Colégio Nossa Senhora das Dores retoma aulas presenciais para o Ensino Médio

Instituição faz parte dos 10% de escolas privadas que retomam o ensino médio presencial em Belo Horizonte, de acordo com o sindicato.

0
656

Após um 2020 sem aulas presenciais, agosto começou com ritmo de fim de férias escolares para alguns estudantes da capital, que voltaram às salas de aula depois do recesso de julho nesta segunda-feira (2). A novidade do retorno são as aulas para o ensino médio, que estavam suspensas desde março do último ano. Mesmo com o retorno, porém, o cenário em frente a algumas escolas da capital, onde antes da pandemia se formavam grupos de pais e filas de vans escolares na hora da saída dos alunos, ainda não voltou ao habitual.

O Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG) estima que apenas 10% das escolas privadas que oferecem ensino médio na capital retornaram às atividades presenciais nesta segunda-feira, enquanto a maioria voltará ao longo da semana ou na próxima segunda, dia 9. Já nas escolas estaduais que oferecem ensino médio, apenas o terceiro ano poderá retornar, por ora, a partir desta terça (3).

As restrições do número de alunos por sala de aula e a carga horária reduzida dificultam o retorno imediato das particulares, segundo a presidente do Sinep-MG, Zuleica Reis. “Os protocolos da prefeitura abrangem da educação infantil ao ensino médio. Mas, no ensino médio, a logística que a escola precisa adotar para se adaptar é diferente. As turmas são grandes e, com o distanciamento de dois metros por aluno, algumas escolas teriam de fazer rodízio de turmas com seis, sete grupos. Uma pesquisa das escolas com pais mostra que 70% a 85% deles querem enviar os alunos para a sala de aula, no ensino médio”, diz.

Ela sugere que a prefeitura permita o distanciamento de no máximo 1,5m entre estudantes do ensino médio, para que as salas comportem mais estudantes. Outra alteração que sugere é a ampliação do tempo que os alunos da etapa de ensino podem permanecer em aula presencial — hoje, ele é de cinco horas diárias.

No Colégio Nossa Senhora das Dores, no bairro Floresta, na região Leste de BH, cerca de metade dos 60 estudantes do terceiro ano do ensino médio retornaram às aulas presenciais nesta segunda. Para que não fosse necessário fazer rodízio de turmas, a direção alocou os alunos no teatro da escola. A estudante Ananda Gomes, 18, está no terceiro ano e se diz aliviada por voltar ao ensino presencial. Ela relata que a maior parte dos alunos seguiu os protocolos de segurança definidos pela prefeitura e pela escola, mas que observou deslizes na volta às aulas. “Uma amiga mais nova veio me abraçar e eu já tive que dizer que não e cumprimentar só com o cotovelo. No ensino médio, temos mais essa autonomia de explicar para os amigos o que não podem fazer”, diz.

Gustavo Leonardi, 14, matriculado no último ano do ensino fundamental, também diz ter presenciado alguns erros. “Eu consigo ficar sem abraçar e ficar de máscara tranquilo. Mas tem gente que se esquece do protocolo e acaba abraçando alguém, abaixando a máscara”, relata. No final da manhã, ele aguardava o final da aula da irmã mais velha com a mãe, em frente ao colégio. “Está um trânsito de férias aqui. Hoje, eu trouxe meus três filhos para a aula, mas estava esperando o segundo semestre e pelo menos eu e meu marido estarmos vacinados com uma dose da vacina contra Covid-19”, diz a advogada Flávia Torres, 41.

Trânsito de BH já se aproxima de níveis anteriores à pandemia

Pais ouvidos pela reportagem avaliam que o trânsito na volta às aulas desta segunda-feira ainda está tranquilo, comparado ao que viviam antes da pandemia. Já a BHTrans indica que a movimentação de veículos na cidade já se aproxima aos patamares de antes da pandemia, porém não relaciona a alta às atividades escolares.

“Desde a semana entre 5 a 9 de Julho, já temos um trânsito praticamente igual ao que era antes da pandemia. Contudo, as escolas ainda estão retornando gradualmente. Isso mostra que mais pessoas estão retornando as suas atividades, seja optando pelo veículos, transporte público e até o transporte por aplicativo”, detalha, por meio de nota. Segundo a empresa, períodos de recesso escolar representam uma queda de cerca de 10% do fluxo de veículos na cidade. Nas próxima semana, será possível comprar o trânsito antes e depois da volta às aulas neste mês com novos dados.

Ainda de acordo com a BHTrans, há expectativa de aumento do fluxo nos próximos dias e agentes da empresa, da Guarda Muncioapl e da Polícia Militar atuarão para monitorar e orientar condutores na entrada e saída de escolas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here