Belo Horizonte ganha Núcleo de Produção Digital e impulsiona a formação na área audiovisual

0
56

O NPD-BH irá promover uma série de cursos gratuitos na área audiovisual. Inscrições têm início no dia 10 de outubro

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, cria nesta quinta, dia 10, às 18h, no MIS Cine Santa Tereza, o Núcleo de Produção Digital. A nova unidade vai promover cursos gratuitos na área audiovisual e preparar os alunos para o mercado de trabalho. Serão oferecidos cursos de roteiro, edição, direção, produção, distribuição, direção de atores, crítica cinematográfica, preservação e trabalho com acervo, entre outros. O Núcleo de Produção Digital integra o BH nas Telas – Programa de Desenvolvimento do Audiovisual, criado pela Secretaria Municipal de Cultura em 2019. As inscrições para estes cursos podem ser feitas de 10 a 22 de outubro, no portal da Prefeitura.

“A implantação do Núcleo de Produção Digital de Belo Horizonte é uma conquista sem tamanho para a cidade. Com esse mais novo programa, a nossa capital terá acesso a uma estrutura democrática de vivência e formação audiovisual, diversificando a produção, fortalecendo o mercado e a linguagem cinematográfica. Neste ano, serão oferecidos cursos gratuitos junto com a Escola Livre de Artes, inaugurando uma política de formação audiovisual”, destaca o secretário Municipal de Cultura, Juca Ferreira.

O Núcleo de Produção Digital visa à democratização dos meios e espaços de produção audiovisual, facilitando o acesso a espaços e cursos relacionados à produção digital. Além das atividades formativas, o núcleo contemplará também ações voltadas para o fortalecimento da indústria audiovisual local, por meio do empréstimo de equipamentos de produção. A implantação do núcleo contou com repasses da Secretaria do Audiovisual, integrada ao Ministério da Cidadania. A Secretaria Municipal de Cultura conta ainda com parceria da Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania para implantação do núcleo, por meio do Centro de Referência da Juventude que integra o programa como um dos pontos focais das ações de formação.

Para a presidenta da Fundação Municipal de Cultura, Fabíola Moulin, trata-se de um projeto inovador do ponto de vista da política pública municipal para o audiovisual, pois além de proporcionar um espaço de formação e capacitação na área, com cursos diversos e professores qualificados, impulsionará também a produção, por meio do empréstimo de equipamentos de ponta para filmagens locais. “O núcleo se insere num contexto em que a produção cinematográfica de Belo Horizonte vem ganhando cada vez mais destaque, com prêmios e reconhecimento em festivais nacionais e internacionais. Nosso intuito é fortalecer esse cenário, democratizando o acesso à formação, aos equipamentos e aos espaços de fruição audiovisual, de forma gratuita e descentralizada”, completa Fabíola.

Este primeiro ciclo de atividades de formação acontecerá de outubro a dezembro de 2019, por intermédio do Museu da Imagem e do Som em parceria com a Escola Livre de Artes Arena da Cultura, e se estenderá a outros locais da cidade, como MIS Cine Santa Tereza, Centro de Referência da Juventude e Centros Culturais da Fundação Municipal de Cultura. A grade com os cursos e seus respectivos locais de realização pode ser consultada no portal da Prefeitura.

Lançamento

O lançamento do Núcleo de Produção Digital, que acontece nesta quinta-feira, contará com a presença de autoridades da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura. Após a solenidade de apresentação, será ministrada a primeira oficina: “Linguagem e política cinematográfica”, com a realizadora Cristina Amaral.  Para esta oficina especial de lançamento, as inscrições poderão ser feitas no próprio MIS Cine Santa Tereza, no dia do evento, a partir das 17h.

Cristina Amaral tem mais de 60 filmes como montadora, tendo trabalhado com importantes cineastas como Denoy de Oliveira, Andrea Tonacci, Umberto Martins, Raquel Gerber, Gal Pereira, Toni Venturi, João Batista de Andrade, Guilherme de Almeida Prado e outros. Com Carlos Reichenbach fez “Alma Corsária”, “Dois Córregos”, “Garotas do ABC” e “Bens Confiscados”. Com Andrea Tonacci, assinou a montagem de “Paixões”, “Serras da Desordem”, entre outros filmes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here