder trazer sua experiência e habilidade para sua música. O álbum inclui contribuições de vários multi-instrumentistas, incluindo Arthur Verocai, Laraaji, Terrace Martin, Brandee Younger e Karriem Riggins, com a mixagem do álbum vinda de Russell Elevado.

Outro elemento é uma versão expandida de um livro contemporâneo sobre contracultura. A direção e o sentido desta publicação serão substituídos por uma série de zines de pôsteres lançados com cada single. O livro é uma homenagem à estrutura e ampliação do significado e das informações, como o Whole Earth Catalog dos anos 1960. Um brainstorm e um exame de conceitos, criadores, espaços, objetos, professores, termos e muitas outras coisas pelas quais BADBADNOTGOOD são apaixonados. Foi também uma oportunidade de falar e traçar o perfil de seus colaboradores com mais detalhes. O que mantém tudo unido é, claro, a música.

O último álbum do BADBADNOTGOOD enfatiza como a música como uma conversa é inatamente colaborativa e improvisada. De certa forma, o álbum é uma versão gigante de um momento clássico de jazz ou soul ao vivo, onde o “líder” de uma banda apresentaria cada membro de um conjunto e atrairia aplausos. Por sua vez, o BBNG criou um álbum que é uma expressão sincera de alegria pela música e pela comunidade que eles têm a sorte de habitar.

Conecte-se com BADBADNOTGOOD
Instagram
  Twitter

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here