21º FESTIVAL CULTURA E GASTRONOMIA TIRADENTES REUNIU 47 MIL PESSOAS DE 24 DE AGOSTO A 2 DE SETEMBRO E COMEMOROU OS 300 ANOS DA CIDADE HISTÓRICA

0
93
Nereu Jr Imagens

EVENTO CONTOU COM DIVERSAS ATRAÇÕES GASTRONÔMICAS, ENTRE AULAS, COZINHAS AO VIVO E ESPAÇOS DE DEGUSTAÇÃO. PÚBLICO CONSUMIU MAIS DE 120 MIL PRATOS

A 21ª edição do Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes celebrou os 300 anos da cidade colonial com público total de 47 mil pessoas e 120 mil pratos vendidos. O evento, promovido pela Plataforma Fartura – Comidas do Brasil, aconteceu de 24 de agosto a 2 de setembro, com programação intensa. As mais de 200 atrações gastronômicas ocuparam os espaços públicos com estandes de chefs mineiros, produtos e produtores, cozinhas ao vivo, aulas e palestras, além dos festins – jantares requintados com chefs convidados.

“Nos últimos três anos, ocupamos mais espaços na cidade, para que o Festival se tornasse mais acessível. Ampliamos a programação e tornamos o evento mais democrático. Então, o público pediu a volta dos festins, que são limitados a poucas pessoas. Mas também é um momento em que o chef pode ousar e experimentar, é um espaço de vanguarda. Fizemos quatro festins nesta edição e acreditamos que foi uma decisão acertada”, comenta o diretor do Festival, Rodrigo Ferraz. O chef cearense Leo Gonçalves e o mineiro Ronie Peterson dividiram a cozinha no primeiro festim, na sexta (24), enquanto o estrelado Léo Paixão recebeu o português Luís Espadana no sábado (25). No segundo fim de semana, o mineiríssimo Flávio Trombino recebeu o paraense Saulo Jennings, em um menu a quatro mãos, na sexta (31). O encerramento dos festins, no sábado (1º), teve os chefs mineiros Ivo Faria e Luciano Avelar com a premiada a francesa Charlène Estevao.

Entre os restaurantes da Praça da Rodoviária, com chefs de Belo Horizonte, os pratos que mais agradaram o público foram as iscas de tilápia com molho de limão, do Albanos; e a coxinha de carne de sol e requeijão de raspa, do Caê Restaurante Bar. Nas Cozinhas ao Vivo deste espaço, a pasta ítalo-mineira, do chef Américo Piacenza, da Cantina Piacenza esteve entre as mais prestigiadas.

Já na Praça Sesc Campo das Vertentes, apenas com chefs de Tiradentes, destaque para o tamarind bò, prato à base de músculo bovino temperado à moda vietnamita, que surpreendeu no sabor exótico, do UaiThai; e o “porcavaca”, um polpetone gigante recheado de muçarela e ora-pro-nóbis, servido no pão italiano, do Gourmeco. As Cozinhas ao Vivo desta praça celebraram os primórdios da cozinha mineira, com pratos como o arroz d’angola com ora-pro-nóbis, do chef Felipe Oliveira, do restaurante Tragaluz.

Os três espaços dedicados a aulas levaram mais aprendizado ao público. Na Pousada Escola Senac e na Praça Senac Conhecimento (com espaço degustação e interativo), o evento ofereceu, no total, 37 aulas e workshops. Na Pousada Escola Senac, a degustação comentada de queijo minas artesanal da região do Campo das Vertentes, com Eduardo Girão, foi uma das que mais teve procura de público.

No Espaço Interativo, um dos pontos altos foi a aula do chef Rodolfo Mayer, do restaurante Angatu, de Tiradentes. Conhecido por apresentar uma cozinha contemporânea com ingredientes mineiros, ensinou uma receita de peixe, arroz de banana com baru e mostarda. Já no Espaço Degustação, destaque para a aula de “porco no barro”, parte do projeto Primórdios da Cozinha Mineira, com Vani Pedrosa, do Senac. Ela explicou sobre a conserva da carne suína em vasilhames de barro, o modo original de armazenamento, muito antes da “carne de lata”. Depois do resgate histórico o chef Ronie Peterson, do Senac, apresentou uma receita de carne de porco e feijão com trupico, outra delícia mineira.

E para levar um pouquinho do Festival para casa, o público visitou o espaço Produtos e Produtores com tudo de mais saboroso que Minas Gerais pode oferecer: queijos, geleias, cafés, doces, biscoitos, entre outros produtos.

