ARLA 32: conheça a tecnologia empregada em veículos para redução de poluentes

0
132

Substância é obrigatória em veículos pesados  produzidos a partir de 2012

 

A preocupação com a deterioração da qualidade do ar em centros urbanos vem de décadas atrás. Ainda em 1986, o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) criou o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve). São várias fases para obrigar a indústria automobilística a se adequar com as boas práticas. Uma delas é o emprego da substância ARLA 32, que reduz o nível de poluição atmosférica proveniente da combustão do óleo diesel.

os veículos pesados produzidos no país, como os caminhões, são obrigados a utilizar, desde 2012, o Sistema de Redução Catalisadora (SCR). Essa tecnologia visa colaborar com os limites impostos pelo Conama. Um dos componentes desse sistema é o ARLA 32.

O Agente Redutor Líquido Automotivo (Arla 32), de forma geral, pode ser descrito como uma substância transparente de ureia em água desmineralizada. Ele reduz a emissão de óxidos de nitrogênio (NOx), um elemento muito nocivo à saúde. O seu uso, portanto, é obrigatório no escapamento dos veículos com motores a diesel.

O número 32 é uma referência à quantidade de ureia de alta pureza, também chamada de ureia técnica (32,5% da composição da substância). Essa é a substância química responsável pela reação dentro de um catalisador.

De acordo com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo, são várias as vantagens do ARLA 32: contribui diretamente para a redução das emissões dos poluentes emitidos pelos motores; é capaz de reduzir em 98% as emissões de óxidos de nitrogênio; é um  Produto químico seguro, pois não é inflamável, tóxico ou explosivo; e  promove a economia de combustível, compensando ainda mais o investimento.

A especificação técnica do ARLA 32 é prescrita pela Instrução Normativa IBAMA nº 23 de 11/07/2009. O agente pode ser encontrado em empresas especializadas na produção de equipamentos para lubrificação. E atenção: o efeito não é o mesmo se você comprar ureia e misturar com água.

A ureia comercializada no Brasil não tem nenhuma relação com o ARLA 32. Além disso, é importante dizer que o agente utiliza água desmineralizada em sua composição. Na prática, isso quer dizer que não é possível usar água comum mesmo a potável porque ela contém diversos minerais. Injetar qualquer solução diferente do ARLA 32 poderá danificar seriamente o catalisador, podendo levar, inclusive, à sua perda total.

 

Multas e infrações

Os veículos da fase P7 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), ou seja, que foram projetados a partir de 2012 com o sistema SCR são obrigados a utilizar o ARLA 32. Caso isso não ocorra, os proprietários poderão ser autuados por infração ambiental.

Quem Dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente é o Decreto Federal nº 6.514, de 22 de julho de 2008. O Art. 68 estabelece multas de R$ 1.000,00 a R$ 10.000,00 para quem Conduzir, permitir ou autorizar a condução de veículo automotor em desacordo com os limites e exigências ambientais previstos na legislação.

Já o art. 71 diz que Alterar ou promover a conversão de qualquer item em veículos ou motores novos ou usados que provoque alterações nos limites e exigências ambientais previstas na legislação incorre em Multa de R$ 500,00 a R$ 10.000,00.

Se o veículo for abastecido com ARLA 32 adulterado, o sistema de sensores que mede a qualidade das emissões de gases do veículo, vai alertar ao motorista que ele dispõe de até 48 horas para reparar a falha. Caso contrário, além do aumento significativo das emissões de NOx, o veículo perderá potência, de modo seguro para a operação, até um limite de 40%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here