Uma programação musical instrumental embalou as experiências e intervenções teatrais interagiram com os convidados ao longo dos dez dias de evento. O público curtiu shows de grupos como DelegasCia, Bloco Magnólia, Jazz Horizonte, Juarez Maciel, B-Shoes, Mari e Celi e muito mais. Já as artes cênicas foram representadas pelos cortejos Corporação São Sebastião e Banda Ramalho, além de apresentações como Naquele Bairro Encantado, Palhaça Brisa, Circo do Sufoco, entre outros.

As viagens nas redondezas realizadas pelo projeto Experiências Gastronômicas permitiram que o público conhecesse a origem dos alimentos e seu caminho até a mesa. E durante o Festival, a cidade se mobilizou para realizar eventos especiais, que complementaram a programação.

O 21º Festival Cultura e Gastronomia Tiradentes é apresentado pelo Ministério da Cultura, Bradesco e Cielo. Conta com o patrocínio da Walls, Net Claro e Cemig, apoio educacional do Senac MG, apoio cultural do Sesc MG, apoio do Verdemar, Souza Cruz, Localiza Hertz, Sebrae MG, Água São Lourenço, colaboração da Sprovieri, parceria de mídia da Adega, BH Airport, Globo Minas, Jchebly, Grupo Kallas e Rádio CDL como rádio oficial.

SOBRE A PLATAFORMA FARTURA – COMIDAS DO BRASIL

A Plataforma Fartura – Comidas do Brasil percorre todo o país pesquisando a origem dos ingredientes e seu caminho até a mesa por meio da Expedição Fartura, que já visitou os 26 estados brasileiros e o Distrito Federal. Todo o conhecimento adquirido é transformado em conteúdo e disponibilizado no site e nas redes sociais (Facebook e Instagram), vídeos, livros, programas de rádio e em projetos customizados. A Plataforma Fartura – Comidas do Brasil recebeu o prêmio de Inovação em Turismo, do Second Runner-up – United Nation World Tourism Organization.

EXPEDIÇÃO FARTURA

A gastronomia brasileira é farta e rica – por isso a origem do nome da Plataforma. A expedição, desde 2012, acumula os seguintes números:

– 26 estados e o Distrito Federal visitados, fechando o ciclo do Brasil.

– mais de 70 mil quilômetros percorridos.

– mais de 200 cidades visitadas.

– mais de 550 personagens da culinária brasileira entrevistados.

 

FESTIVAL FARTURA – COMIDAS DO BRASIL

Os festivais levam o conteúdo da Plataforma ao público, em forma de experiência. Alguns resultados:

– Mais de 185 toneladas de alimentos servidos (2016 e 2017).

– Mais de 10 toneladas de insumos coletados para reciclagem somente em Tiradentes/2017.

– Mais de 4 mil atividades gastronômicas (1998-2017).

– Mais de 4 mil profissionais da gastronomia (1998-2017).

– Mais de mil apresentações culturais (1998-2017).

– Mais de 700 mil pessoas (1998-2017).

 

Livros

Cada estado visitado pela Expedição Fartura tem um personagem que a gente não esquece. São produtores, chefs, mercados e receitas que têm aquele tempero a mais. Tudo isso é registrado e lançado em livros premiados nacional e internacionalmente. As publicações já ganharam prêmios como o Jabuti e por duas vezes o Gourmand World Cookbook – principal premiação gastronômica do mundo. As viagens resultaram em 5 livros até o momento.

 

Filmes

Cada edição da expedição gera vídeos com conteúdos que complementam os registros nos livros. Ao longo de quatro anos, o Fartura registrou inúmeras entrevistas em curta, média e longa metragens que são distribuídos em instituições educacionais, além de estarem disponíveis nas redes sociais. Inscreva-se em nosso canal no YouTube. Um deles recebeu o 1º lugar na 1ª Mostra de Ensaios de Sabores Audiovisuais – MESA, como melhor obra de até 30’.

 

Programa de rádio

Programas com as descobertas e dicas gastronômicas da curadora Luiza Fecarotta, obtidas durante as Expedições. Rádio CDL FM, 102,9, em Belo Horizonte, de segunda a sexta-feira, três vezes ao dia.

 

Site e Redes Sociais

O portal Fartura – Comidas do Brasil tem como missão reunir o conteúdo coletado na Expedição e tornar acessível o compartilhamento desse material. No site, assim como nas redes sociais como Facebook e Instagram, encontram-se receitas, vídeos, informações dos festivais, curiosidades gastronômicas e até contato dos produtores.

 

Conteúdos e viagens customizados

A partir do conhecimento adquirido pela Plataforma, são construídos produtos específicos para empresas dos setores de alimentação, aviação, turismo, entre outros. Os conteúdos são desenvolvidos entendendo a estratégia de marca de cada cliente. Tanta informação compartilhada também possibilitou que a Fartura criasse viagens customizadas. A primeira edição aconteceu em Porto Alegre, quando um grupo fechado participou de um roteiro gastronômico exclusivo e inesperado.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here